Agroindústria de Tarauacá inicia processamento de açaí nativo

No Acre, o desenvolvimento florestal caminha a passos largos. No início desta semana, a Indústria de Processamento de Polpa de Frutas e Unidade de Empacotamento de Grãos (Agroindústria de Tarauacá) começou o processo de trituramento de açaí nativo. Estima-se que 40 toneladas da fruta sejam processadas em quatro meses – período de safra do fruto.

Inaugurado a menos de um ano, o empreendimento gerou dez empregos diretos e tem capacidade de produzir 540 quilos de frutas processadas por hora. A indústria, que é administrada pela Cooperativa Agroextrativista de Tarauacá (Caet), beneficia 150 famílias de cooperados que residem às margens de rios e igarapés da região.

O negócio atende à necessidade dos extrativistas em comercializar os produtos florestais, é o que explica o presidente da Caet, Adison de Souza: “Esta é a primeira agroindústria construída na nossa região. Aqui o produtor poderá agregar valor ao seu produto. É um incentivo do governo do Estado para que possamos produzir cada vez mais e com mais qualidade”.

Além de atender o consumo interno, a polpa de açaí nativo, em breve, será comercializada em outros centros brasileiros. “Daqui alguns meses estaremos abastecendo a Região Sul e Sudeste do Brasil. Nosso açaí é um produto muito valorizado e nós temos um potencial enorme que ainda não foi explorado”, destacou Sousa.

O empreendimento é fruto de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Florestal, da Indústria, do Comércio e dos Serviços Sustentáveis (Sedens) e Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof). Entre equipamentos e obras internas foram investidos R$ 400 mil.

Empacotamento de grãos

A Unidade de Empacotamento de Grãos já embalou mais de 500 quilos de farinha milito – especialidade de Tarauacá que tem feito sucesso em todo o estado. Além de farinha, em breve, o setor vai iniciar o empacotamento de feijão, milho e arroz. O empreendimento aguarda apenas o recebimento das embalagens personalizadas.

Agência Brasil


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.