Colunistas

Governo adota mecanismos para evitar saída ilegal de castanha para o mercado exterior

Por meio da Secretaria de Indústria Ciência e Tecnologia (Seict) e da Casa Civil, o governo do Estado, atende reivindicação das indústrias de beneficiamento de castanha no Acre para intermediar ações que venham criar mecanismos legais para controlar a saída ilegal do produto pelas fronteiras do Acre com o Peru e a Bolívia, o que, segundo os empresários do ramo, gera evasão de receita para o Estado e um comércio desfavorável para as indústrias acreanas.

Estudar uma solução conjunta e encaminhamentos para resolver a questão foi a primeira ação do governo. Dessa forma, nesta quinta, 22, o Gabinete Civil e a Seict reuniram representantes de instituições como Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz), Receita Federal, Polícia Federal, Federação das Indústrias do Estado do Acre (Fieac), Ministério da Agricultura, entidades representativas dessa indústria e empresários.

O gestor da Seict, Assurbanípal Barbary de Mesquita, falou sobre o papel do governo em juntar as instituições para discutir os mecanismos para coibir a saída da castanha do Acre, lembrando como o produto é importante para a economia local, pois assegura a renda de muitas famílias que vivem do extrativismo, sendo o segundo de maior destaque nesse quesito.

“Ficou encaminhado que o governo do Estado vai dar andamento num projeto de lei que coíba a saída da castanha in natura e incentivos para que saia do Acre processada para os países vizinhos e não aumente os incentivos, para que todo esse processo seja feito por empresas locais.

Segundo o presidente do Sindicato de Indústrias Florestais (Sindflor), Eder Frank Ribeiro, mais de 40 mil toneladas de castanha foram exportadas do Acre nos últimos quatro anos, sem gerar riquezas para o estado, pois saem in natura, com preços irrisórios, são beneficiadas no Perú e na Bolívia para depois serem revendidas no Brasil a preços exorbitantes.

Claro que essa saída da nossa castanha, sem controle pelas fronteiras acreanas, prejudica nossas empresas e o desenvolvimento regional como um todo, ao passo que gera evasão na receita estadual. Por isso, o governo age de forma correta ao adotar mecanismo que possam dificultar a ação dos que insistem em obter lucro de forma clandestina.

Exportações

Governador Gladson Cameli (PP) anunciou importante conquista para o Acre, a autorização para exportação de carne suína e bovina para o país vizinho, Peru. A autorização terá vigência de três anos. “Mais uma grande vitória para o nosso Acre”, afirmou o governador.

Autorização

O governo peruano autorizou a exportação da carne bovina acreana. Obrigado, meu Deus. Obrigado a todos que nos ajudaram a alcançar essa grande conquista”, comemorou Gladson Cameli em suas redes oficiais.

Vistoria

Após vistoria in loco às dependências da Agroindústria Dom Porquito e do Frigorifíco Frisacre Santo Afonso, foi constatado pelo Ministério da Agricultura, que ambos atendiam todas as exigências sanitárias para exportação de carne suína e carne bovina desossada e miudezas para o Peru.

Antecipação

Salário referente ao mês de dezembro dos servidores públicos estaduais será adiantado de 27 de dezembro para este sábado, 24. A confirmação foi dada pelo próprio governador Gladson Cameli, que utilizou as redes sociais para fazer o anúncio na tarde desta sexta-feira, 23.

Valorização

“Essa é uma forma de valorizar os nossos servidores, que tanto ajudam no crescimento e desenvolvimento do Estado”, destacou o governante. Nesta mesma data, o governo também efetuou o pagamento aos aposentados e pensionistas. Ao todo, mais de 52 mil servidores ativos e inativos serão contemplados.

Economia mais forte

Na véspera do Natal, data mais importante para o comércio, o Estado injetará R$ 317,1 milhões na economia local. A antecipação salarial se tornou bastante comum nos últimos quatro anos, resultado de uma gestão responsável e que não mede esforços para honrar o funcionalismo público.

Mais de meio bilhão

Somente em dezembro, o governo acreano colocará em circulação cerca de R$ 570 milhões. O montante corresponde aos vencimentos mensais, segunda parcela do décimo terceiro salário e o abono salarial aos profissionais da Educação, que estará disponível na próxima terça-feira, 27.  Até o fim do mês, o Estado também pagará as verbas rescisórias dos servidores nomeados em cargos de comissão.

Verbas rescisórias

Os servidores com vínculo de agentes políticos ou ocupantes de cargos em comissão a serem exonerados em 31 de dezembro terão o pagamento das verbas rescisórias realizado até o dia 30, não havendo, nesses casos, a necessidade de abertura de processo administrativo individual, e nem a realização do cadastro de credor junto à Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz).

Processo administrativo

Já para os servidores com vínculo de agentes políticos ou ocupantes de cargos em comissão que foram exonerados antes do dia 31 deverão abrir processo administrativo individual, requerendo as verbas rescisórias. Os pagamentos têm previsão de início em fevereiro de 2023.

Professor aloprado

Um professor de geografia da Escola Estadual Camilo Dantas, em Boa Vista (RR), defendeu em sala de aula o comportamento de ladrões. As conversas foram gravadas e divulgadas nas redes sociais. No áudio, é possível ouvir o diálogo entre o docente e um aluno sobre o armamento da população.

Defensor de ladrão

“Mas a gente fala: ‘Nossa, isso é um erro, né?’. A pessoa estar armada. Mas a gente não pensa na hora em que o ladrão está armado, é errado a pessoa de bem estar armada para se defender”, disse o aluno. Irritado, o professor interrompe com a pergunta: “Quem é que é a pessoa de bem?”.

 

 

 

 

 

Artigos Publicados

Coluna temporariamente suspensa