Vereador Arnaldo Barros afirma prefeitura abandonou o Conjunto Ilson Ribeiro

Antonio Muniz

“Descaso e abandono”, assim define o vereador o vereador Arnaldo Barros (Podemos) o que está ocorrendo hoje no Conjunto Ilson Ribeiro, na Regional Calafate. O parlamentar pontuou sobre a recente visita que fez ao local e relatou, por meio de apresentação de vídeo, os anseios da comunidade. “Estive por dois dias no Ilson Ribeiro, o que a gente percebe é um descaso e abandono do poder público, buracos, saneamento básico, falta iluminação, não tem segurança. Descaso com 233 famílias, a comunidade pede socorro as autoridades de Rio Branco”, afirmou o parlamentar. Arnaldo Barros ainda destaca o protesto pacífico realizado na região do Quixadá “Eu fiz a indicação em prol dos oradores da referida região mas só foi atendida depois da manifestação. O que a gente percebe é que agora vai ser assim, não tem diálogo, não somos ouvidos” O parlamentar também critica a cartilha que ensina os motoristas a trafegarem nas ruas de Rio Branco. “O povo está muito decepcionado com algumas ações da Prefeitura de Rio Branco”, afirmou. Segundo ele, o prefeito Tião Bocalom precisa miudar sua forma de agir.

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.