Porto-acrenses fecham escola e protestam na sede da prefeitura

Wanglézio Braga

Cansados de tanto descasos, os moradores de Porto Acre, município acreano distante 70 km da capital, protestaram na manhã dessa segunda-feira, 23. O motivo? As péssimas condições de uma das duas escolas administradas pelo município. A estrutura do prédio escolar reuniu alunos, professores, pais em frente do prédio do poder executivo daquele município.

O ano letivo deveria ter começado nessa segunda-feira na escola municipal Nilce Machado Rocha, mas a comunidade escolar se reuniu e decidiu, por conta própria, embargar o prédio bem como o início da aula. Eles alegam que a escola não oferece condições apropriadas para os filhos estudarem.

Quem chega à entrada da escola, que atende 236 anos, percebe o desleixo. Duas caixas coletoras de lixo fazem a recepção dos alunos. Uma cerca que deveria evitar a entrada e saída de pessoas está deteriorando com a ação do vento. O matagal deixa ainda pior esse cenário pavoroso.

Dentro do prédio o cenário piora. Um banheiro que deveria atender os alunos está sendo usado para deposito em quanto o outro está interditado. Os estudantes são obrigados a utilizarem dois banheiros improvisados fora do prédio onde a higiene também é precária. “Essa situação segue desde o ano passado”, diz a dona de casa, Ariana Souza, mãe de uma aluna.

Quem olha pra cima enxerga o risco do teto desabar. As paredes também não estão confiáveis, pois apresentam rachaduras e o telhado, goteiras em vários lugares. Por conta da situação, os próprios pais resolveram lacrar a escola alegando falta de condições do prédio para funcionamento e a comunidade seguiu em comboio à sede da prefeitura para pedir explicações.

Os manifestantes exigiram uma resposta do prefeito, que para variar não estava na cidade e os manifestantes se dirigiram à Secretaria Municipal de Educação. Por lá encontramos o secretário Selsino Teixeira e ele explicou que uma licitação já foi feita para a reforma da escola. 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.