Festival de Quadrilhas do Sesc termina com confusão e nudez

 

 

George Naylor

A tradicional festa realizada anualmente pelo Sesc, teve o seu encerramento de forma turbulenta na noite do último domingo, 31. A confusão generalizada iniciou quando um dos integrantes homossexual da Quadrilha Malucos da Roça foi impedido por organizadores do evento de usar o banheiro feminino. 

 Em seguida, em protesto, alguns participantes travestis da quadrilha Malucos da Roça tiraram parte de suas roupas exibindo seus peitos publicamente durante a apresentação como forma de protesto.

Essa atitude chocou alguns presentes que no momento se manifestaram indignados com a atitude por parte dos brincantes, enquanto outros se retiraram imediatamente do local.

A diretora regional do Sesc, Débora Lopes, detalhou o ocorrido e lamentou  a situação. “Não podemos aceitar essa atitude, o festival de quadrilhas é uma festa realizada para a família acreana. Na ocasião dezenas de crianças e seus familiares estavam presentes e assistiram todo o ocorrido. Essa foi uma situação lamentável, ’’ comentou a diretora.

Débora acrescentou ainda que existia um local específico para a troca de figurino dos participantes e a confusão no banheiro feminino foi desnecessária. “ Todos os anos existe no local do evento,  para todos os participantes das quadrilhas, um camarim de uso exclusivo dos brincantes. Estamos falando de questões de produção e organização  que foram construídas ao decorrer de 30 anos de trabalho. Em nenhum ponto aconteceu descriminação de nenhuma natureza  ou atos homofônicos   da parte administrativa da instituição,” declarou.

Adelcimar dos Santos, presidente da Liga das Quadrilhas, também falou sobre o ocorrido. “  Tudo começou quando a  transexual, foi impedida de entrar no banheiro feminino. Em seguida os brincantes do  mesmo grupo iniciaram um protesto contra a atitude administrativa da instituição tirando a blusa. A policia militar foi acionada e prendeu desnecessariamente o membro da quadrilha Malucos da Roça,” comentou.

Na manhã de ontem, 1, o subcomando da Polícia Militar realizou uma coletiva de imprensa para tratar o assunto.  “ A ação iniciou quando a guarnição de plantão, que atendia o evento foi solicitada pela administração para conter a confusão que iniciou na entrada do banheiro feminino.  No momento os policiais advertiram verbalmente os brincantes  e os mesmo começaram a tirar as suas roupas publicamente em protesto. as prisões foram efetuadas, um dos policiais foi agredido fisicamente e a viatura foi apedrejada após a prisão,” detalhou o coronel Mário César.

Membros da Associação dos Militares do Acre afirmaram que irão consultar a Assessoria Jurídica da Corporação, para impetrar  uma ação civil contra os componentes que agrediram os policiais em serviço.          

                       


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.