Idaf lança campanha de vacinação contra a febre aftosa em Acrelândia

O Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf) lançou no sábado, 5, a segunda fase da 36ª Campanha Estadual de Vacinação contra a Febre Aftosa. O evento foi realizado na Colônia Correia, localizada na rodovia AC475, zona rural de Acrelândia.

O município foi o único a atingir a meta da vacinação na primeira fase. “Acrelândia tem um rebanho de 184 mil cabeças de gado e conseguiu alcançar 100% do rebanho em maio deste ano, por isso escolhemos a cidade pra lançar a 36ª campanha”, disse o diretor- presidente do Idaf, Ronaldo Queiroz.

A vacinação contra aftosa é obrigatória por lei, mas para Ciro Eduardo Correia, produtor agropecuário, a prevenção da doença sempre foi prioridade. “Estou há 13 anos no Acre e antes da vacinação ser obrigatória por lei eu já vacinava meu gado por entender a importância de combater a aftosa”, comentou.

Segundo o prefeito de Acrelândia, Ederaldo Caetano, a base da economia local é a pecuária e a vacinação dos animais é prioridade. “Estamos atentos com as questões sanitárias dos nossos animais, é interesse da prefeitura dar todo apoio ao trabalho do Idaf para mantermos nosso rebanho sadio, livre da aftosa e outras doenças”, disse o prefeito.

dsc_9475

O Acre possui um rebanho de dois milhões e 800 mil cabeças de gado (Foto: Alexandre Noronha/Secom)

A segunda fase da vacinação contra febre aftosa se encerra no próximo dia 30 de novembro. O Acre tem dois milhões e 800 mil cabeças de gado e de acordo com o médico veterinário gerente de defesa sanitária animal do Idaf, José Barbosa, o estado possui estoque de vacina suficiente para vacinar todo o rebanho nas lojas agropecuárias.

“O produtor deve ir às lojas agropecuárias adquirir doses suficientes para imunizar todo o rebanho e depois de realizar a vacinação tem que declarar nos escritórios do Idaf, observando o sexo e a idade dos animais”, explicou o veterinário.

O Acre é considerado área livre da doença bovina há mais de uma década e o esforço do Idaf para isso é recorrente. O estado também está entre os 14 estados brasileiros que estão livres da peste suína clássica com certificado internacional pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

Agência


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.