Colunistas

Pré-candidato do Pros à Presidência da República visita Rio Branco nesta segunda-feira

Pré-candidatos à Presidência da República pelo Pros, coach motivacional e influenciador digital Pablo Marçal, chega ao Acre nesta segunda-feira,20, para visitar apoiadores e reforçar grupos de “generais” que vão poiar sua campanha no Acre.  Ele afirma que não é de esquerda, nem de direita, mas do alto”, e que vai “destravar a nação”, expressão constante usada em suas palestras. Pablo tem discurso ensaiado quando perguntado sobre a eleição de outubro. “Quem perde eleição é o povo. É igual advogado. Advogado não perde causa. Quem perde causa é o cliente. Brasileiro é cliente quando ele tem o poder de votar”, disse Marçal em um vídeo publicado no seu Instagram, no início deste mês.

Marçal estreia na vida política após ser confirmado como o nome do Pros, em 18 de maio. Duas semanas mais tarde, ele já pontuava 1% na pesquisa Datafolha divulgada em 30 de maio, na frente de nomes com anos de experiência, como o também pré-candidato Luciano Bivar, presidente nacional do U nico Brasil. Goiano, casado, pai de três meninos e uma menina, ele é o mais novo entre os nomes que se apresentaram até agora como pré-candidatos à presidência, com 35 anos – idade mínima permitida pela Constituição Federal para disputar o cargo.

Ele tem número de seguidores parecido com o dos filhos do presidente Jair Bolsonaro (PL).A página do pré-candidato do Pros no YouTube, por exemplo, tem 1,44 milhões de inscritos, mais que do deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP), seguido por 1,01 milhão de pessoas – o filho 03 do presidente foi o deputado federal mais votado por São Paulo, em 2018. Já a página no Instagram de Marçal é seguida por 2,2 milhões de pessoas, enquanto o vereador Carlos Bolsonaro, filho 02 do presidente, tem 2,6 milhões de seguidores.

Questionado se tem sido procurado por alguém do governo ou aliado de Bolsonaro por seu desempenho nas redes, Marçal respondeu por meio de sua assessoria de imprensa que recebeu “alertas de pessoas ligadas à equipe deles [do presidente] de que meu nome já está no gabinete do ódio”. E acrescentou: “Eles têm olhado porque sabem que vamos crescer durante a campanha e que o jogo ainda não começou. Eu tenho mais de 400 mil alunos no Brasil”. Embora tenha sucesso virtual, Marçal não é reconhecido em seu partido. O senador Telmário Mota (Pros-RR) confessa nunca ter “nem visto” o pré-candidato do partido e que “já tem compromisso com o presidente Bolsonaro”.

Primeira vez

Se a candidatura de Marçal for confirmada pelo partido junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), será a primeira vez que o Pros terá candidato próprio à Presidência. Fundado em 2010, o partido esteve ao lado do PT nas campanhas de Dilma Rousseff e Fernando Haddad.

Ventiladores

Frutos da emenda do então senador Gladson Cameli (PP) e do deputado federal Alan Rick (União Brasil-AC), foram entregues na manhã desta sexta-feira, 17, nove ventiladores pulmonares ao Hospital da Criança, que atualmente está funcionando na estrutura do Hospital de Campanha anexo ao Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC).

Vinte leitos de UTI

Com a transferência dos serviços para o Into-AC, o Hospital da Criança teve ampliação de leitos, sendo 20 para cuidados intensivos, 16 para cuidados especiais que são os pacientes de longa permanência, terapia oncológica e pacientes com imunidade alterada, além de 50 leitos de internações clínicas.

Acordo nos EUA

Petrobras fechou um acordo bilionário com a Justiça americana para encerrar as investigações não ter que enfrentar a Justiça americana. O acordo para encerrar as investigações custou US$ 853 milhões o que, incluindo impostos, equivale a R$ 3,6 bilhões para a empresa.

Desabastecimento

O Brasil passa por uma fase de desabastecimento. A falta de medicamentos tem afetado não só farmácias, mas hospitais e unidades públicas de saúde por todo o País. O problema se dá pela ausência de matéria-prima para compor as substâncias e, também, a escassez de insumos para a produção de embalagens.

Em nível nacional

Segundo o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), uma ausência comum em todos os estados do país tem sido a dipirona monoidratada 500mg injetável. O remédio é um dos mais utilizados na rede de saúde pública, indicado para o tratamento de dor e febre.

Parou de produzir

A principal empresa farmacêutica que produz o remédio, responsável por quase 60% da produção da dipirona hoje no Brasil, anunciou uma pausa nas operações por questões de mercado e parou de distribuir o remédio para as redes pública e privada.

Lava Jato

A investigação tinha sido aberta depois que a Operação Lava Jato revelou a corrupção na Petrobras. Como a empresa tem ações negociadas na Bolsa de Nova York, o Departamento de Justiça americano e a SEC - órgão que regula o mercado de capitais nos Estados Unidos - queriam saber se a Petrobras desrespeitou as regras financeiras de lá.

Ele ou ela

O candidato a vice na chapa liderada pelo Presidente Jair Bolsonaro (PL) será o general Braga Netto ou a ministra da Acultura, Tereza Cristina. A preferência de Bolsonaro é por Braga Netto, mas os partidos que compõem o chamado centra o preferem Tereza Cristina.

Presepada

Os petistas usaram três fotos do dia em que Lula ganhou a liberdade para ilustrar uma visita que Lula e Alckmin fizeram a natal (RN) na quinta-feira, 16. A fake News foi denunciada e o partido deletou a postagem mentirosa de seu site oficial e das redes sociais.

Multa milionária

A Petrobras paga a multa nos Estados Unidos, mas, pelo acordo, a maior parte do dinheiro fica para o Brasil: 20% vão para as autoridades americanas; 80%, serão investidos em programas sociais e educacionais no Brasil, que serão monitorados pelo Ministério Público Federal.

Positivo e negativo

O resultado final foi positivo para a imagem da empresa, sim. Encerra um cenário de incertezas jurídicas, pelo menos nos Estados Unidos. Há um aspecto negativo que deve ser considerado, que é o efeito desse acordo nos processos indenizatórios que estão ainda tramitando, tanto no Brasil, na Argentina e na Holanda.

Outro acordo

No começo de 2018, a Petrobras já tinha fechado um acordo também bilionário para encerrar outra investigação. A ação acusava a empresa brasileira de enganar investidores com informações falsas, ocultando o esquema de corrupção descoberto pela Operação Lava Jato.

Maior da história

A Petrobras concordou em indenizar quem comprou ações dela na Bolsa de Valores de Nova York entre 2010 e 2014. São quase US$ 3 bilhões que estão sendo pagos em três parcelas. O valor equivale a quase R$ 12 bilhões em valores de hoje. Foi o maior acordo já feito nos Estados Unidos sobre perdas com ações envolvendo uma empresa estrangeira.Somando os dois acordos, a Petrobras vai pagar mais de R$ 15 bilhões em multas, muito mais do que ela já conseguiu recuperar do dinheiro que foi desviado da empresa, até hoje, R$ 2,5 bilhões.

Artigos Publicados