Caravana da Produção chega ao município de Porto Acre para ouvir produtores

Distante aproximadamente 60 km da capital Rio Branco, o município de Porto Acre é referência na produção de melancia no estado. Antes da pandemia, no mês de setembro, costumava acontecer na região a temporada dos festivais de praia, em que os produtores de melancia tinham a oportunidade de negociar diretamente com os consumidores.

Mas nem só de melancia vivem os produtores da região, mas de plantações de abacaxi, graviola e pepino. A caravana da Produção pôde constatar isso pessoalmente em mais uma edição do projeto, realizada na manhã desta sexta-feira, 30. Para o secretário de Estado de Produção e Agronegócio do Acre, Nenê Junqueira, além de produtividade, o município carrega ainda um importante valor histórico. “Nós sabemos que Porto Acre é considerado o berço da Revolução Acreana, e foi aqui neste chão em que hoje plantamos e colhemos, que no passado nossos conterrâneos travaram uma batalha para garantir que o nosso querido estado do Acre hoje pudesse pertencer ao Brasil. E é justamente por ter consciência de toda a memória histórica que esse município carrega, que nós estamos aqui hoje, à pedido do governador Gladson Cameli para fortalecer esse compromisso de incentivar cada vez mais o produtor rural dessa região.“, disse.

A visita da caravana iniciou com um café da manhã no escritório local da Secretaria de Produção e Agronegócio do Acre – Sepa, e em seguida a equipe visitou a prefeitura e a câmara municipal. Ao lado do prefeito da cidade, Bené Damasceno, do senador Marcio Bittar, do vereador de Rio Branco, Emerson Jarude, e de vereadores da região, o titular da Sepa, Nenê Junqueira e sua equipe foram a campo conhecer a realidade dos produtores locais.

A produtora de peixes, Silvinha Gonçalves, moradora da região, já atua no segmento há 6 anos e possui 1.300 peixes, entre eles Piau e Tambatinga. Para ela, ações que incentivem o pequeno produtor vem sempre a somar. “Essa visita aqui é muito importante para a gente, porque vai dar muita força para nós, produtores, que vivemos da piscicultura, porque a gente precisa ter um custeio mais em conta já que a gente não pode trabalhar com um preço mais alto, e o governo nos dando esse suporte é possível aumentarmos a produção.”

O agricultor Adenilson Pereira, mais conhecido como Julinho, é produtor de abacaxi e melancia há 4 anos e nos seus 30 hectares de terra já plantou mais de 100 mil pés de abacaxi. O produtor explica que para conseguir bons resultados é fundamental o apoio do governo.

“Esse apoio é necessário para nós, desde a logística até a parte de escoamento da produção, todo esse auxílio é muito importante e se Deus quiser, de agora em diante, vamos reafirmar ainda mais a nossa parceira com a Sepa para obter melhores resultados”, disse.

Após finalizada a agenda de visita aos produtores, o senador, Marcio Bittar aproveitou para anunciar a liberação de uma verba no valor de R$ 100 milhões que o Ministério da Agricultura vai disponibilizar para investimentos no setor produtivo.

“Ontem mesmo conversei com o secretário Nenê Junqueira, na Sepa, e pude comunicar a ele que algo em torno de 100 milhões de reais já está garantido no ministério da ministra Tereza Cristina, que aliás é muito competente, para que agora o secretário juntamente com nosso governador, Gladson Cameli, possam ver quais são as prioridades, para distribuírem da melhor forma esses recursos ”, disse.

[Agência de Notícias do Acre]


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.