IFAC agora tem planetário itinerante

Integrantes do projeto do Planetário Móvel do IFAC participam desde segunda-feira, 18, de um treinamento para a operacionalização e apresentação das sessões no planetário. A capacitação é ministrada pelos acadêmicos de Física da UERJ e “planetaristas” da Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA), Bruna Senra Faria e Leandro Soares Faria. Cerca de 16 pessoas participam do treinamento que ocorre no Campus Baixada do Sol até o dia 21 de julho. O planetário móvel do IFAC é pioneiro no Acre e um dos poucos da região norte.

A capacitação está sendo feita com estudantes dos cursos técnicos integrados dos campi de Rio Branco e de Licenciatura em Física do Campus Sena Madureira. Há também a participação de acadêmicos de Física da Universidade Federal do Acre. O treinamento aborda temas como os planetas, evolução estelar, mitologia grega, missões espaciais, história da aeronáutica no mundo, e vários outros relacionados a astronomia.

Os ministrantes do curso que viajam por todo o Brasil com o planetário móvel da OBA e atendem cerca de 30 mil alunos por ano trouxeram suas experiências para compartilhar com o grupo. A “planetarista” Bruna Senra compartilhou alguns relatos dos cinco anos de “estrada”. “Nosso planetário funciona há alguns anos e eu e o Leandro acabamos adquirindo uma experiência muito boa com o nosso trabalho de passear por vários estados, conhecer culturas e públicos diferentes. Com isso adquirimos uma didática mais elaborada, uma cabeça mais aberta para planejar as sessões, considerando como cada público deve ser atendido, quais são as prioridades, o que querem ver e quais as carências deles de conhecimento sobre astronomia”, contou.

Além do know-how, Bruna e Leandro também auxiliam a equipe do planetário do IFAC com materiais que podem ser exibidos nas sessões como vídeos e softwares que eles utilizam no planetário da OBA.

O professor Cleyton Assis, um dos responsáveis pela iniciativa, explicou sobre o caráter multidisciplinar do planetário e as possibilidades de ensino que ele oferece. “No planetário podemos projetar conteúdos de astronomia, e fazer com que a astronomia possa permear outras disciplinas, basta que a gente encontre ou produza material que possa ser projetado na tecnologia fulldome que ele exige”, explicou. O docente contou ainda sobre a expectativa de incentivar os estudantes a participarem das olimpíadas de robótica, física e astronomia, disciplinas que o planetário pode abordar.

O estudante do 2º ano do Integrado do Campus Rio Branco, João Vitor, demonstrou entusiasmo com o projeto. Ele contou que é apaixonado por astronomia e pretende seguir os estudos nesta área. “Mesmo antes de entrar no IFAC eu já gostava muito de ler sobre astronomia, sobre os astros, fenômenos físicos que acontecem. Então eu sempre fui muito ligado nisso e agora, com o planetário, aumentou ainda mais a minha vontade de aprender”, compartilhou.

A pró-reitora de Extensão Substituta, Luana Oliveira, contou sobre o apoio da PROEX aos projetos como o do planetário. “A gente ficou muito feliz com essa parceria de trazer os palestrantes para capacitar e trocar ideia com o grupo e com o professor Cleyton que já vem trabalhando há algum tempo neste projeto. A Pró-Reitoria de Extensão está dando todo o apoio, fomentando as atividades desse projeto para que ele chegue a todos os municípios todos os campi, para que todos possam conhecer essa maravilha que é o planetário”, disse.

Divulgação científica - O planetário, pioneiro no Acre, adquirido com recursos de emenda parlamentar do deputado Sibá Machado, com apoio da PROEX e gerido pelo Campus Rio Branco tem o objetivo de promover a divulgação científica e o acesso à informação por meio de exibições de sessões educativas, inicialmente nos campi do IFAC. A proposta inclui ainda exibições em eventos científicos e em escolas das redes públicas e privadas no estado.

“O planetário já é um sonho de muito tempo no IFAC”, afirmou a reitora do Instituto, Rosana Cavalcante dos Santos. Ela, a pró-reitora de Extensão Substituta e a diretora Geral do Campus Baixada do Sol, Hévea Maciel, acompanharam o grupo em uma exibição no planetário que encantou a todos.

A reitora contextualizou sobre a iniciativa do projeto por iniciativa dos professores Cleyton Assis e Fábio Storch, em 2014, e a busca pelo recurso que pudesse torná-lo realidade. Ela falou da importância do projeto para o IFAC e para o Acre. “A importância do planetário para a instituição é enorme porque são várias áreas de estudo dentro dele que podemos explorar. Então vai ser uma forma lúdica de ensinar, e como ele é único no Acre, a gente já está se planejando para vários eventos científicos”, explicou.

A reitora falou ainda sobre o papel do IFAC na divulgação científica através das sessões do planetário. “Ele vem como uma forma de popularizar a ciência, popularizar a tecnologia porque o planetário é um instrumento de ensino, e é um instrumento tecnológico. Então ele vai popularizar as atividades científicas, mas ele também vai levar o IFAC para as comunidades, para todos os municípios. É um projeto de vida longa”. Ela falou ainda sobre a perspectiva de incentivar o desejo pelo “fazer científico” nos estudantes do Acre. “São tantas as possibilidades que a gente fica realmente emocionado de saber que um sonho se tornou realidade, que ele vai abrir a mente de muitos estudantes nossos para a ciência, para a tecnologia, para os cursos que a gente oferece. E o planetário vem fazer com que o IFAC cumpra uma parte da sua missão que é o serviço à comunidade, informando, levando conhecimento a quem precisa, mas de uma forma lúdica, simples e gratuita”.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.