Marcus Alexandre explica por que deixou de ser candidato a deputado estadual para ser vice na chapa 100% PT

Da redação

Dando sequência à rodada de entrevistas com os pré-candidatos a vice-governador, o programa Entrevista da Tarde, recebeu nesta terça-feira, ao vivo, n TV Rio Branco-Cultura, o ex-prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre (PT). Ele é pré-candidato ao governo na chapa liderada pelo ex-senador Jorge Viana que tem c o pré-candidata ao Senado, a doutora Nazaré Araújo, que foi procuradoria-geral do Estado e vice-governadora.

Marcus começou a entrevista explicando os motivos pelos quais desistiu de ser candidato a deputado estadual, com vaga praticamente assegurada na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) para atender um convite de Jorge Viana e encarar tamanho desafio. “Pedi apenas um tempo para conversa com minha família, mas em seguida aceitei. Eu gosto de desafio e faço politica penando no coletivo, não em meus interesses próprios”, afirmou.

Ainda segundo Marcus, nesses dois meses de pré-campanha pra deputado estadual, andou muito por Rio Branco e em alguns municípios. Fez muitas visitas e reuniões e obteve um diagnóstico dessas andanças e da situação da maioria da população, seja na capital ou no interior. “Nossa população encontrasse abandonada, mas ainda sonha com um Acre melhor. E é essa espera que nos motiva a voltar ao cenário político e fazer algo e favor das pessoas humildades que tanto precisam de apoio do poder púbico”, disse.

Ele lembrou que, em 1999 foi convidado pelo então secretário de Planejamento, economista Gilberto Siqueira a vir para o Acre. Até 2002, no primeiro mandato do governador Jorge Viana. Marcus Alexandre foi o Gerente de Projetos da Seplan, onde teve a oportunidade de conhecer os vinte e dois municípios do Estado do Acre. 

De 2003 a 2006, no segundo mandato do governador Jorge Viana, foi secretário adjunto de Planejamento do Estado, coordenando as operações com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). 

De janeiro de 2007 a maio de 2012 foi o Diretor-Geral do Deracre, tornando possível a realização de várias obras de infra-estrutura, destacando a construção da BR-364, com todas as grandes pontes e o Programa Ruas do Povo em Rio Branco.

Ele também foi chefe do Departamento de Planos, Programas, Projetos e Captação de Recursos, da Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação, Rio Branco – Acre, de março de2001 a dezembro de 2002; diretor Geral do Deracre Departamento de Estradas de Rodagem, Infraestrutura Hidroviária e Aeroportuária do Acre de 2007 a 2012.

Perfil

Marcus Alexandre tem 45 anos, é Engenheiro Civil formado pela Universidade Estadual de São Paulo, com especialização em Team Management: Desenvolvimento de Competências Gerenciais pela Fundação Getúlio Vargas FGV/ISAE. 

É casado com a Engenheira Civil Gicélia Viana, pai do Gael, Ian e Caio, filho de Tânia de Cássia Médici Aguiar e Ademir Aguiar. É natural de Ribeirão Preto (SP). Foi eleito prefeito de Rio Branco-Acre em 2012, com 90.557 votos, o que representa 50,77 por cento dos votos válidos. 

Em 2016 foi reeleito prefeito de Rio Branco, onde obteve 104.311 votos, o que representa 54,87 por cento dos votos válidos. Em 2018 concorreu ao governo do Acre e obteve 144.071 votos, o que representa 34.54% dos votos.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.