Em reunião com o ministro da Saúde, Alan Rick pede o cumprimento da Lei do Mais Médicos

O deputado federal Alan Rick (DEM), juntamente com o ex-ministro e deputado Ricardo Barros, reuniu-se na noite da última quinta-feira, 7, com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Na pauta, o Programa Mais Médicos. Também participaram da reunião representantes da Secretaria de Atenção Primária em Saúde - SAPS, responsável pela execução do Programa, a chefe do DSEI Alto Purus Carla Mioto e o deputado estadual Antônio Pedro (DEM/AC).

Na reunião, Alan destacou que os últimos editais do Mais Médicos foram publicados em desconformidade com a Lei do Programa ao excluírem o chamamento para médicos formados no exterior com habilitação para o exercício da medicina no estrangeiro.  “Não estão sendo cumprindo os incisos I e II, do §1º, do artigo 13, da Lei 12.871/2013, que instituiu o Programa Mais Médicos. A lei é clara quando diz que a seleção e ocupação das vagas ofertadas no âmbito do programa devem ser preenchidas por médicos brasileiros formados no exterior com habilitação para exercício da Medicina; e médicos estrangeiros com habilitação para exercício da Medicina no exterior”, disse o parlamentar.

E acrescentou: “são milhares de municípios e Distritos Sanitários Indígenas sem provimento médico da atenção básica por falta de profissionais. O chamamento desses médicos vai minimizar a demanda e, consequentemente, proporcionar o atendimento médico necessário à população que lhe é de direito. É fundamental que se cumpra a lei”. O ministro endossou o discurso do deputado sobre o cumprimento da lei. “O ministro disse que a lei precisa ser cumprida. Desta forma, estará reunindo sua equipe para tratar e resolver essa situação o mais breve possível”, falou Alan. Por fim, o deputado agradeceu ao ministro Queiroga pelo compromisso assumido em tomar as providências cabíveis. “Quero agradecer também o apoio de todos os integrantes da nossa Frente Parlamentar em Defesa dos Médicos Formados no Exterior”, finalizou.

[Assessoria]


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.