Em crise, Flamengo volta ao mata-mata para evitar 'rombo' de R$ 30 milhões

Os resultados ruins e as atuações desanimadoras são a pauta do Flamengo nesta temporada. A derrota para o Atlético-MG, pelo Brasileirão, foi um ensaio assustador para o confronto de amanhã (22) pela Copa do Brasil. A performance rubro-negra traz à tona a preocupação de um planejamento totalmente em risco e um 'rombo' imediato que pode passar dos R$ 30 milhões.

Baseando-se em um elenco renomado e em temporadas vitoriosas, o Flamengo projetou orçamento bilionário e estabeleceu metas altas para o departamento de futebol, com base em cálculos anteriores: que o time feche a temporada, no mínimo, como vice-campeão no Brasileirão e que alcançasse as semifinais dos mata-matas — Libertadores e Copa do Brasil.

O objetivo estipulado, naturalmente, vai além da satisfação por bom futebol e vitórias para o torcedor. Ele também envolve diretamente o planejamento financeiro do clube. Campanhas longas nas Copas geram grande montante aos cofres dos clubes brasileiros. Lembrando que, nesta temporada, o Flamengo projeta arrecadação de R$ 130 milhões em prêmios/direitos de transmissão por performance.

Em caso de eliminação nas oitavas das duas competições, o Flamengo perderia, de cara, R$ 30 milhões do orçamento referente às premiações — a Libertadores daria mais R$ 18 milhões aos semifinalistas, enquanto a Copa do Brasil entraria com mais R$ 12 milhões. Aqui cabe uma ressalva: os valores, na prática, serão maiores, visto que o clube também descartaria a bilheteria de pelo menos mais quatro jogos em casa, além de dos direitos de transmissão por desempenho.

Por enquanto, na Libertadores, como mandante, o Flamengo arrecadou R$ 6,5 milhões em renda bruta - com uma média de público de cerca de 41 mil pessoas no Maracanã. Já na Copa do Brasil, em apenas um jogo, o clube carioca somou pouco mais de R$ 425 mil.

É por isso que o futebol irregular das últimas semanas deixa importantes metas na corda bamba, e a primeira prova vem já nesta semana, na Copa do Brasil. A má atuação contra o Galo não é vista como um caso à parte. Pelo contrário, se junta à lista de desempenhos ruins que, inclusive, resultaram na demissão de Paulo Sousa. A vitória contra o Cuiabá, já com Dorival Júnior no comando, não foi o suficiente para engatar uma reação.

Após a derrota apática no Mineirão, Flamengo e Atlético estarão em lados opostos novamente já amanhã (22), no Mineirão, e iniciam o duelo visando a vaga nas quartas da Copa do Brasil —que renderá R$ 3,9 milhões ao classificado. No entanto, o tempo para buscar solução é pouco e o sinal de alerta vai além da competição nacional, visto que semana que vem há a disputa pela Libertadores, contra o Tolima.

s primeiros passos para o futuro da temporada acontecem no mês de junho, mas a definição fica para julho, e com o fator casa a favor do Rubro-Negro. Na primeira semana, no dia 6, o Flamengo encara o Tolima, e, no dia 13, enfrenta o Atlético-MG. Serão três semanas para definir o rumo da temporada e, neste período, uma quantia superior a R$ 9 milhões pode entrar nos cofres em caso de classificação nas duas (R$ 3,9 milhões pela Copa do Brasil e R$ 5,42 milhões pela Libertadores).

No Brasileirão, a situação em tese não inspira tanta urgência, por ser uma competição de 38 rodadas. No entanto, o atual momento do clube carioca já liga o sinal de alerta. Com 15 pontos em 13 partidas, o Flamengo ocupa a 14ª colocação e vive este primeiro turno flertando com a zona de rebaixamento. Para cumprir o orçamento, o Fla precisa ser, pelo menos, vice-campeão nacional. Uma escalada e tanto.

Orçamento em temporadas passadas

Em 2020, a previsão do orçamento foi a mesma. E o Fla acabou eliminado nas oitavas de final da Libertadores pelo Racing-ARG, e nas quartas da Copa do Brasil pelo São Paulo, compensando de certa forma com o título brasileiro. Já na temporada passada, o clube carioca cumpriu a meta ao chegar à final da Libertadores, à semifinal da Copa do Brasil e à segunda colocação no Brasileirão. Para 2022, em caso de título, os valores de arrecadação podem superar as expectativas do Fla. O montante pode chegar a R$ 113 milhões pela Libertadores, R$ 80 milhões pela Copa do Brasil e cerca de R$ 32 milhões pelo Brasileirão.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.