Secretário afirma que 1° encontro de Etnoturismo da Amazônia prova que o Acre está no caminho certo

Antonio Muniz A abertura do 1° encontro de Etnoturismo da Amazônia, foi feita na manhã desta sexta-feira, 20, pelo governador Gladson Cameli (PP), antes de viajar a Cruzeiro do Sul, onde também cumpre extensa agenda na manhã deste sábado, 21. A programação se deu no Teatro Hélio Melo e no Hotel Jardins Guesthouse, respectivamente, na presença do governador Gladson Cameli e de representantes do grupo de trabalho Rotas Amazônicas Integradas (RAI). Em conjunto, Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins buscam estratégias que visam divulgar e fortalecer o turismo da região. Este ano, o eixo trabalhado é o etnoturismo. E por atuar fortemente neste segmento, o Acre foi escolhido para sediar o evento. Em conversa com o jornalista Antonio Muniz, no programa Entrevista da Tarde, nesta quinta-feira, 19, o secretário de Empreendedorismo e Turismo (Seet), Dion Douglas, afirmou que o evento será realizado em conjunto com outros seis Estados Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, que buscam estratégias que visam divulgar e fortalecer o turismo da região. Este ano, o eixo trabalhado é o etnoturismo. “E por atuar fortemente neste segmento, o Acre foi escolhido para sediar o evento”, afirmou o secretário. John Douglas lembrou que temos 36 terras indígenas reconhecidas pelo governo federal, distribuídas em 12 dos 22 municípios acreanos. Muitas delas já recebem turistas nacionais e internacionais toda semana. Precisamos perpetuar esse conhecimento e costumes dos nossos povos indígenas, trazendo incentivos que fomentem ainda mais o turismo na região, e firmo hoje aqui meu compromisso”, disse o governador. O secretário afirmou que o etnoturismo é o tipo de turismo em que os viajantes conhecem de perto a vida, os costumes e a cultura de um determinado povo, especialmente povos indígenas. Este tipo de turismo é uma fonte de renda para as aldeias, que conseguem se sustentar financeiramente através deste tipo de negócio. Ele disse ainda que, o tnoturismo é uma denominação para o segmento do turismo que trata a etnicidade como um produto turístico. Esse conceito apresenta ainda diversas opções para atrair turistas, sem comprometer o meio ambiente. O Produto Interno Bruto (PIB) total do turismo caiu de US$ 115,7 bilhões em 2019 para USD$ 78 bilhões em 2020 (-32,6%) o PIB total do turismo representava 7,7% do PIB do Brasil em 2019 e passou a representar 5,5% os gastos do turismo doméstico no Brasil caíram -35.6% em 2020, mas já reagiu e forma positiva em 2021 e tem tudo para bater recorde em 2022. Douglas apresentou seu Plano de Políticas Públicas voltadas ao Etnoturismo e Sustentabilidade do estado, assim como o Plano de Desenvolvimento do Turismo nas regiões do Alto Rio Purus e Alto Rio Juruá. Representantes da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur) e do estado de Roraima/Boa Vista, também fizeram apresentações. “O Acre se tornou uma referência do Etnoturismo. Não é à toa que estamos sediando este primeiro encontro do grupo de trabalho RAI. Temos nosso plano de desenvolvimento sustentável para o turismo em dia e estamos aqui para debater, discutir e trazer soluções viáveis que ajudem a fomentar cada vez mais o turismo em meio aos povos indígenas”, destacou o secretário da pasta no Acre, Jhon Douglas da Costa. O representante da EmBratur, Gentil Venâncio, veio diretamente de Brasília para participar do encontro. Na sua oportunidade, reafirmou sua parceria junto ao grupo de trabalho e apresentou as ações da Agência aos presentes. “Não podemos perder essa oportunidade de colocar esses Estados da região Norte, com exuberâncias naturais, como destinos para esses turistas. Temos uma parceria com as Rotas Amazônicas Integradas e queremos fortalecer o turismo de vivência”, reforçou Gentil Venâncio, representante da Embratur. A programação se estende durante este sábado, 21, trazendo várias atividades que refletem a beleza e grandiosidade da cultura indígena. O dispositivo será aberto ao público e contará com apresentações, desfiles de artesanato, exposição de painéis, roda de conversa e uma mostra de vivências das comunidades indígenas. Rotas Amazônicas As Rotas Amazônicas Integradas (RAI) irão