Barcelona e Neymar decidem encerrar disputas judiciais de forma amistosa

Quatro anos depois de rumar ao PSG, Neymar e Barcelona decidiram dar fim à disputa judicial que vinham travando desde então. O clube catalão anunciou nesta segunda-feira que as duas partes optaram por encerrar de forma amistosa e extrajudicialmente diferentes processos que vinham em curso sobre o processo desde a saída do jogador da Catalunha, em 2017.

- O clube e o jogador assinaram um acordo para pôr fim aos procedimentos judiciais que estavam pendentes entre as ambas as partes: três processos na Justiça trabalhista e um processo civil - disse o Barcelona em nota oficial. As disputas judiciais entre Neymar e o Barcelona tiveram início quando o jogador decidiu deixar o clube e rumar para o PSG, em 2017, um ano depois de renovar seu contrato com a equipe espanhola. Os franceses pagaram 222 milhões de euros de multa rescisória para levar o brasileiro para Paris, deixando o Barça de mãos atadas diante da escolha do brasileiro de mudar de clube.

Diante da surpreendente transferência, o Barcelona decidiu entrar com uma ação contra Neymar reivindicando 8,5 milhões de euros relativos a parte do bônus pago pela renovação do contrato em 2016, além de cobrar multa de 10% sobre o valor. O Barça alegava que Neymar não tinha direito ao pagamento porque não cumpriu seu vínculo, tomando um decisão unilateral. 

Neymar, por sua vez, entrou com uma ação para cobrar 26 milhões de euros do Barcelona, relativos justamente ao bônus integral da renovação assinada um ano antes de deixar o Camp Nou. A defesa do jogador alega que ele teria direito a todo o valor apenas por ter assinado o novo vínculo.

Desde então, clube e jogador passaram a protagonizar diferentes disputas judiciais, vivendo em clima de litígio. Uma virada no caso quase ocorreu em 2019, quando, diante do desejo de Neymar de voltar a jogar no Barça e de um pedido pessoal de Messi, a diretoria comandada pelo ex-presidente Josep Maria Bartomeu tentou contratar novamente o brasileiro. Porém, o PSG não deu o braço a torcer e impediu a transferência.

[Globo.com]

 

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.