Dizer sim à vacina contra Covid-19 é dizer sim à vida

Coronavac e Oxford/AstraZeneca, e mais recentemente a Pfizer, na capital, são as três vacinas disponibilizadas para a imunização dos acreanos contra a Covid-19. As três, de acordo com a avaliação de especialistas e órgãos responsáveis, são eficazes para evitar que mais pessoas percam a vida para o novo coronavírus.

Entretanto, algumas pessoas ainda recusam o imunizante que, atualmente, é a arma mais poderosa que os estados possuem para vencer a luta contra a Covid-19. Qual o medo ou a preocupação? São os efeitos que podem ocorrer posteriormente às doses? Lembrando que ao nascer, regularmente, são aplicadas vacinas contra diversas doenças.

É desconfortável, mas é normal sentir algum efeito colateral após a aplicação de qualquer outra vacina, afirma o médico Osvaldo Leal: “Os efeitos indesejados são semelhantes às outras vacinas que tomamos durante a nossa vida”. Alguns grupos são mais suscetíveis à forma grave da doença, a exemplo, àqueles que têm comorbidades.

“Sabemos que as pessoas com comorbidades como diabetes, hipertensão e obesidade, por exemplo, têm mais chance de desenvolver as formas mais graves da doença e as vacinas contra a Covid-19 são as principais armas para evitar essas complicações. São seguras e eficazes”, enfatizou o médico.

Não pode ter medo

“A senhora sentiu medo, mãe?” Perguntou Samara Maia, filha de Itamara Santos, de 73 anos, que tem comorbidade e já recebeu a primeira dose da vacina Oxford/AstraZeneca. A idosa sentiu apenas efeitos leves, repousando por dois dias. E respondendo o questionamento da filha, diz: “Não, senti não”.

Itamara deixa um recado aos demais: “Se você não tomar vacina, pior vai ser para a gente de uma certa idade, que vai morrer mais cedo ainda. A pessoa não pode ter medo, é uma solução que Deus colocou para a gente não morrer de falta de ar nos hospitais”.

Ela também chama a atenção de quem já tomou a primeira dose da vacina contra a Covid-19: “Tem que tomar a segunda dose porque se não é mesmo que não ter tomado a primeira”.

A única esperança

Samara Maia conta que a família perdeu um ente querido para a Covid-19. A recomendação da família, segundo ela, é que não deixem a oportunidade de imunização escapar.

“A vacina é a única esperança que temos no momento, eu fiquei bem ruim com a Covid-19, e estou esperando ansiosamente pela minha vez. Não deixem de tomar”, alerta Samara Maia.

[Agência de Notícias do Acre]


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.