Governo realiza atualização cadastral em propriedades rurais de Feijó

Em etapa preparatória para a realização do Inquérito Epidemiológico de Prevalência de Tuberculose e Brucelose Bovina no Acre, equipes do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf) estão fazendo uma atualização cadastral em propriedades de difícil acesso.

Em Feijó, na última semana, técnicos percorreram os rios para coletar informações que vão servir de base para o inquérito que credencia o estado como livre dessas doenças.

Percorrendo os rio Paraná do Ouro e médio Envira, a equipe visitou mais de 40 propriedades.

A chefe da unidade do Idaf em Feijó, médica veterinária Mariana Benevides, falou sobre o trabalho realizado: “A perspectiva da proximidade do Idaf aos produtores de difícil acesso estreita os laços que devemos ter, o que uma garante uma melhor defesa animal em nossa região”.

Com um rebanho bovino estimado em mais de três milhões de animais, o Acre tem uma meta de permanecer livre da aftosa e outras doenças.

“O estado é reconhecido como zona livre da doença há 11 anos pela Organização Mundial de Saúde Animal, resultado do compromisso de nossos técnicos e equipes”, afirma o diretor-presidente do Idaf, Ronaldo Queiroz.

Em 2016, o instituto atingiu a cobertura de 98,7% de vacinação do rebanho. “Produtores que mantêm seus animais sadios fazem questão de mostrar os animais”, afirma Mariana, explicando também que foram visitadas unidades em busca de inadimplência e que tenham faltado realizar a vacinação nos animais.

Inquérito

Seguindo o cronograma para o inquérito, na próxima semana será realizada uma capacitação dos técnicos, agentes agropecuários e médicos veterinários para coleta e organização das informações.

A atividade faz parte de um convênio com o Ministério da Agricultura que reestrutura e implementa o Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa) e fortalece as ações de defesa agropecuária.

Serão cerca de 600 propriedades visitadas, nas quais será feita a coleta em animais acima de 24 meses. “Temos uma ótima equipe, coesa e comprometida com o serviço de qualidade. Vamos chegar em cada uma dessas propriedades com veterinários e agentes agropecuários, de barco, a cavalo, de quadriciclo, não importa como seja”, afirma Ronaldo.

 

Agência


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.