Tião Bocalom faz balanço de 18 meses de gestão e afirma que o pior já passou

Antonio Muniz

Apesar de ter recebido a prefeitura saneada e com as contas equilibradas, o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (PP) teve muitas dificuldades no primeiro ano de governo e começou 2.022 sob pressão dos sindicatos, servidores e vereadores, até mesmo os que integram a base aliada na Câmara.

O prefeito não conseguiu resolver, no primeiro ano, o problema no sistema de transporte coletivo e nem avançar como queria, nos programa de recuperação dos ramais. Por isso, começou este ano com muitas demandas reprimidas, uma vez que a pandemia também prejudicou seus planos.

Em conversa com o jornalista Antonio Muniz, nesta quarta-feira, no programa Entrevista da tarde, ao vivo, na TV Rio Branco-Cultura, o prefeito afirmou que, aos poucos, conseguiu superar a maioria dos problemas. Por isso, fez balanço positivo dos 18 meses de gestão na Prefeitura de Rio Branco.

“A prefeitura era uma puxadinha do governo. Com a reforma administrativa, conseguimos mudar essa realidade. Claro que isso só foi possível por termos feito considerável economia de recurso no primeiro ano de gestão. O mais importante é que nossos servidores estão se sentindo valorizados, pois conseguimos oferecer a todos melhores salários e condições dignas de trabalho”, afirmou o prefeito.

Bocalom afirmou que que não foi convidado para a reunião dos prefeitos e deputados do PT, realizada há exato uma semana, na sede do PP. “Por uma questão e gratidão, eu continuo apoiando a permanência da senadora a Mailza Gomes no comando do PP e sua pré-candidatura à reeleição”, afirmou Bocalom.   

Assista, na íntegra, a conversa do prefeito Tião Bocalom com o jornalista Antonio Muniz, no programa Entrevista da Tarde, na TV Rio Branco-Cultura.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.