Gladson, o governador que construiu dois hospitais em 60 dias

Na capital, o hospital de campanha está localizado nas dependências do Instituto de Traumatologia e Ortopedia (Into). Já em Cruzeiro do Sul, as instalações da unidade ficam anexas ao Hospital do Juruá.

Duas obras históricas, construídas em tempo recorde e que ajudaram a salvar a vida de milhares de acreanos. Assim podem ser definidos os hospitais de campanha erguidos pelo governo de Gladson Cameli em Rio Branco e Cruzeiro do Sul, e que foram fundamentais durante o período mais crítico da pandemia de covid-19.


Diferente de outros estados do país, os hospitais de campanha do Acre são de estrutura permanente e, hoje, reforçam o atendimento na rede pública de saúde.

De acordo com o governador e candidato à reeleição, Gladson Cameli, a saúde dos acreanos sempre foi tratada com prioridade em sua gestão.

“Foram oferecidos, para nós, a opção de hospitais de lona por valores muito altos. Mas como temos zelo e responsabilidade com o dinheiro público, conseguimos construir nossos hospitais de campanha com estrutura permanente e por um preço justo. Hoje, esses hospitais continuam sendo utilizados e têm salvado muitas vidas”, comentou.

Compromisso de Gladson para a saúde

Por conta da pandemia, todo o cronograma de investimentos que Gladson iria fazer em seu primeiro mandato precisou ser mudado e o foco principal foi salvar vidas.

Com esse obstáculo superado, o próximo governo de Cameli humanizará a saúde. O serviço de Telemedicina chegará aos 22 municípios. Além disso, assistência ambulatorial e hospitalar de média e alta complexidade será melhorada.

Outro compromisso de Gladson é construir a nova maternidade no Segunda Distrito de Rio Branco, uma obra aguardada há 70 anos. Em Cruzeiro do Sul, o esforço será na implantação do Hospital de Medicina Tropical do Juruá.

 

[Assessoria]


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.