Colunistas

Socorro Neri acredita na virada contra Tião Bocalom

“A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem”. Com esse trecho do livro: “Grande Sertão: Veredas”, de Guimarães Rosa, um dos favoritos da prefeita Socorro Neri (PSB), a candidata à reeleição começa um pequeno texto sobre a disputa eleitoral deste domingo, na qual ela conseguiu o objetivo que é disputar a segundo turno dia 29 deste mês com o candidato do PP, ex-prefeito de Acrelândia Tião Bocalom.

Quem valoriza os escritores brasileiros sabe que Guimaraes Rosa foi um dos melhores do século XX. Não por acaso produzir contos, novelas e romances conhecidos pelo exímio trabalho com a linguagem, reinventando a língua portuguesa. Ele também é o principal representante do regionalismo brasileiro, característica da terceira fase do modernismo. Pois bem, foi lendo tão importante obra que a prefeita Socorro Neri fez uma profunda reflexão sobre o pleito deste domingo que serviu como seletiva para a batalha final do dia 29 deste mês.

A prefeita faz um agradecimento especial aos eleitores. “Agradeço a todos pelo voto de confiança, no primeiro turno, e convida a todos para estarem ao seu lado nestes próximos 15 dias por uma Rio Branco do futuro, do jeito que sonhamos! No dia 29 de novembro, deposite seu voto na esperança. Vote 40!”, escreveu a prefeita, em seu perfil no facebook. Em conversa com este colunista, a prefeita afirmou que no segundo turno teremos outra eleição, bem doferente do primeiro turno  e acedita na virada.

“Muito obrigada pela confiança e por cada gesto de apoio recebido durante todos esses dias. Me senti fortalecida e abraçada pelas manifestações e carinho recebido. Temos mais uma etapa pela frente, por isso, peço mais uma vez pelo voto dos que estiveram conosco até aqui. Aos que estiveram em dúvida, estão desacreditados da política, aos que votaram em outro candidato peço pela oportunidade de continuar a fazer esse trabalho sério e comprometido com a população de Rio Branco. Mais do que nunca: seguimos juntos, até a vitória”, afirma Socorro Neri.

Enquanto isso, o candidato do PP, Tião Bocalom, vivia a expectativa de vencer no primeiro turno, mas como não foi possível, após resultado oficial, Bocalom afirmou que a situação é melhores “Está ótimo para mim. Quero agradecer a ao povo de Rio Branco que me deu essa votação. Estou feliz que a gente vai ao segundo turno”. O progressista não tem dúvida sobre a preferência do eleitor daqui para frente. “Certeza que vão continuar votando no Bocalom”, afirma.

O progressista classifica o percurso de sua campanha espetacular. “Espero poder repetir a alegria da nossa campanha no segundo turno. Certeza que vamos obter a confiança da grande maioria da população de Rio Branco”, assegura. Bocalom cresceu 18 pontos nas últimas semanas que antecederam a votação, num pleito recheado de guerras políticas internas. “Mesmo nas outras cinco derrotas que eu tive, nunca baixei a cabeça e sempre acreditei que nossa hora iria chegar. O grande juiz de uma eleição não é o governador, é sempre o povo”.

Terceiro colocado na disputa, o candidato do PSDB, professor Minoru Kinpara afirmou: “Não posso afirmar que estou feliz com o resultado, porque estaria mentindo. Não estou triste apenas por mim, mas por todos aqueles que vestiram a nossa camisa, que foram às ruas e gritaram “Minoru, sim!”. Ninguém caminha sozinho e muitas pessoas alimentaram um sonho junto comigo. Pessoas que desejaram uma cidade melhor, mais humana, mais presente. Compactuo com o sentimento de todas essas pessoas e reafirmo o meu compromisso com a população de Rio Branco”.

