Governador de Pando sai ileso da crise na Bolívia e pede paz na fronteira com o Acre

Por Wanglézio Braga

O clima tenso visto nos últimos dias na Bolívia, ao que parece, vem dando lugar ao sossego e acalmaria. Desde a renúncia do agora ex-presidente, Evo Morales, até a autoproclamação da nova presidente interina do Estado Plurinacional, Jeanine Áñez, anunciada ontem (12), trouxeram alívio para figurinhas políticas do departamento vizinho, de Pando, na fronteira com o Acre. Por lá, o prefeito de Cobija, Luís Gatty Ribeiro e o governador de Pando, Luiz Flores Roberts não seguiram a tendência da renúncia e muito menos foram impedidos.

Em meio aos protestos em Cobija, a casa de Luiz Flores Roberts foi apedrejada. De um lado, alguns repudiavam o seu apoio a Evo Morales para mais um mandato. Do outro, opositores ao Governo de Roberts encenavam um impedimento por não ter poderes suficientes para desbloquear as pontes bem como a fronteira com o Acre onde caminhões com combustível e mantimentos foram impedidos de entrar no departamento.  

Atrelado a turbulência na fronteira, o restante do país mostrava um cenário pior e bem divido mesmo com a queda de Evo Morales. Protestos violentos pipocaram de norte a sul. A casa de Evo em La Paz, uma loja de sua irmã, a residência do ex-vice-presidente foram alvos de rebeldes. Quem apoiava Morales e era contra os conflitos, passaram a aderir aos protestos e nas redes sociais grupos marcavam invasões e duelos. Por conta do caos, políticos e membros religiosos passaram a pedir a pacificação do país.

O governador de Pando, Luis Flores Roberts usou as redes sociais para agradecer aos moradores por não aderirem aos movimentos extremistas e disse que “prevaleceu a fé, a união e a amizade no seu departamento”.  Horas antes de escrever no Facebook, Flores convocou a imprensa para esclarecer que não estaria mobilizando pessoas da zona rural em prol de Evo que é do mesmo partido, o MAS.

“Agradeço a todos os funcionários e secretários do Governo Autônomo de Pando, aos fazendeiros indígenas de Pando, a membros da igreja e seus pastores, e especialmente à cidadania pandina por ter optado pela paz do Departamento. Prevaleceu a fé, a união e a amizade neste departamento. Que Deus continue abrigados com seu manto protetor a pando e a Bolívia”, escreveu Luis Flores.

Enquanto isso, na praça principal na frente do Palácio do Governo, a população realizou uma corrente de oração pregando união e paz. “Com uma oração temos pedido à população que retornem às suas casas, o mais importante é que prime à paz na Bolívia e no Departamento, que não haja rancor nem ódio entre os pandinos que a solução seja pacífica e democrática, recebemos a oração dos pastores para que nos dê sabedoria aos líderes políticos, civis, militares que devemos cuidar da vida e da integridade do povo”, ressaltou o governador.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.