Estado entrega alimentos a produtores rurais e famílias carentes do Juruá

Fomentado pela gestão de Gladson Cameli, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Agronegócio (Sepa), o Programa de Desenvolvimento Sustentável do Acre (PDSA) ajuda a fortalecer o agronegócio e sacia a fome de milhares de produtores rurais e famílias carentes da região do Juruá. Um total de 42 toneladas de alimentos foram entregues nos dias 6 e 8, quarta e sexta-feira, nos municípios de Rodrigues Alves, Marechal Thaumaturgo e Cruzeiro do Sul. 

O titular da pasta, Nenê Junqueira, acompanhou as doações e explicou que a pandemia levou o governo a suspender as feiras livres, o que deixou o agronegócio desassistido, pois não tinha para quem comercializar seus produtos. Foi quando surgiu a ideia de adotar uma medida emergencial para apoiar o setor e também famílias que perderam sua fonte de renda com o agravo da crise sanitária. O gestor detalha que o Estado compra os alimentos da agricultura familiar e repassa-os a cooperativas, que realizam a distribuição em forma de doação. Para Junqueira, é imensurável a satisfação de poder levar comida para a mesa de tantos acreanos.

“A maioria dos municípios acreanos tem gente favorecida com o PDSA. É dando auxílio que vamos trabalhando e ajudando a fortalecer a agricultura familiar. Isso nos deixa felizes, pois estamos ajudando a manter vidas”, refletiu. Com investimento superior a R$ 700 mil,  financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o programa distribuiu, nos três municípios, mantimento para 1700 famílias de baixa renda, cadastradas no CadÚnico ou no Bolsa Família. 

Morador da comunidade Flor do Tejo, zona rural de Marechal Thaumaturgo, Aluísio de Andrade se diz satisfeito porque o programa se tornou uma fonte de renda segura à família. “Anos atrás, a gente produzia, mas não tinha como comercializar. Chegamos a perder safras inteiras. Agora, a nossa realidade mudou. Com a fé que temos nesse governo e na sua equipe, acreditamos que a nossa realidade vai melhorar ainda mais”, declarou. Para a ribeirinha Rosenilsa Pereira, a ajuda é a única forma de subsistência para sua parentela. “Estou muito satisfeita. Eu não tenho outro recurso e é disso que sobrevivo. Agradeço ao governo e todos que estão envolvidos”, disse.

[Agência de Notícias do Acre]


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.