Ainda segundo Minoru, no jogo político não há perdedores, nem vencedores. Quem pensa assim não entende que política se faz para os diferentes, para os desiguais e também para os semelhantes. Acima das siglas partidárias há a população, há a necessidade de gerar novos empregos, há os problemas de infraestrutura e há o desejo por melhores condições de vida. “Reafirmo que a luta de todo candidato não deve ser contra o seu possível adversário político, mas contra os problemas que afligem a cidade de Rio Branco. A população é soberana nas suas escolhas. A população de Rio Branco fez a sua. Enquanto político e pessoa pública só posso desejar a Socorro Neri e a Tião Bocalom que tenham sabedoria e propostas para melhorar a vida da população de Rio Branco”.

Ao fim da postagem, nas redes sociais, o candidato tucano afirmou: “A todos que nos deram o seu voto de confiança, quero deixar um abraço amigo e dizer que fizemos uma campanha linda, com brilho no olhar e sem atacar A ou B. Fizemos política com propostas e projetos, olhando olho no olho e acreditando que era possível fazer mudança. Aos que sonharam conosco uma Rio Branco melhor, meu muito obrigado!

Reação diferente foi a do candidato do MDB, Roberto Duarte. Em quarto lugar com apenas 6,9%) dos votos, resolveu encarar derrota nas urnas de forma bem humorada. Em sua residência, o emedebista acompanhou a apuração e o resultado final ladeado por amigos, entre os quais o empresário Marcelo Moura, e familiares. Um vídeo de menos de um minuto “viralizou” nas redes sociais, onde Duarte aparece tomando cerveja e cantando música sertaneja.

Duarte improvisou uma dupla como cantor Artur Costa e interpretou a música “Um Bom Perdedor”, sucesso da dupla sertaneja Bruno & Marrone, que faz parte do CD gravado e lançado há 20 anos, acústico e ao vivo. “Eu esperava te convencer, mas é bom deixar a água correr. O que importa agora as palavras que eu não pude dizer. E se o vento hoje sopra a seu favor. Eu não guardarei rancor, acho que sei perder. E não será a primeira vez. Hoje é você amanhã será quem for, for, serei um bom perdedor e meu mundo não vai mudar, até que alguém ocupe seu lugar”, cantou Duarte, em tom de brincadeira.

Apenas seis

Apenas seis, dos 17 vereadores que têm mandatos até fevereiro de 2021, irão compor a próxima legislatura 2021-2024: Antônio Morais e Raimundo Neném, ambos do PSB; Nogueira Lima (PP); Lene Petecão (PSD); Emerson Jarude e Célio Gadelha, ambos do MDB.

Não foram eleitos

Os vereadores Eduardo Farias (PCdoB), Rodrigo Forneck (PT), Elzinha Mendonça e Clézio Moreira, ambos do PSB, Anderson Sandro (PSD), João Marcos Luz (MDB), Artêmio Costa (PL), Mamed Dankar (Pros) e Railson Correia (Podemos) não conseguiram a reeleição.

A sina do líder

Eduardo Farias (PCdoB) foi líder do prefeito Marcus Alexandre (PT); Rodrigo Forneck (PT) foi líder da prefeita Socorro Neri (PSB) e Elzinha Mendonça (PDT) é líder da prefeita Socorro Neri. Os três não conseguiram se reeleger. É a triste sina do líder.

Consequências

Eduardo Farias e Rodrigo Fonerneck foram vítimas da onda antipetista e anticomunista. Por isso, todos já sabiam que os dois iriam enfrentar muitas dificuldades. A vereadora Elzinha foi prejudicada por problemas de divisão em sua família.

Não foram candidatos

Os vereadores Jackson Ramos (PT) e José Juruna (Avante) decidiram não ser candidatos à reeleição. Pela votação que obtiveram em 2016 e o trabalho realizado nos quatro anos, os dois tinham chances de reeleição, mas preferiram não arriscar.

Varridos

Pela primeira vez, desde 1996, PT e PC do B não terão representantes na Câmara de Rio Branco. PP e MDB que também têm tradição na Casa também viveram esse drama, mas agora estão fortes: o PP reelegeu Nogueira Lima e elegeu Samir Bestene e Rutênio Sá, somando três;  o MDB reelegeu Emerson Jarude e Célio Gadelha.

