Colunistas

Governador e vice não olham mais para a mesma direção

Uma dia após o governador Gladson Cameli (PP) exonerar sete aliados políticos do vice-governador Wherles Rocha (PSL), entre os quais o diretor do Instituto Sócio Educativo (ISE), Rogério Silva e o diretor de Operações do Detran-Acre, José Tacana, além de seu  "homem de confiança", Joelson Dias, os dois se encontram na manhã deste sábado, 17, na inauguração da Defensoria Pública do Estado e da Biblioteca Pública, em Tarauacá.  Gladson estava acompanhado da primeira-dama do Estado, Ana Paula Cameli e do deputado federal Jesus Sérgio (PDT-AC); Rocha estava com o deputado Luiz Gonzaga (PSDB).

Durante discurso, Gladson citou Rocha e destacando a importância do compromisso assumido com a população, quando chegaram ao governo. Rocha também destacou o esforço que o governador vem fazendo para honrar os compromissos assumidos em campanha. Quanto à tensão política, que tem gerado uma série de exonerações de pessoas ligadas ao vice-governador, há um esforço concentrado de parlamentares e assessores para contornar a situação. De Tarauacá, Gladson foi visitar uma aldeia indígena, às margens rio Gregório e Rocha voltou para Rio Branco, pela BR-364.

Os novos coordenadores políticos do governo, o ex-deputados Moises Diniz e Ney Amorim, entraram em ação para tentar conter o incêndio. Ocorre que Diniz é ex-comunista e Ney petista arrependido, que tinham liderança quando o PT estava no governo eles eram deputados. Hoje, o PT perdeu o poder e eles não têm mais mandato. Além disso, não têm mais respaldo junto aos deputados. Há quem afirme que o quadro tende a se agravar depois das eleições.

Sem ter mais o que perder, o vice-governador já fez duras críticas ao governo, uma delas foi acusar a gestão estadual de ser conivente com a Avancard, que estaria a explorar os servidores públicos cobrando juro exorbitantes em operações financeiras. Denunciou, ainda, a existência de “Gabinete do Ódio”, composto por detentores de cargos comissionados para ataca-lo, sobretudo nas redes sociais. Como bem mostra esta foto enviada pela Assessoria de Comunicação do governo, Gladson e Rocha não olham mais para a mesma direção.

 Afastamento  

Juiz da Nona Zona Eleitoral, Giordane Dourado foi afastado, liminarmente, por decisão do corregedor do TRE, desembargador Luiz Camolez, apesar de não haver contra ele nenhum caso concreto que desabonasse sua conduta ou imparcialidade como magistrado. Para alguns juristas, o ato pode ser considerado ilegal. A presidente do TRE, desembargadora Denise Bonfim, designou o juiz Robson Ribeiro como titular da 9ª Zona Eleitoral.

Solidariedade

Giordani Dourado recebeu solidariedade da Associa o dos Magistrados do Acre (Asmac); do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Acre, Erick Venâncio e do senadores Márcio Bittar (MDB-AC) e Sérgio Petecão (PSD-AC). Bittar acha muito estranho o afastamento do juiz. Em quase 20 anos de magistratura, Dourado não tem nada que desabone sua conduta. O próprio Ministério Público reconhece isso na recomendação feita ao Tribunal Regional Eleitoral.

Ibope em descrédito

Dos sete candidato à Prefeitura de Rio Branco, dois não acreditam em pesquisas, sobretudo as do Ibope: Tião Bocalom (PP) e Jamyl Asfury (PSC).  Segundo Bocalom, as pesquisas do Ibope, não valem nada. Ele lembrou que sempre foi vítima da referida pesquisa, em eleições passadas. “Todas as eleições que eu disputei o Ibope sempre me colocava lá embaixo. O povo de Rio Branco não acredita na pesquisa do Ibope". .

Não acredita

O candidato do PSC, ex-deputado e ex-secretário de Habitação, Jamyl Asfury, também não confia no resultado da pesquisa Ibope. “Nós não acreditamos que essa possa ser a realidade. Estamos andando nas ruas e temos visto uma grande aceitação do nosso projeto”. Jamyl aposta nas redes sociais, nos debates e entrevistas para massificar seu nome e fortalecer a candidatura.

Estímulo

Minoru Kinpara, candidato do PSDB, se diz feliz com o resultado da pesquisa.  Segundo ele, andando nos bairros, conversando com a população, percebe que o seu nome está sendo muito bem aceito.  Ele acredita que a população está depositando nele a confiança. Diz ainda que se sente muito honrado, feliz e cada vez mais estimulado.

