Colunistas

Mourão elogia governo em ações de prevenção e combate aos crimes ambientais

Vice-presidente da República e presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal, general Hamilton Mourão, conheceu nesta quarta-feira, 23, o trabalho desempenhado pelo Governo do Estado do Acre no enfrentamento ao desmatamento ilegal, por meio do Centro Integrado de Geoprocessamento e Monitoramento Ambiental (Cigma). Com suporte tecnológico, ferramentas geoespaciais e técnicos capacitados, o Cigma oferece informações qualificadas para direcionar as estratégias de políticas do governo. O centro é coordenado pela Secretaria de Meio Ambiente (Sema) e conta com a parceria do Instituto de Meio Ambiente (Imac), o Instituto de Terras (Iteracre), o Instituto de Mudanças Climáticas (IMC) e a Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac).

A diretora-executiva da Sema, Vera Reis Brown, apresentou ao vice-presidente Mourão o serviço desenvolvido pelo Cigma e o grandioso esforço do governo estadual na fiscalização e combate aos crimes ambientais. Utilizando-se de um conjunto de modernos satélites espaciais, a unidade consegue identificar, em tempo real, focos de calor em todo o território acreano. Além disso, o local é responsável pelos monitoramentos hidrológico e meteorológico. Hamilton Mourão elogiou a estrutura utilizada pelo governo do Estado no combate às queimadas e citou ainda que dos 18 pontos mais críticos de fogo permanente na Amazônia, nenhum deles fica no Acre. Para o gestor, o trabalho desempenhado no Cigma é um exemplo.

Os número referentes às queimadas foram apresentados ao presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal. Entre janeiro e 11 de setembro, houve redução de 16,7% em comparação com o mesmo período de 2019, no Acre. Somente em setembro, mês considerado mais crítico, a queda é de 90%. Desde maio, operações com a participação de diversos órgãos do governo e outras instituições estão sendo realizadas em todas as regiões do estado para coibir os crimes ambientais. Todo este aparato tem sido fundamental para que os resultados positivos sejam alcançados.

O governador Gladson Cameli demonstrou preocupação em combater o considerável aumento de invasões em florestas públicas. Segundo a diretora-executiva, grileiros experientes neste tipo de crime estão atuando no Acre, apesar da constante fiscalização. “Identificamos pessoas de São Paulo, Rio de Janeiro e Rondônia que vêm com toda estrutura fazer o desmate, fazem a demarcação da área e depois vendem. Se não fosse o nosso trabalho e a atuação da Polícia Militar, a situação estaria bem pior”, enfatizou.

Construído na gestão de Gladson Cameli, em abril deste ano, o Centro é formado pela Sala de Situação e Monitoramento Hidrometeorológico, Unidade Central de Geoprocessamento (Ucegeo), o Escritório Técnico de Gestão do Cadastro Ambiental Rural e do Programa de Regularização Ambiental (CAR-PRA), além da Divisão de Geoprocessamento do Imac. Uma ampla explanação foi apresentada ao vice-presidente sobre os objetivos traçados pela atual administração no que diz respeito ao desenvolvimento econômico e social baseado na sustentabilidade e respeito ao meio ambiente. Um deles foi o Zoneamento Ecológico Econômico (ZEE), com o potencial dos 22 municípios.

Compromisso

Governador Gladson Cameli reafirmou o compromisso de sua gestão com a preservação ambiental. Defensor do progresso do Acre, por meio da geração de emprego e renda, o gestor pontuou que é completamente viável aliar desenvolvimento com sustentabilidade. Disse também que não tolera o desmatamento ilegal e que as regras estabelecidas no Código Florestal são cumpridas no estado.

Preservação

“O Acre possui 85% de seu território preservado e temos feito tudo que é possível para que continue assim. Nosso governo respeita e entende a importância do meio ambiente. Quero dizer ao vice-presidente que não toleramos qualquer tipo de pressão ou desrespeito ao novo Código Florestal. Inclusive, temos sido rigorosos contra aqueles que ainda insistem em desmatar a floresta de maneira ilegal”, afirma o governador.

Agradecimento

O governador agradeceu o apoio que vem recebendo do governo federal e da atenção dada pelo vice-presidente da República na área ambiental. “Esta é a segunda vez que o general Mourão vem ao Acre e isso demonstra o quanto ele está empenhado em ajudar o nosso estado. Gostaria de deixar registrado o meu agradecimento à União, que sempre tem procurado atender nossas demandas”, ressaltou.

Agenda positiva

Secretário estadual de Meio Ambiente, Israel Milani, classificou como positiva a agenda com o vice-presidente Hamilton Mourão e revelou que a tecnologia utilizada pelo Cigma na identificação de derrubada ilegal da floresta está entre as melhores do país. “Apresentamos o que temos de melhor na questão de monitoramento e geoprocessamento no Acre. O vice-presidente sai muito animado com tudo o que viu aqui”, afirmou.

Acompanhamento

A visita de Mourão ao Acre foi acompanhada, ainda, pelo secretário da Casa Civil, José Ribamar Trindade; pelo secretário de Justiça e Segurança Pública, Paulo Cezar Rocha dos Santos; pela secretária de Comunicação, Silvania Pinheiro; pelo diretor-presidente do Instituto de Meio Ambiente do Acre, André Hassem; e o comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, general Luciano Batista de Lima.

