Gladson Cameli sanciona lei que cria o Programa Auxílio do Bem

Em mais um gesto de preocupação com o bem-estar social das famílias de baixa renda afetadas pela crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus, o governador do Acre, Gladson Cameli, sancionou, nesta sexta-feira, 16, a Lei Estadual Nº 3.729, que institui o Programa Auxílio Bem.

A iniciativa contemplará 18.880 famílias, nos 22 municípios acreanos, em vulnerabilidade socioeconômica, que ainda não foram beneficiadas com nenhum programa de transferência de renda ou assistências previdenciárias, como o Bolso Família, Auxílio Emergencial e seguro desemprego

Cada beneficiário do Auxílio do Bem receberá R$ 450 divididos em três parcelas fixas mensais de R$ 150. Além de colaborar com a proteção social e segurança alimentar de milhares de famílias, o governo do Estado contribui com o fortalecimento da economia local ao injetar R$ 9,5 milhões nos próximos meses.

Programa de transferência de renda é inédito na gestão estadual

Em seu discurso durante o ato de assinatura, Cameli frisou que esta é a primeira vez que um programa desta magnitude é criado pelo governo do Acre. Segundo o gestor, o Estado tem a obrigação de amparar famílias severamente afetadas pelas consequências da pandemia, sobretudo aquelas que ainda não foram ajudadas com nenhum tipo de repasse financeiro do poder público.

“Cuidar das pessoas é a nossa prioridade. Tanto é que esta é a primeira vez na história que o governo está dando um cartão para auxiliar famílias carentes. Infelizmente, temos vivido dias difíceis e ações como esta eu considero como grandes obras do nosso governo. Essa ajuda chega em boa hora e eu tenho certeza que contribuirá muito para que possamos atravessar essa pandemia”, argumentou.

Na oportunidade, o gestor fez questão de agradecer os deputados estaduais que ajudaram na criação do programa. De maneira unânime, o então projeto de lei foi aprovado pelos 24 parlamentares, na sessão virtual realizada no último dia 14 de abril.

Segundo a secretária de Assistência Social, Direitos Humanos e Políticas para Mulheres (SEASDHM), Ana Paula Lima, cada família receberá um cartão que será utilizado em estabelecimentos comerciais cadastrados para a compra de alimentos e outros itens de primeira necessidade.

“Diferente de outros benefícios, a família não precisa ir ao banco fazer o saque do dinheiro. Com o cartão, basta ir ao comércio e fazer o uso do crédito. Em cada município, pelo menos três estabelecimentos estarão devidamente cadastrados”, explicou.

Deputados estaduais enaltecem criação do Auxílio do Bem

Presente no ato, o deputado estadual e líder do governo na Assembleia Legislativa, Pedro Longo, parabenizou pela flexibilidade na utilização do valor disponível. “Com este cartão, as pessoas vão dizer qual é a sua prioridade. Muitas vezes, a prioridade não é uma cesta básica, mas um produto de higiene íntima”, comentou.

Já o deputado estadual Cadmiel Bomfim destacou a forma democrática de como a lei foi elaborada para garantir que o recurso disponibilizado seja utilizado em sua totalidade. “Se não forem atingidas as famílias, será permitido aumentar o valor ou abrir critérios para que outras pessoas sejam contempladas”, pontuou.

Participaram ainda do evento de assinatura o secretário da Casa Civil, Flávio Silva; e os deputados estaduais José Bestene e Luiz Tchê. [Agência de Notícias]


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.