Prioridade da prefeita

A prefeita Socorro Neri afirma que sua prioridade é continuar trabalhando e mostrando o que fez por Rio Branco nesses dois anos “e o que poderá fazer nos próximos quatro, com muita transparência e seriedade. Diz ainda que há muita estrada pela frente. O trabalho feito deixa a prefeita confiante. A população, segundo ela, está reconhecendo e apoiando o que foi realizado em parceria com o governador Gladson Cameli.

Decisão nas urnas

Deputado Daniel Zen (PT), candidato do PT à Prefeitura de Rio Branco, afirma que respeita a pesquisa, pois demonstra que sua candidatura está crescendo. Segundo ele, continua confiante no diálogo direto junto ao eleitor e nas propostas que construiu com pessoas de todos os segmentos sociais.  A decisão mesmo, segundo ele, só vai acontecer na urna. Pesquisa não elege ninguém.

Em crescimento

A pesquisa do Ibope confirma a fase de crescimento e fortalecimento da prefeita Socorro Neri, candidato à reeleição pelo PSB.  Tecnicamente empatada com o candidato do PSDB, professor Minoru Kinpara, a prefeita cresceu mais de 10 pontos percentuais em pouco mais de 20 dias. Já o candidato tucano perdeu mais de 12 pontos percentuais.

João Correia

Ex-deputado federal João Correia (MDB) usou as redes sociais, nesta sexta-feira, 16, para fazer algumas observações sobre as pesquisas, sobretudo as do Ibope: “ Essa dupla com os governos do PT da oligarquia dos Vianas fraudou pesquisas no Acre por duas décadas seguidas; inteiriça feito cantiga de grilo no inverno amazônico", escreveu.

Indagações

Correia também fez algumas indagações oportunas: “Estará esta primeira pesquisa para Rio Branco adulterada também? Terão seguido, dessa vez novamente, o bordão tantas vezes e monotonamente tocado? Não dá para se saber ainda. A pesquisa pode estar certa ( o que seria uma libertação ) e pode continuar fraudadando ( o que será um carma amaldiçoado para os acreanos )", afirmou.

Vai confrontar

João Correia vai confrontar a pesquisa do Ibope com a do Instituto Delta. Ele ficou apreensivo com a largura do intervalo (desvio padrão) para mais e para menos de 4%. “Vou fazer figa para que a pesquisa do Ibope/Rede Amazônica seja veraz, mas, infelizmente, nada apostaria em sua idoneidade. Assim que sair a pesquisa do Instituto Delta, virei neste espaço dizer se houve verdade na nova pesquisa do Ibope-Rede Amazônica ou se continuará a patifaria das fraudes.

Cobrança

Deputada federal Mara Rocha (PSDB-AC) encaminhou ofício ao presidente da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone da Nóbrega, cobrando posicionamento contra o aumento da tarifa de energia elétrica no Acre. Mara pontuou que o Acre já sofreu com os altos valores de reajuste em 2019. Lembrou, também, que esses reajustes tendem a causar um dano ainda maior em 2020, em face da pandemia da Covid-19, que aumentou o desemprego.

Inaceitável

A deputada também elencou as Medidas Provisórias 950 e 998, editadas pelo Presidente da República para garantir a redução das tarifas de energia até 2025.“Essa proposta de reajuste médio de 4,87% é inaceitável. Em abril, o Presidente Bolsonaro assinou a MP 950, garantindo R$ 15 bilhões em empréstimos para as distribuidoras de energia enfrentarem a crise da Covid-19.

Redução da tarifa

Em setembro, Bolsonaro editou a MP 998, destinando recursos à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) para promover a redução da tarifa de energia elétrica para consumidores até 31 de dezembro de 2025, portanto, não há motivos para que essa majoração seja levada a efeito”, afirmou Mara Rocha.

Justiça e igualdade

“A redução, em Rondônia, foi garantida a partir da Medida Provisória 998. O Acre necessita ser enxergado com justiça e igualdade, somos pobres, precisamos de ajuda para crescer e enfrentar a crise econômica, legada por sucessivos governos petistas e aumentada pela pandemia. Não iremos aceitar um tratamento diferenciado daquele oferecido ao nosso vizinho, Rondônia”, finalizou a parlamentar.

Artigos Publicados

O otimismo da prefeita Socorro Neri

A arapongagem estaria de volta oito anos depois