Governo intensifica serviços de pavimentação de ruas em Marechal Thaumaturgo

Os investimentos em pavimentação de ruas possibilita a melhora na qualidade de vida de uma comunidade, além de promover a ocupação de regiões de difícil acesso e facilitar as ligações entre áreas centrais e periféricas, como é o caso do bairro Poeirinha, em Marechal Thaumaturgo.

Nesta localidade, o governo do Acre, por meio do Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa) implementa placas de concreto armado como método de pavimentação de ruas, por apresentarem maior durabilidade para a superfície do município, que é muito instável.

Com essas obras, a comunidade que era praticamente excluída das demais partes da cidade, pois inexistia uma via de acesso à localidade, agora possui toda a estrutura necessária para proporcionar integração a outras regiões da cidade.

“Cerca de um quilometro de pavimento foi executado para gerar mobilidade aos moradores. Os serviços também seguem dentro da comunidade, na construção da rede de água e outras ações de saneamento básico”, destaca o diretor-presidente do Depasa, Edvaldo Magalhães.

“Uma nova realidade”, declara o morador Antônio Barbosa. Ele fica satisfeito ao constatar que a falta de acesso, a quantidade de lama e o matagal agora fazem parte do passado. “Sair de casa sem se sujar, poder ir à igreja tranquilamente, os meninos irem para escola sem sacolas nos pés, ter água tratada em casa, tudo isso era sonho que virou realidade, e de quebra ainda a valorizou a minha casa.”

O cronograma de trabalho no setor urbano do município também contempla tratamento de esgoto, módulos sanitários, sistema de tratamento e distribuição de água, além da construçãoda rampa de acesso ao terminal de transbordo.

No entanto, para efetuar todas essas obras, um desafio precisa ser superado: a dificuldade logística. Como Marechal Thaumaturgo possui apenas os acessos aéreo e fluvial, insumos como cimento, tijolos, brita, ferros e demais maquinários são enviados em grandes balsas vindas de Manaus (AM), no início do período de cheias dos rios.

“As chuvas que no período do inverno amazônico, lamentavelmente, alagam cidades e desabrigam pessoas. Porém, são as mesmas águas que enchem os rios e possibilitam uma melhor navegação para os meios de transportes que levam todos os materiais para potencializar os serviços na época do verão”, disse Magalhães.

O investimento da gestão Tião Viana é de R$ 23 milhões, oriundo de uma parceria do governo, por meio do Depasa e da Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan), e o Banco Mundial que realizam o Programa de Saneamento Ambiental e Inclusão Socioeconômica do Acre (Proser). Mais de 70% das obras do projeto já foram concluídas, com 7 dos 8,5 quilômetros pavimentos.

 

 

ANDRÉ ARAÚJO


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.