Ministros

Os ministros das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, estarão em Cruzeiro do Sul no Acre nesta sexta-feira, 25, em agenda com empresários e políticos brasileiros e peruanos para tratar da integração dos dois países pela BR-364, passando pelo Parque Nacional da Serra do Divisor até Pucallpa. A Federação das Indústrias, Sebrae e Associação Comercial do Alto Juruá elaboraram uma agenda para estimular o setor na Região

Cameli e Bittar

Além dos ministros, a agenda contará com o governador do Acre, Gladson Cameli, senador Márcio Bittar, e a presença virtual dos governadores dos estados peruanos de Madre de Dios, Luís Guillermo Hidalgo Okimura, e de Ucayali, Francisco Pezo Torres, e empresários. Na sexta, antes da agenda com os ministros, haverá o Encontro de Empresários para o Comércio Exterior com Mostra de Produtos da Indústria do Juruá.

Nomeação

Advogado Hilário de Castro Melo Júnior foi nomeado, nesta quinta-feira, 24, pelo  Presidente Jair Messias Bolsonaro como juiz do Tribunal Regional Eleitoral do Acre na vaga destinada a juiz-membro da classe de advogados pelos próximos dois anos. Ele vai substituir o procurador do Estado, Marcos Motta. A escolha de Bolsonaro foi baseada numa lista tríplice enviada pelo TRE do Acre e chancelada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que contava com os nomes de Hilário, Marcos Motta e Marcel Bezerra Chaves.

Sobrinho e assessor

Sobrinho do desembargador aposentado Arquilau de Castro Melo, Hilário é professor universitário e tem experiência na área tributária, fiscal e eleitoral. Ele é nomeado como assessor parlamentar na Assembleia Legislativa, lotado no gabinete do deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB). Recentemente, o advogado trabalhou em favor do ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, que teve seu mandato cassado pela corte eleitoral.

Registro protocolado

Deputado Roberto Duarte e ex-deputada federal Antônia Lúcia, que lideram a coligação “Coragem para mudar” – registraram na tarde desta quarta-feira, 24, na sede do MDB, o ato de registro da candidatura à Prefeitura Municipal de Rio Branco para as eleições de 2020.O Plano de Governo possui cinco eixos: Cidadania e Desenvolvimento Urbano; Economia e Empreendedorismo; Gestão Sistêmica e Inteligente; Infraestrutura e Mobilidade Urbana, e Cultura, Esporte e Lazer.

As propostas

A construção do Plano – intitulado como “Cuidar e Modernizar” – possui mais de 82 propostas e contou com a colaboração de lideranças de bairros, da Federação das Indústrias, do Comércio, da Agricultura, Acisa, Sebrae, OAB e demais instituições representativas. “Recebemos cerca de 185 propostas – que foram encaminhadas por meio da nossa plataforma digital que foi criada para este fim -, além da participação da comunidade de mais de 72 bairros das 10 regionais”, afirma Duarte.

Apoio moral

O ato de registro da chapa majoritária contou com a presença do deputado federal e presidente da executiva estadual do MDB, Flaviano Melo; da presidente do PTB, Charlene Lima; do secretário geral do Republicanos, Leandro Matos; do deputado federal do AM, Silas Câmara; do suplente do senador Marcio Bittar, Eduardo Veloso e de Paula Martinello, mulher do pré-candidato Roberto Duarte.

O dia seguinte

Um dia depois de ter seu mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a  vai deputada Juliana Rodrigues (Republicanos), foi destaque na sessão “remota” da Assembleia Legislativa do Ace (Aleac). Apreensivos, os deputados transformaram a sessão em clima de velório.  O deputado Antônio Pedro (Democratas) foi o primeiro a falar sobre o caso. Ele extremou sua solidariedade à colega e destacou sua luta junto à população do Acre ao longo de seis anos na Assembleia Legislativa.

Ombro amigo

Deputada Meire Serafim (MDB) também falou sobre o drama de Juliana Rodrigues e afirmou: Quero dizer que estou à disposição. Sei da índole da deputada. Sei do seu caráter e tenho certeza que Deus tem um propósito maior para a senhora”, disse. Antes de ser eleita, em 2014 e reeleita, em 2018, Juliana tentou várias vezes. Líder da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd), ela trabalhou muitos anos no Ministério Público Federal.

Decisão judicial

Deputado Daniel Zen, candidato do PT à Prefeitura de Rio Branco, também falou sobre a cassação de Juliana, mas de forma mais fria. Ele lembrou que decisão judicial deve ser cumprida. “Uma decisão de última instância, terminativa, que deve ser respeitada”, disse o petista destacando que a anulação dos votos de Juliana e o deputado federal Manuel Marcos darão os cargos para o juiz aposentado Pedro Longo e para o petista Léo de Brito.

 

 

Artigos Publicados

O otimismo da prefeita Socorro Neri

A arapongagem estaria de volta oito anos depois

Governador e vice não olham mais para a mesma direção

Gladson e Rocha: prenúncios de um rompimento inevitável