Porto Acre e Mâncio Lima recebem novos veículos e equipamentos para a produção agrícola

O governador Tião Viana e o secretário Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, Arnoldo Campos, representante da ministra Tereza Campello, do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), entregaram na manhã desta terça-feira, 29, três tratores, seis caminhões, 26 balanças de plataforma e 27 computadores para as comunidades rurais de Rio Branco, Porto Acre e Mâncio Lima.

Os veículos e equipamentos visam melhorar o desenvolvimento do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) para o fortalecimento da agricultura familiar no estado.

O investimento é de mais de R$ 1,2 milhão, e a entrega dos tratores é fruto de emenda parlamentar dos ex-deputados federais Perpétua Almeida e Taumaturgo Lima.

O ato, realizado em frente ao Palácio Rio Branco, reuniu diversas comunidades e associações de trabalhadores rurais, além de representantes do governo, do prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, e dos deputados estaduais Lourival Marques, Leila Galvão, Nelson Sales e Jonas Lima.

O PAA tem papel estratégico no combate à pobreza e é uma das ações que compõem o plano Brasil sem Miséria, do governo federal, e foi criado com o objetivo de promover o acesso à alimentação e incentivar a agricultura familiar.

O secretário Nacional de Segurança Alimentar contou que o PAA foi criado em 2003, por uma iniciativa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“O objetivo do programa é combater a fome com desenvolvimento no campo, e o Acre é referência para o Brasil, pois trabalha esse desenvolvimento com sustentabilidade”, afirmou o secretário.

A diversificação da agricultura familiar

O governador Tião Viana disse que, com união, trabalho e muito esforço, o estado está conseguindo avançar na diversificação da produção, numa caminhada que assegura dignidade e esperança para os trabalhadores do campo.

“No estado nós temos mais de 80 feiras assegurando a distribuição da agricultura familiar. Já foram liberados mais de R$ 30 bilhões pela presidente Dilma Rousseff para garantir a agricultura em todo o país”, contou Tião Viana.

O prefeito Marcus Alexandre pontuou que só em Rio Branco são 30 feiras de bairros, fora os mercados municipais. “O desafio que enfrentamos requer muita união e trabalho. E é isso que fizemos quando o governo lançou mais uma fase do PAA no Acre, logo após um dos invernos mais rigorosos, uma prova de que nós nos superamos para alavancar a agricultura”, contou o prefeito.

Qualidade de vida para o campo

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Rio Branco (STR), Fátima Maciel, disse que a entrega de equipamentos representa qualidade de vida e a garantia da produção para os trabalhadores rurais.

“O trabalhador rural tem dois sonhos: um é possuir sua terra, o segundo é ter condições para trabalhar. Nós agradecemos ao governador Tião Viana, que nos tem oportunizado a realização dessas duas coisas e está sempre melhorando as condições do trabalhador do campo”, defendeu a produtora.

As principais comunidades beneficiadas são a Associação dos Produtores do Polo de Assentamento Baixa Verde de Rio Branco, a Associação dos Produtores do Polo de Tocantins, em Porto Acre, e comunidades de Mâncio Lima.

No Acre, o PAA movimenta mais de R$ 25 milhões e atende mais de 460 entidades, envolvendo 2.240 agricultores no processo.

O que disseram

“Graças à luta incessante do governo, o PAA está hoje nos 22 municípios do Acre, com uma produção sustentável, livre de produtos químicos ou agrotóxicos.” (Glenilson Figueiredo, secretário de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar)

“Este é o Acre que produz. Nosso agradecimento ao governo federal, que assegura o funcionamento do PAA, desde que foi iniciado no Acre em 2011, com R$ 3 milhões de recursos. Nos últimos quatro anos já foram aplicados mais de R$ 600 milhões na agricultura familiar do Acre.” (Lourival Marques, deputado estadual)

“Este é o governo que olha para o povo, para a agricultura familiar, numa demonstração de compromisso com a sociedade. Isso, sem dúvida, é o diferencial.” (Jonas Lima, deputado estadual)


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.