Uso de máscara no Acre continuará obrigatório, pelo menos até janeiro de 2022

No Acre o uso de máscaras continuará sendo obrigatório por tempo indeterminado, foi o que afirmou o governador Gladson Cameli neste sábado, 20. Cameli foi enático ao afirmar que por enquanto, não irá suspender a obrigatoriedade do uso de máscara em locais públicos. Com uma nova onda de contaminação na europa, fica cada vez mais dífícil relaxar nas medidas para contenção da Covid nos próximos meses.

Segundo o governador acreano, o objetivo é aumentar o número de pessoas imunizadas para assim, evitar a propagação do vírus, para isso, a secretaria de saúde do Acre está intensificando as campanhas de vacinação com objetivo de alcançar o maior numero de pessoas totalmente imunizadas. “Eu vou aguardar a vacinação das crianças acima de 5 anos da rede pública de ensino e observar os números”, disse.

Sobre a não obrigatoriedade do uso de máscaras, o governador disse que possivelmente em janeiro, o governo deverá suspender a obrigação, descartando qualuqe medida nesse sentido ainda este ano. “Só ano que vem. Esse ano vamos continuar reforçando a importância da vacinação”, explicou.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.