País chega à véspera da eleição com cenário incerto sobre segundo turno para presidente

O país nunca chegou à véspera de uma eleição presidencial em um cenário tão indefinido a respeito das chances de realização de um segundo turno. Favorito, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conta com a preferência da metade da população na contagem dos votos válidos, segundo Datafolha divulgado quinta-feira.

O placar é numericamente mais incerto do que de 12 anos atrás, quando Dilma Rousseff (PT) chegou à reta final com 51% de intenção de votos. Na ocasião, a sucessão de Lula foi definida em segundo turno, com a petista superando José Serra (PSDB). A contagem considera apenas os votos válidos — ou seja, excluindo os brancos e nulos na pesquisa estimulada — do penúltimo levantamento do instituto antes do pleito.

Na mesma medida em que deixa aberta a possibilidade de a fatura ser liquidada amanhã, a pesquisa expõe que, na prática, hoje há dois desfechos em perspectiva: vitória de Lula no primeiro turno ou um confronto direto entre ele e o presidente Jair Bolsonaro (PL), dono de 36% dos votos válidos no Datafolha. Atrás da dupla, em empate técnico, Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) duelam pela terceira colocação, com 6% e 5% das intenções, respectivamente. Desde 2002, o presidente do país é definido em dois turnos.

Na última corrida por votos às vésperas das urnas, os postulantes ao Palácio do Planalto decidiram investir os últimos dias de campanha em eventos e locais com os quais se sentem mais à vontade ou tiveram reduto eleitoral em pleitos anteriores. A partir de hoje, já não é mais permitido comícios e atos com aparelhagem de som de grande porte. Eles ainda podem, contudo, participar de caminhadas e passeatas.

Bolsonaro preparou calendário de motociatas em estados onde foi bem votado em 2018. Participou de uma ontem em Poços de Caldas (MG) e fará outra hoje, em São Paulo, maior colégio eleitoral do país, ao lado do seu ex-ministro e candidato ao governo estadual Tarcício de Freitas (Republicanos), um dos seus poucos apadrinhados com chances reais de ir a um segundo turno competitivo.

O titular do Palácio do Planalto sairá de São Paulo para Joinville, em Santa Catarina. Lá, ele vai cumprir compromissos ao lado de dois correligionários, Jorginho Mello (PL), que concorre ao governo estadual, e Jorge Seif (PL), postulante ao Senado. Ao organizar motociatas, Bolsonaro tenta aglutinar seus apoiadores nas ruas com o intuito de demonstrar força e empurrar a eleição para o segundo turno.

[OGLOBO]

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.