Em Cruzeiro do Sul, Rocha busca parceria para atender crianças com autismo

O governador em exercício, Wherles Rocha, esteve nesta terça-feira, 29, no Centro de Tratamento de Integração Sensorial Referência em Transtorno do Espectro Autista – Centrin, criado através da iniciativa do médico Mazinho Maciel.

O médico, que investiu do seu próprio recurso para montar o espaço que atende crianças com autismo, conta com a parceria da prefeitura do município de Cruzeiro do Sul.

O prefeito Ilderlei Cordeiro, o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Paulo Cezar Santos, e o presidente da Associação Família Azul (Afac), Abrahão Púpio, acompanharam o governador Rocha à visita.

O espaço é adaptado exclusivamente para atender as crianças com autismo do município e conta com oito profissionais, entre eles: médico, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogos e psicólogos, que trabalham a integração e o tratamento especializado destas crianças.

Rocha conheceu a estrutura, os trabalhos desenvolvidos pelo Centrin e parabenizou o médico Mazinho Maciel pela iniciativa tão humana e social.

“É muito bom saber que há pessoas que pensam em seu próximo e agem para mudar a realidade, o que o doutor Mazinho fez ao criar este espaço é digno de premiação, pois ele exteriorizou o sentimento humano e com isso abre oportunidades a centenas de famílias que tem um filho ou filha com autismo”, enfatizou Wherles Rocha.

O governador em exercício disse que buscará articular juntamente com a Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres (SEASDHM) e a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), uma parceria entre o Governo do Estado e o Centrin, possibilitando que mais famílias possam ter acesso ao belo serviço oferecido pelo Centro.

“Irei conversar com a secretária Claire Cameli, ela é uma defensora desta causa e tem uma sensibilidade gigantesca, e com a secretária Mônica Kanaan, que se preocupa com atendimento de crianças autistas. Breve teremos uma excelente notícia para a população do Juruá”, completou o governador em exercício Wherles Rocha.

 

Agência


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.