À espera de Neymar, Tite confirma escalação da seleção e escolhe Casemiro como capitão

À espera de Neymar, que não participará do último treino nesta quinta-feira por conta de dores na região lombar, o técnico Tite confirmou quase toda a escalação da seleção brasileira para a estreia nas Eliminatórias diante da Bolívia, nesta sexta-feira, às 21h30, na Neo Química Arena, em São Paulo. O treinador também definiu Casemiro como capitão. "Sem o Daniel Alves, não temos uma determinação. Então para amanhã vai ser o Casemiro, que é uma das lideranças que a gente tem", justificou.

Tite definiu que Weverton será o titular no gol e revelou que Douglas Luiz ganhou a disputa com Bruno Guimarães para atuar no meio de campo ao lado de Casemiro. A única dúvida, portanto, é a presença ou não de Neymar. Caso o craque do Paris Saint-Germain não se recupere das dores na região lombar - ele passará a tarde fazendo fisioterapia - o comandante confirmou que seu substituto será Everton Ribeiro.

"Weverton é o goleiro, isso já está definido. Temos três grandes goleiros. O Ederson é um grande goleiro. O Weverton fez uma grande sequência em alto nível, que o credenciou. Douglas Luiz já está definido. E a outra, a substituição do Everton Ribeiro (no lugar do Neymar) é uma possibilidade. Temos que aguardar. Não tendo (o Neymar), vai ser o Everton Ribeiro", revelou Tite em entrevista coletiva nesta quinta-feira, no hotel Marriott, em Guarulhos, onde o grupo está concentrado.

Também presente na coletiva, César Sampaio, auxiliar técnico da equipe, explicou a opção por Douglas Luiz em vez de Bruno Guimarães pela necessidade de ter um jogador com maior capacidade de proteger o lado esquerdo do campo, setor onde atuam Renan Lodi e Neymar - se puder jogar.

"É harmonizar os setores. Entendemos como o Tite pensa, de dar mais amplitude desse lado com o lateral. Essa organização ofensiva sustentada te dá uma segurança maior. O Douglas fez por merecer. Contra a Coreia do Sul a gente conseguiu já ver essa personalidade em campo", explicou.

Tite destrinchou um desenho tático para o primeiro jogos nas Eliminatórias e falou especialmente sobre as funções do quarteto ofensivo e o que eles oferecem tática e tecnicamente.

"Everton Ribeiro é um articulador, da construção, um jogador que pensa a última bola, e também um finalizador de média distância. O que o Firmino te traz, estrategicamente? Ele te dá a característica de um jogador mais terminal também, sem tanto a necessidade de construir. Para ter de um lado ou de outro, o Cebolinha te dá amplitude, como extremo, chegando na frente. O Coutinho pode ser por dentro ou por fora, tendo essa função bem exercida. Importante abrir um espaço de criação maior para eles, fazendo com que a bola chegue, vinda dos laterais, dos zagueiros, dos meio-campistas. E aí sim ter a ilusão, a criatividade, o passe cavado, a finalização", analisou.

O treinador comentou sobre a expectativa em relação ao desempenho do time no início da caminhada rumo à Copa do Mundo de 2022. Em meio à pandemia de covid-19 e sem público nos estádios, ele fez a ponderação de que é preciso tempo para a equipe voltar a engrenar, mas disse que espera um bom desempenho diante dos bolivianos, no início do novo ciclo com vistas ao Mundial do Catar.

"Quando você inicia um trabalho, e logo em seguida, rapidamente, ele se consolida, é exceção à regra. Não é assim que as coisas funcionam no futebol, em que há a construção de equipe, lançamento de jovens, mesclas, funções definidas, jogadores crescendo nos clubes. Tomara que a gente tenha essa felicidade, mas não é o real. A gente procura equilibrar todos esses fatores. A expectativa é fazer um bom jogo contra a Bolívia, numa situação anormal com a pandemia, e conseguir a vitória.

A delegação da seleção brasileira chegou a São Paulo na noite de quarta-feira e os jogadores fazem a última atividade na tarde de quinta, na Neo Química Arena, estádio do Corinthians e local da partida contra a seleção da Bolívia.

 

ESTADÃO


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.