Colunistas

Partidos que derrotaram Frente Popular em 2018 podem se unir contra Gladson

Antonio Muniz

Fortalecido com a carta dos deputados do PP, o governador Gladson Cameli, deu a volta por cima, eliminou a pré-candidatura de Tio Bocalom, seu colega de partido e emplacou o ex-presidente da Assembleia Legislativa, Ney Amorim, ex-petista como pré-candidata a vice-governador na capa liderada pela prefeita de Rio Branco, professora-doutora Socorro Neri (PSB).

Com Bocalom fora da disputa, agora não mais problema para o governador apoiar a reeleição da prefeita Socorro Neri. Resta aos descontentes, sobretudo a presidente do partido, senadora Mailza Gomes, seu marido, o ex-prefeita de Senador Guiomard, ames Gomes e o presidente da Executiva Municipal de Rio Branco, pastor Reginaldo Ferreira exercerem o direito de espernear.

Mas poderemos ter como desdobramento de tudo isso que aconteceu na camada “segunda sem lei”, uma possível aliança entre o presidente regional do PSD, senador Sérgio Petecão com o vice-governador Wherles Rocha, que apoia a pré-candidatura de Minoru Kinpara, do PSDB ou com o MDB, do deputado federal Flaviano Melo, apoiador da pré-candidatura do deputado Roberto Duarte.

Assim sendo, o caminho da reeleição do governador Gladson Cameli, que antes estava livre, sem embaraço, pode ter algumas pedras no meio. Na nova configuração, tanto o vice-governador Wherles Rocha, quanto o senador Sérgio Petecão ficaram sem o menor compromisso com a reeleição do governador e ainda seriam potenciais adversários diretos na disputa pelo Palácio Rio Branco.  

Até o senador Marcio Bittar, fiel escudeiro do governador, como a senadora Mailza Gomes, ainda presidente do PP, também ficariam livres e sem compromisso com reeleição de Gladson Cameli. Um assessor do governo, talvez tentando fazer média com Gladson, afirmou que se alguém tentou desmoralizar o governador, perdeu tempo. Na hora certa, no momento exato, Gladson soube fazer os movimentos corretos e desmontou os demais líderes do PP e resolver o problema ao seu modo, ao seu estilo.

Senadores juntos
A definição da aliança entre o PP, do governador Gladson Cameli e o PSB, da prefeita Socorro Neri poderá colocar no mesmo palanque, na disputa pela Prefeitura de Rio Branco os três senadores acreanos: Sérgio Petecão (PSD); Mailza Gomes (ainda no PP) e Marcio Bittar (MDB).

Mais uma vez
Uma nova configuração de aliança politica poderá prejudicar, outra vez, o PSL, agora comandada por Pedro Valério e o vice-governador Wherles Rocha. Caso a aliança obtenha apoio do PSD, do senador Sérgio Petecão, o PSL perderia o direito de indicar o candidato a vice-governador.

Tomou doril
Após fazer uma live atacando todo mundo, entre os quais o governador e a prefeita, o advogado e assistente social Luziel Carvalho sumiu, tomou doril. Segundo informações, ele estaria no interior do Acre. Luziel sonhava em ser candidato a prefeito, mas foi podado no PP e depois no Solidariedade.

Mais duas
Já detonaram várias pré-candidaturas. Vamos citar apenas as mais expressivas: Tiago Caetano e Luziel Carvalho (PP) e Fernando Zamora (PSL).  Outras duas deverão ser liquidadas nos próximos dias. Alguns estranham esse processo, mas isso é algo mais do que natural.

Avante
Apoiadores do pré-candidato à Prefeitura de Rio Branco pelo Avante, empresário Jarbas Soster afirmam que apenas duas pré-candidaturas não têm o menor perigo de serem retiradas: a da prefeita Socorro Neri e a de Jarbas.

Aposta
Deputado Neném Almeida (ainda sem partido – deve ir para o PSD) aposta suas fichas na pré-candidatura do ex-presidente do Instituto de Terras do Acre (Iteracre), Ismael Machado, também empreendedor e ex-funcionário do Banco do Brasil.

Vai fazer a diferença
Neném e Ismael foram entrevistados por este colunista, nesta terça-feira, 21, no programa RB Notícias, ao vivo, na TV Rio Branco-SBT. Segundo Neném, Ismael é sério, qualificado e vai fazer a diferença na Câmara de Rio Branco.

O preço da carta
Ao três deputados do PP não têm nada de besta. Com uma simples cartinha endereçado ao governador, eles ajudaram Gladson Cameli a sair das cordas e asseguraram seus cargos na gestão estadual e continuam numa com o governo.  

Roeram a corda
Presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI) e os três deputados o PP roeram a corda e deixaram a presidente regional e o presidente municipal na chamada linha de impedimento. O senador Sérgio Petecão também se sentiu prejudicado.

Devidamente curado
Já devidamente curado, o Presidente Jair Bolsonaro provou para uns que a Hidroxicloroquina realmente é eficaz contra o novo coronavírus e para outros que a doença chinesa é uma "gripezinha", como afirmou o doutor Dráuzio Varella.

Defesa do filho
Dona Linda Cameli, mãe do governador Gladson Cameli, mais uma vez saiu em defesa do filho na segunda-feira, 20. Ela jogo duro com a presidente regional do PP, senadora Mailza Gomes e o presidente da Executiva Municipal do PP, pastor Reginaldo Ferreira.

Beneficiados
Linda Cameli afirmou que a senadora e o pastor são beneficiados com os quatro anos de mandato que a senadora obteve sem ser submetida às urnas.  A mãe do governador classifica os que tentam prejudicar Gladson como “cobras”.

O único
Dos partidos de expressão no Acre, o único que nunca esteve ao lado do PT é o MDB. Pois bem, depois de 20 anos de luta, o MDB também é o único a convidar o PT a compor a aliança. Vale lembrar que nenhum partido oficializou apoio ao MDB.

Artigos Publicados

Governador Gladson Cameli entre o sonho e o pesadelo