Mazinho rouba cena na assinatura do pacote de obras de 6,9 milhões, elogia governador e pode voltar a ser aliado

Antonio Muniz 

No ato de assinatura de ordem de serviços e convênios para pacotes de obras estruturais de recuperação de espaços públicos e pavimentação a municípios do Acre, na manhã desta terça-feira, 14, na Escola Armando Nogueira, o prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim (MDB), acabou, de certa forma, roubando a cena ao elogiar o governador Gladson Cameli (PP). Eles foram parceiros e aliados político, mas estavam rompidos politicamente. No entanto, numa atitude de extrema grandeza, sabiamente, o prefeito decidiu dar uma trégua nos atritos políticos e encontrou, no governador, alguém disposto fazer praticamente o mesmo.

Além de Sena Madureira, foram contemplados os municípios de Porto Acre, Senador Guiomard, Capixaba, Acrelândia, Plácido de Castro e Feijó. O valor global do investimento será de R$ 6,6 milhões. Pavimentação de ruas e revitalização de espaços públicos fazem parte de pacote de obras que se estenderão, em breve, a outros municípios, inclusive os que compõem o Vale do Juruá. Cumprindo compromisso assumido em campanha, o governador Gladson Cameli continua trabalhar de maços dadas com todas as 22 prefeituras acreanas, sem levar em conta as cores partidárias e tampouco a ideologia política dos prefeitos.

Mazinho, que apoiou a eleição do governador em 2018, aproveitou a ocasião para aparar as arestas e divergências com o governador. “Vamos trabalhar de mãos dadas em parceria com o governo. Sena Madureira está de braços abertos para receber os investimentos do governo. Só quem ganha é o povo”, disse, mesmo ressaltando a falta de veículos para retirada de lixos no município.

O prefeito foi bastante aplaudido pela equipe governamental após rasgar elogios ao governador Cameli. Ao ser questionado sobre a “trégua” na troca de farpas com o governo, Serafim avisou que é pelo bem da população. “Vamos fazer parcerias, ano que vem nós vamos às eleições”, declarou.

Já o governador Gladson Cameli afirmou, em seu pronunciamento, que a parceria nada tem a ver com alinhamento político. “Não tem nada disso, vamos estar unidos e deixar as discussões políticas para o ano que vem. Não vamos antecipar os debates políticos”, afirmou o governador.

No pano de fundo de tudo isso, está o senador Sérgio Petecão, pré-candidato ao governo pelo PSD. Ele sonhava com apoio do MDB não conseguiu, sonhava com apoio da família Sales, que indicaria a deputada Jéssica Sales como vice; também não conseguiu; também sonhava com em ter Minoru Kimpara em sua chapa como candidato ao Senado, também não obteve êxito. As poucos, o sonhos do senador, que já foi aliado do governador, mas rompeu o início deste ano, estão virando terríveis pesadelos.

Os próprios aliados de Mazinho, último porto seguro de Petecão, dão como certo o apoio do prefeito à reeleição do governador Gladson Cameli, em 2022. O prefeito teria feitos as contas e chegou a conclusão de que não pode e nem deve trocar o certo pelo duvidoso. Por questão de justiça, devo abrir uma parente para destacar a atitude do secretário de Infraestrutura, engenheiro agrônomo e especialista em gestão pública, Cirleudo Alencar.

Na condição de ex-secretário municipal em Sena Madeireira, sua cidade de origem, e amigo pessoal de Gladson e Mazinho, ele foi o grande pacificador, o grande negociador e encontrou, em Mazinho, um prefeito disposto a ceder e compreender que, em nome dos interesses da população de Sena Madeireira, ele precisava rever suas atitudes e seu ímpeto. Quem conhece Mazinho sabe que ele, as vezes, é muito explosivo, mas não costuma guardar mágoas, nem rancores. Esses detalhes acabaram tornando a missão de Cirleudo menos espinhosa, mas não foi nada fácil. Certamente, os três amigos estão a respirar muito mais aliviados.

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.