Governador anuncia investimento de quase 10 milhões nas forças policiais durante encontro sobre segurança na fronteira

O Acre sediou entre os dias 20 e 21 de outubro o I Encontro de Segurança Fronteiriça Brasil-Bolívia. O evento teve como principal objetivo fortalecer as ações desenvolvidas pelas forças policiais dos dois países, bem como estreitar as relações interinstitucionais. Durante o encontro, houve ainda a assinatura de uma carta de intenções, que pontou uma série de itens referentes a adoção de estratégias no enfrentamento aos crimes transfronteiriços.

Brasil e Bolívia possuem a maior faixa de fronteira entre os países da América do Sul. Essa peculiaridade é responsável por grandes desafios a serem superados na área da Segurança Pública. Os 3.423 quilômetros que delimitam as duas nações são, em sua maioria, locais inóspitos, que acabam facilitando a prática de delitos, principalmente o tráfico de drogas, armas e pessoas, além da travessia de veículos roubados. Presente à solenidade, o governador Gladson Cameli fez um retrospecto positivo dos inúmeros investimentos realizados em sua administração em prol da Segurança Pública acreana. Sobre o tema específico do encontro, o chefe de Estado recordou a criação do Grupamento Especial de Fronteira (Gefron). Em atuação desde 2019 , a força policial tem se destacado por sua atuação firme no combate aos crimes fronteiriços.

“Aqui no Acre, criamos o Gefron para reforçar as ações de segurança nos milhares de quilômetros de fronteira que temos com a Bolívia e o Peru. Mas essa iniciativa do nosso governo, como todos sabem, não é o suficiente para darmos conta dessa imensa tarefa. Precisamos do apoio constante da Polícia Federal, do nosso Exército e da União com as forças de segurança dos países vizinhos”, declarou. Já o vice-ministro de Segurança Cidadã da Bolívia, Roberto Ríos Sanjinés, enalteceu a realização do encontro binacional. Segundo ele, os dois países precisam estar mais unidos e alinhados por meio de estratégias que resultem em duros golpes contra a criminalidade. “Estes espaços de irmandade entre os países vizinhos nos permitem coordenar ações para lutar contra a delinquência. Os delitos transnacionais merecem ter atenção não só das instituições federais, mas de todas as instâncias que temos nos dois países. É muito importante que a burocracia não seja obstáculo e nos permitam avançar”, afirmou.

Carta de intenções é assinada entre os dois países

Autoridades dos estados brasileiros do Acre, Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e dos departamentos bolivianos de Pando e Santa Cruz assinaram uma carta de intenções com 17 propostas para robustecer o combate a criminalidade na região de fronteira. O documento também foi referendado por representantes dos governos nacionais dos dois países. Entre os pontos pactuados, destaque para o intercâmbio entre as polícias bolivianas e brasileiras; criação de enlaces, por meio de grupos em redes sociais, para discussão de interesses no nível estratégico; patrulhamento policial conjunto na região de fronteira; promoção de atividades de capacitação integrada permanentes destinadas ao combate dos crimes transfronteiriços; implementação de tecnologia integrada de consulta de veículos; e implementação de tecnologia de busca de pessoas, em especial de indivíduos com mandados de prisão.

“Saímos deste encontro com uma carta de intenções com 17 estratégias pontuais, que potencializarão o combate aos crimes transfronteiriços, que passam pelo Brasil e Bolívia. É um grande avanço e o primeiro momento que estamos observando, efetivamente, ações integradas dos Estados brasileiros, independentemente de competência ou atribuição constitucional, no sentido de estabelecer o combate e a prevenção adequada a estes crimes”, explicou o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Paulo Cézar Rocha dos Santos.

Segurança Pública do Acre recebe novas viaturas, equipamentos e insumos

Como parte da programação do encontro, o governador Gladson Cameli fez a entrega de 31 viaturas policiais, 13 quadriciclos, equipamentos de informática, insumos para o Departamento de Polícia Técnico-Científica, coletes de proteção balística e capacetes balísticos. Ao todo, o investimento por parte do Estado foi de R$ 9,7 milhões.  “A Polícia Civil está recebendo viaturas específicas para o Departamento de Polícia Técnico-Científica, o nosso serviço de perícia, que é fundamental para atender e solucionar os inquéritos e investigações em andamento. São três viaturas caracterizadas e outras descaracterizadas, que servirão às equipes de investigação. São investimentos fundamentais e quem ganha com isso é a sociedade”, disse o diretor-geral da Polícia Civil, delegado Josemar Portes.

Nos próximos dias, mais 67 viaturas serão entregues a Segurança Pública. O governo do Estado não vem medindo esforços para combater o crime e restabelecer a paz entre as famílias do Acre. Desde o início da gestão Gladson Cameli, as forças policiais têm sido completamente reestruturadas. Somente na contratação de profissionais, mais de mil agentes das polícias Militar e Civil foram contratados. Muito em breve, novos concursos públicos serão realizados para reforçar os quadros das instituições que integram o Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp).

[Agência de Notícias do Acre]


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.