Sena Madureira celebra início da imunização contra a Covid-19

Primeira cidade do interior do Acre a iniciar a vacinação contra a Covid-19, Sena Madureira enfrentou momentos críticos durante a pandemia, com 19 mortes. Na tarde desta terça-feira, 19, na quadra coberta Aurino Brito, o governo do Estado, em parceria com a prefeitura, realizou o ato simbólico de imunização das primeiras pessoas. Um médico de 71 anos, um enfermeiro de 41, uma aposentada de 70 e uma auxiliar de enfermagem de 44 anos tomaram a primeira dose da vacina.

No total, 203 doses foram destinadas para a cidade nesta primeira etapa e serão destinadas exclusivamente para profissionais da saúde, explica a secretária Municipal de Saúde, Nildete Lira do Nascimento. Até a próxima sexta-feira, segundo Nildete, todas as doses serão aplicadas.

Participaram do ato a secretária Adjunta de Saúde, Paula Mariano, o prefeito Mazinho Serafim, a deputada estadual Meire Serafim, o promotor de Justiça Tales Ferreira Costa e profissionais da saúde.

A secretária adjunta destacou o esforço do governo do Estado para garantir que a vacina chegasse ao Acre e a todos os municípios simultaneamente. Ela lembrou a morte do pai para a doença e disse que hoje é um dia para celebrar. “Gratidão, gratidão e gratidão é a palavra que explica o dia de hoje. Estamos iniciando uma nova fase, que vai com certeza trazer alívio para nossa gente”, diz. 

A cidade ganhou um hospital de campanha, montado em uma parceria entre Estado e Município. Nesta terça-feira haviam cinco pessoas internadas.

Quem são os primeiros contemplados com a vacina em Sena Madureira

Elias Antônio de Moura, 71 anos. Médico com mais de quatro décadas de profissão. Durante os primeiros meses da pandemia parou de clinicar por insistência da família, mas voltou a atender no hospital da cidade, na linha de frente de combate à doença.

“Quero dizer aqui para os idosos iguais a mim que tomem a vacina, não tenham medo, porque é nela que está a nossa esperança”, conclama.

Antônio de Abreu Firmino, enfermeiro com 10 anos de profissão. Está na linha de frente desde o início da pandemia.

Ariane Sabóia, auxiliar de enfermagem. O irmão, o pai e um filho foram infectados pela doença, mas todos venceram a Covid. Depois de ser vacinada ela convidou a todos para rezarem a oração Pai Nosso.

Lucia Maciço Jaminawa, indígena, reside na comunidade Boca do Camarim, distante um dia de viagem da sede do município. Na aldeia dela residem cerca de 20 famílias. Lá nenhum caso de Covid foi registrado.

Covid em Sena Madureira

3.376 casos confirmados
2.884 curados

19 óbitos 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.