Estudante acreana promove festa para arrecadar dinheiro e estudar engenharia de petróleo no Rio Grande do Norte

Aprovada em Engenharia de Petróleo na Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), situada em Mossoró (RN), em meados de julho, a estudante acreana Marina Sant' Ana, 19 anos, precisa se apresentar na referida instituição em meados de julho, para as aulas presenciais.

Em conversa com o jornalista Antônio Muniz, nesta quinta-feira, 23, no programa Entrevista da Tarde, ao vivo, na TV Rio Branco-Cultura, a jovem estudante acreana Marina Santana, afirmou que ousou romper as barreiras do patriarcado e ingressar carreira numa área com predominância masculina.

Aprovada para o curso de Engenharia de Petróleo na Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), no Rio Grande do Norte (RN), a estudante promove neste sábado, 25, em Rio Branco, a partir das 10 horas, no Recanto Food & Beer, o Pagode da Marina, evento beneficente para arrecadação de recursos que vão ajudar a custear a sua estadia em Mossoró.

Amante das disciplinas de exatas, Marina passou no Nacional do Ensino Médio (Enem), em 2020, mas só ingressou na faculdade em janeiro deste ano, por meio do Ensino de Educação à Distância (EAD), devido à pandemia da Covid-19. Em julho, deve se apresentar na Ufersa para o início das aulas presenciais.

Sou meio suspeita para falar do curso, pois eu amo meu curso. A Ufersa é maravilhosa também! Desde que comecei a estudar em EAD, os professores e coordenadores se preocupam em como estou indo, por conta da distância, destacou Marina.

Quanto ao interesse profissional nada comum, a acreana é enfática. Eu pesquisei bastante sobre o que eu queria fazer pra seguir carreira e, infelizmente, aqui no nosso estado não tem muita diversidade na área das exatas.

Mas, como sempre quis trabalhar na área de exatas, quando entrei no ensino médio, me apaixonei por química orgânica. E foi aí que casou tudo, revelou. Segundo ela, a bravura para desbravar universos socialmente masculinos e ir morar em outro estado, Marina atribui à sua educação. A minha família sempre foi uma família de mulheres feministas.

Aprendi que o lugar de uma mulher é onde ela quiser. E é surpreendente o como o cenário vem mudando nessas áreas, a metade da minha turma é composta por mulheres, conta a universitária, empolgada. Estudante de escola pública, Marina conta com a solidariedade de amigos e familiares para realizar o sonho de estudar na Ufersa.

O evento veio, primeiramente, com a ideia de ser apenas uma despedida só para os amigos. Mas, como eu estava precisando de dinheiro para minha estadia, meus amigos tiveram a ideia de transformarmos em um evento beneficente.

Os interessados em me ajudar podem entrar em contato por meio do número (68) 9 9916-3181. Além de feijoada, o Pagode da Marina vai contar com apresentação musical do grupo Stylo Black, afirmou.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.