Senador afirma que há esquerdistas demais em cargos estratégicos no governo

Antonio Muniz

Senador Marcio Bittar, relator do Orçamento-Geral da União (OGU) e vice-líder do governo no Senado, afirmou nesta terça-feira, 04, que existem esquerdistas demais em cargos estratégicos no governo estadual. Bittar foi entrevistado pelo jornalista Antonio Muniz, no programa ``RB Notícias'', ao vivo, na TV Rio Branco-SBT.

“Ajudei a construir o atual governo, fui o primeiro a lançar a candidatura de Gladson Cameli ao governo e continuo aliado, mas não posso ficar calado diante do grande número de esquerdistas exercendo cargos importantes em um governo assumidamente de direita. O pensamento desse pessoal continua o mesmo”, afirmou.

Ainda segundo o senador, os esquerdistas estão em praticamente todas as secretarias, tanto na capital, quanto no interior. O governador, segundo o senador, precisa entender que a mentalidade desse pessoal não mudou e nem vai mudar. Na verdade, segundo ele, muitos desses esquerdistas prejudicam o governo com objetivo de fortalecer as lideranças de esquerdas que foram derrotadas na disputa eleitoral de 2018. Bittar afirmou que continua aliado do governador Gladson Cameli e pretende apoiar sua reeleição, mas deixou claro que sua maior prioridade é reeleger o Presidente Jair Bolsonaro. Ainda segundo o senador, é muito complicado conviver com gente que exerce cargo no governo e vive atacando o presidente Bolsonaro e fazendo apologia às ideias socialistas e comunistas.

Ajuda ao Acre

Segundo Marcio Bittar nenhum presidente ajudou tanto o Acre e o povo acreano quanto Jair Bolsonaro. “E vai ajudar muito mais, mas para isso, o governo estadual precisa agilizar a elaboração de projetos para podermos assegurar os recursos financeiros. Somando os valores que deixaram de ser pagos por um ano referentes às operações de crédito e os recursos liberados para ações de prevenção e combate ao novo coronavírus, o Acre recebeu mais de R$1 bilhão em menos de um ano.

Em defesa do ministro

Marcio Bittar saiu em defesa do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles acusado de defesa de interesses de grupos de empresários que estariam a explorar madeiras de forma ilegal. Sales foi vítima de queixa crime apresentada pelo superintendente de Polícia Federal de Rondônia, delegado Alexandre Saraiva. Segundo Bittar, a atitude de Saraiva foi de alguém que atuava não apenas como delegado, mas ativista de esquerda. Ainda de acordo com Bittar, tudo não passa de revanchismo, uma vez que o ministro acabou com a farra das ONG que viviam se apossando indevidamente de recursos do Fundo Amazônia.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.