funcionar inicialmente com o segmento de pesca esportiva, com o desenvolvimento de um trabalho de promoção integrada envolvendo os produtos de pesca esportiva de todos os estados da região norte do país. A proposta partiu do Governador do Estado de Roraima Antônio Denarium, por meio da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento (Seplan), de Roraima e pelo Departamento de Turismo, visando construir um portfólio de produtos turísticos unificado com os principais atrativos de cada estado, com divulgação em revistas, mapas, redes sociais, sites, feiras, congressos e demais eventos direcionados ao turismo. A proposta visa propor alternativas para a inclusão dos produtos turísticos divulgados individualmente pelos Estados, com o objetivo de unir roteiros com perfis turísticos similares e, assim, elevar a atração de turistas nacionais e internacionais. A divulgação das rotas será feita por meio de material trilíngue que será produzido em parceria com todos os órgãos de turismo. Uma das primeiras iniciativas da ação é o Roraima Fishing Show, em maio de 2021, que deve contar com a presença dos secretários de turismo do norte do país para prestigiar o lançamento da revista de pesca esportiva em Roraima, que também vai contemplar os roteiros turísticos da região. A ideia contempla a criação de um site e material promocional dos estados vendendo a região norte e seu produto turístico. No Roraima Fishing Show será assinada a Carta do Turismo da Amazônia, que visa a consolidação da iniciativa das Rotas Amazônicas Integradas (RAI), que tem o objetivo de promover os produtos turísticos análogos dos estados da Região Norte, fortalecendo os estados e ampliando a integração turística em toda a Amazônia. Ao longo da ação novas medidas serão tomadas e executadas pelos gestores para construir uma agenda de produção de informações para compartilhamento entre os Estados, visando à integração de conteúdo promocional para peças publicitárias. Também está na proposta, a elaboração de um calendário de eventos híbridos (presencial e virtual) da região para lançar os segmentos prioritários em cada estado e à elaboração da Carta Turismo na Amazônia – Roteiros Amazônicos Integrados pelos secretários de Turismo da Região Norte. Expoacre-2022 A Expoacre 2022 será uma das maiores edições da feira agropecuária sediada no Acre. Marcada para ter início no dia 30 de julho, a tradicional exposição não acontece desde 2019 e, agora, na edição deste ano, vai atender a outra demanda que cresceu muito no estado: a agricultura. Com o objetivo de incentivar os investimentos em agricultura durante a Expoacre, diversos estandes do governo vão expor aos empresários, e também aos que querem empreender na agropecuária, os incentivos fiscais oferecidos pelo governo estadual para esse tipo de produção. Segundo Dion Douglas, um ponto importante da exposição neste ano é que os espaços de investimentos estarão abertos pela manhã e à tarde, o que proporciona um melhor aproveitamento ao expor os ciclos produtivos no Acre. Com mais períodos disponíveis, segundo o secretário, podemos apresentar aos empreendedores como entrar nos negócios agrícolas e do turismo, e mostrar o que fazer para se inserir nesse meio, dar orientações técnicas, adentrar no ambiente de negócio e apresentar os incentivos fiscais. Ainda segundo Dion Douglas, durante a feira serão trabalhados os Espaços de Oportunidades, que são estandes que mostram a possibilidade de investimentos em serviços, turismo e indústria no Acre. Economia sustentável Convivência com diferentes modos de existir costuma ser uma experiência transformadora. Para muitos, viajar não é só uma questão de escolha, mas uma verdadeira necessidade de alimentar a alma. Brasileiros e estrangeiros têm descoberto no turismo em terras indígenas vivências inesquecíveis, tão plurais quanto as especificidades desses povos ancestrais, que têm muito a dizer e a mostrar a quem se dispõe a ouvir e a observar. Mais do que a possibilidade de visitar belezas naturais intocadas, o turista em uma terra indígena tem a oportunidade de entrar em contato com línguas, narrativas, conhecimentos e comidas antes restritas a populações originárias e a uma pequena parcela de não indígenas

Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.