Presidente diz que dívida do Barcelona chegou a R$ 8 bilhões e acusa antecessor de mentir

Depois de não conseguir viabilizar a renovação contratual de Messi, vendo o astro rumar para o PSG, o Barcelona teve seus problemas financeiros escancarados. E o presidente Joan Laporta, que assumiu o clube em março, resolveu convocar uma entrevista coletiva para detalhar a situação econômica do clube nesta segunda-feira, destacando que o Barcelona chegou a ter dívida total de € 1,3 bilhão (R$ 8 bilhões).

Laporta rebateu o ex-presidente Josep Maria Bartomeu, que divulgou uma carta negando ter deixado o clube em péssima situação financeira. Sem dar detalhes, ele acusou Bartomeu de mentir e apresentar dados manipulados. Eles apresentaram um orçamento com hipóteses difíceis de cumprir. Várias delas não foram cumpridas. E portanto o orçamento deu menos de € 320 milhões para a temporada 20/21. Provoca uma situação económica e patrimonial preocupante e situação financeira dramática. Em 21 de março de 2021, a dívida era de € 1,35 bilhão - relatou.

Laporta disse que, assim que assumiu o clube, pediu um empréstimo de € 80 milhões a um grande banco para poder arcar com a folha de pagamento do clube. E que sua gestão iniciou um processo para tentar baixar juros de outros empréstimos, além de interromper "pagamentos desproporcionais" a intermediários por transferências - citando que uma pessoa recebeu € 8 milhões para encontrar jogadores na América do Sul.

O mandatário destacou que a política salarial que vinha sendo adotada no Barcelona levou à situação atual, indicando que os vencimentos hoje ocupam 103% do faturamento do clube.

- Também encontramos um contexto de uma política esportiva errônea que causa danos à entidade. É uma pirâmide invertida, na qual os veteranos têm contratos longos e os jovens têm contratos curtos. E é difícil renegociar contratos. Essas reduções salariais que os gestores anteriores se vangloriaram, uma redução de 68 milhões, mas na realidade não é redução porque a encontramos na forma de bônus de rescisão de contrato - relatou.

Laporta também citou problemas estruturais encontrados no Camp Nou, citando que o estádio precisava de obras urgentes. E que um relatório de 2019 apontava que havia risco para os torcedores - o que impediria a reabertura do estádio em meio à pandemia da Covid-19. 

- Fomos trabalhar para identificar os problemas e eles foram reparados a um custo de € 1,8 milhões e, graças ao fato de termos agido o mais rapidamente possível, neste domingo conseguimos abrir o estádio. Se tivesse sido possível abri-lo mais cedo, não poderíamos, porque não queríamos colocar os fãs em risco.

Apesar de todos os dados negativos apresentados, o presidente tentou encerrar a coletiva mandando uma mensagem de otimismo, indicando que sua diretoria acredita que pode melhorar a situação.

- Já sabíamos que a situação era preocupante, mas os meus companheiros e eu amamos o Barça e tínhamos um plano. Agora estou muito animado e vendo mais o time ontem, convencido de que as decisões certas foram tomadas. tomar. No caso de Messi, triste, mas necessário, porque a instituição está acima de tudo. Foi uma entrevista coletiva para contextualizar certas coisas. Não nos assusta porque o desafio é muito grande e poderemos reverter isso. É uma nova era que nasce que, se estivermos todos unidos, terá muito sucesso, estou convencido - avaliou.

[Globo.com]


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.