Cobija enfrenta desabastecimento de combustível e bolivianos recorrem aos postos do Acre

Por Wanglézio Braga

Os moradores da cidade boliviana de Cobija estão enfrentando uma crise na falta de combustível. O desabastecimento da gasolina e do diesel, além de alimentação, vem ocorrendo nos quatro cantos do país vizinho e em Pando não poderia ser diferente. Apesar do supercontrole por parte do governo na compra e venda de combustível na fronteira com o Acre, com a presença até de policiais da guarda boliviana, recentemente virou frequente a presença de bolivianos nos postos de gasolina das cidades de Brasileia e Epitaciolândia.

O combustível boliviano é considerado uma das mais baratas da América do Sul, perde apenas para o da Venezuela e também recebe subsídios do governo. Brasileiros, em especial os que moram em Brasileia e Epitaciolândia, sempre sonharam em abastecer os veículos no outro lado, em Cobija, por conta do valor pago pelo litro. Com pouco dinheiro é possível abastecer o tanque, enquanto que no Acre um litro de gasolina, por exemplo, chega a R$ 4,75. Mas, o forte controle do governo plurinacional impossibilita a realização desse sonho.

A alternativa dos bolivianos, que é bem mais cara, é abastecer nos municípios acreanos. Nos postos de combustível das cidades gêmeas o fluxo de motoristas da Bolívia cresceu principalmente de motociclistas que aproveitam a oportunidade para abastecer e levar em pequenos corotes gasolina, álcool e diesel.

Na tranca não existe fiscalização. Mototaxistas de Cobija pensam até em aumentar o valor da corrida dentro da cidade para descontar a escassez do produto. Hoje (22) o Senador Homer Menacho (UD), em coletiva a imprensa, pediu aos pandinos que “tenham calma tendo em vista que o Ministério de Hidrocarbonetos enviará no próximo sábado sete caminhos com combustível, isso vai garantir o abastecimento à população por alguns dias”.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.