Bolsonaro critica documentário indicado ao Oscar, mas diz que não assistiu

O presidente Jair Bolsonaro criticou, nesta terça-feira, 14, a indicação do documentário Democracia em Vertigem ao Oscar, mas admitiu não ter assistido ao longa-metragem. Na avaliação de Bolsonaro, a produção é uma “ficção”. “Para quem gosta do que urubu come, é um bom filme”, afirmou.

A declaração do presidente foi dada na saída do Palácio da Alvorada, na manhã desta terça-feira. Questionado se assistiu ao documentário, Bolsonaro afirmou que não vai “perder tempo com uma porcaria dessas”.

A indicação de Democracia em Vertigem ao Oscar tem repercutido nas redes sociais nas últimas horas. A hashtag #TheEdgeOfDemocracyFAKE amanheceu na lista de assuntos mais comentados do Twitter. Além de Bolsonaro, outros integrantes de seu governo também comentaram a presença do longa-metragem sobre o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff entre os indicados. A maior crítica da ala bolsonarista é a de que a produção da diretora Petra Costa retrata apenas a perspectiva do PT.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, afirmou, em tom de ironia, ter “orgulho” de ver um filme brasileiro sendo indicado ao Oscar em três categorias: “Terror, comédia e ficção”. “A estrela da farsa [Dilma Rousseff] levou o Brasil, em cinco anos, ao fundo do poço. Deu uma aula de gestão desastrosa, incompetência e insolvência financeira”, escreveu em sua conta no Twitter.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, disse nas redes sociais que as indicações ao Oscar “não são a toa (sic)”. “Se fosse um documentário mostrando a maior manifestação de rua da história do Brasil (contra o PT do lulopetismo) jamais seriam (sic) indicados”, afirmou.

O assessor especial do presidente Jair Bolsonaro, Arthur Weintraub, irmão do ministro da Educação, Abraham Weintraub, também ironizou a nomeação. “Sobre o documentário do ‘golpe’ que foi indicado ao oscar. O correto é gópi”, afirmou.

O Movimento Brasil Livre (MBL), responsável por organizar as manifestações contra Dilma durante o processo de impeachment, aproveitou a indicação para divulgar o próprio documentário sobre o período e não deixou de criticar Democracia em Vertigem. “Uma farsa gigantesca que ignora milhões de brasileiros que foram às ruas contra o maior escândalo de corrupção da história”, definiu.

Outros políticos bolsonaristas como Marco Feliciano, Bia Kicis e Carla Zambelli já haviam criticado a indicação, dizendo que ela é uma “afronta à população brasileira”. O PSDB, por sua vez, ironizou a notícia, parabenizando a diretora pela “indicação de melhor ficção e fantasia”.

 

 

Veja!

 

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.