Pompéu confirma morte de mulher com sintomas de síndrome nefroneural

A Secretaria Municipal de Saúde de Pompéu, no Centro-Oeste de Minas, informou, na manhã desta terça-feira, que uma moradora do município morreu com sintomas da síndrome nefroneural causada pela contaminação por dietilenoglicol, substância encontrada em garrafas da cerveja Belorizontina e detectada no organismo de alguns dos pacientes internados com o problema no estado. Até a publicação desta matéria, o caso ainda não era contabilizado pela Secretaria de Estado de Saúde. 

Por meio de nota, a Secretaria explicou que a vítima, que não teve a identidade revelada, esteve em Belo Horizonte a passeio entre 15 e 21 de dezembro na residência de parentes no Bairro Buritis, Região Oeste de Belo Horizonte.

Ela apresentou sintomas da síndrome nefroneural e morreu em 28 de dezembro. O Pronto Atendimento onde ela estava internada entrou em contato com a família e foi relatado que ela bebeu a cerveja Belorizontina.  “A Secretaria Municipal de Saúde juntamente com o Pronto Atendimento, realizou a apuração e levantamento de informações com posterior notificação e encaminhamento ao CIEVS-MG (Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde). 

“No momento, toda a Secretaria Municipal de Saúde, Pronto Atendimento e familiares estão no aguardo de retorno do caso. Vale ressaltar que compete às autoridades de saúde hierarquicamente superiores o desenrolar dos fatos, além disso, das autoridades legais e de competência para as apurações”, conclui a nota assinada pela secretária de Saúde de Pompéu, Fernanda Guimarães Cordeiro. 

Nesta manhã, a Secretaria de Estado de Saúde informou que, assim como em posicionamento divulgado ontem, ainda contabiliza 17 casos suspeitos de intoxicação pelo dietilenoglicol, sendo 16 de homens e um de uma mulher. Quatro casos foram confirmados, sendo uma morte, e outros 13 estão sob investigação. “Reforçamos que caso tenhamos atualizações ao longo do dia, as mesmas serão publicadas no site da SES”, informou a assessoria do órgão. 

Critério para notificação

 A nota técnica da Saúde enviada aos serviços médicos diz que a pasta estadual "define como caso suspeito o indivíduo residente ou visitante de Minas Gerais que ingeriu cerveja Backer a partir de novembro de 2019, e iniciou, em até 72 horas, sintomas gastrointestinais (náuseas e/ou vômitos e/ou dor abdominal), insuficiência renal aguda, seguidos ou não de uma ou mais alterações neurológicas, como paralisias facial e descendente, borramento visual, amaurose (perda da visão), alterações sensitivas e crise convulsiva."

 

EM.com.br


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.