Carros-pipa auxiliam a distribuição de água em Porto Acre

O fluxo de abastecimento de água das cidades de Rio Branco, Brasileia, Bujari e Porto Acre recebem o apoio de 13 caminhões-pipa, articulados pela Defesa Civil Estadual com o Ministério da Integração após publicação do decreto de situação de emergência assinado em agosto pelo governador Tião Viana.

Os efeitos da atual estiagem continuam a impactar os quatro municípios, mesmo com o início do período de chuvas. Um dos exemplos é o caso de Porto Acre, onde parte da comunidade residente na área rural convive com o nível reduzido dos poços domiciliares.

Como forma de garantir o acesso à água potável para essa população, o Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa),  utiliza um caminhão-pipa para  atender as demandas emergenciais.

“Uma equipe técnica detecta pontos críticos de água da cidade e posteriormente encaminha o veículo para atender os moradores que enfrentam dificuldades de abastecimento causadas pela seca em seus reservatórios”, destaca o diretor-presidente do Depasa, Edvaldo Magalhães.

O alcance deste serviço tem a perspectiva de atender mais de mil famílias, tanto em Porto Acre, quanto nas Vilas do Incra e do V, além de reforçar a distribuição de água tratada em espaços públicos como escolas e postos de saúde.

“O auxilio do carro-pipa ocorre todos os dias, de modo intercalado entre as comunidades. Como a demanda é grande e algum consumidor necessite desse atendimento, ele pode entrar em contato por meio dos números telefônicos 3262-1029 e 99978-2311”, informa o gerente do Depasa em Porto Acre, Raimundo Chaves.

Francilene de Oliveira, moradora do Loteamento Garrincha, comenta que após a vistoria da equipe do Depasa, ela organizou todos os baldes, limpou a caixa d’água para receber o abastecimento do caminhão-pipa.

 “Os afazeres de casa, principalmente os cuidados com as crianças pequenas estavam prejudicados, pois o açude de onde pegamos água está quase seco. Porém, essa ajuda chegou na hora certa e estamos enchendo tudo usando essa água sem deixar desperdiçar nenhuma gota”, disse.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.