Fortalecido

Nenhuma partido saiu tão fortalecido eleitoralmente quanto o PDT. O partido elegeu três vereadores e divide a maior bancada da Câmara de Rio Branco com o PP.  Vale lembrar que nenhum dos três que foram eleitos neste domingo tem vida orgânica no PDT e tampouco afinidade ideológica.

Pela insistência

Os vereadores Francisco Piaba (DEM) e Arnaldo Barros (Podemos) venceram pela insistência. Piaba já foi candidato diversas vezes. A cada eleição, ele aumentava o número de votos, mas não o suficiente para se eleger. Agora deu tudo certo.  

Vitória da paz

Apresentador do programa Vídeo Clip, levado ao ar há mais de 20 anos pela TV Rio Branco, Arnaldo Barros, afirma que sua eleição, neste domingo 15, representa a vitória da paz. Ele lançou há seis anos, o projeto Paz para o Acre, tendo por objetivo desligar milhares de jovens das facções criminosas.

Campeão

A doutora Michelle Melo (PDT) obteve 3.576 votos, neste domingo e foi a grande campeã na disputa pelas 17 vagas na Câmara de Rio Branco. O PDT também elegeu mais dois vereadores: Joaquim Florêncio e Fábio Araújo. Depois de 16 anos, a família Santiago volta a ter representante no Poder Legislativo Municipal.

Decepção

A grande decepção da eleição foi a fraca votação obtida por Pang Rocha (PSDB). Irmão do vice-governador Wherles Rocha (PSL) e da deputada federal Mara Rocha (PSDB), Pang era tido como o puxador de voto da aliança entre PSDB e PSL. Mesmo assim, o PSDB conseguiu eleger dois vereadores: Ismael Machado e Raimundo Castro.

Já era esperado

O sucesso do jovem empresário Samir Bestene na disputa por vaga na Câmara de Rio Branco já era esperado. Por isso, sua vitória neste domingo, apenas confirmou o prestígio da família Bestene. Samir Bestene integra a nova bancada do PP ao lado do vereador Nogueira Lima e do novo vereador Rutênio Sá.

O peso da família

Filho do deputado José Bestene, primo do ex-vereador Alysson Bestene e neto do saudoso deputado Felix Bestene e da vereara constituinte Nabiha Bestene, todos integrantes do PP,  Samir Bestene foi o mais votado no PP e graças a sus excelente performance, o partido elegeu três.

Vitória no Juruá

Após a vitória de Zequinha Lima (PP), em Cruzeiro do Sul, segundo maior colégio eleitoral do Acre, nesse domingo, 15, o governador Gladson Cameli (PP) afirmou que a cidade não tem dono e não pode ser comandada por uma família. O governador mandou recado direto ao ex-prefeito Vagner Sales. Lá o PP do governador venceu com apoio dos petistas, comunistas, democratas e republicanos, uma verdadeira salada ideológica.

Vai continuar

Marcus Alexandre vai continuar a disposição do Tribunal de Justiça até dezembro de 2021.O ex-prefeito de Rio Branco e ex-candidato ao governo pelo PT é engenheiro do governo estadual e vai continuar cedido ao Tribunal de Justiça do Acre. O decreto governamental nesse sentido foi publicado no Diário Oficial desta segunda-feira, 16.

Maior vencedor

Apesar de ter ficado fora da disputa do segundo turno em Rio Branco, o MDB é o maior vencedor em número de prefeituras conquistadas nas eleições deste domingo, 15. O “glorioso” conseguiu reeleger Mazinho Serafim, em Sena Madureira e Tanízio de Sá, em Manoel Urbano. O partido venceu também em Acrelândia, com Olavinho; César Andrade, em Porto Walter e Tamir de Sá, em Santa Rosa do Purus, somando cinco prefeitos.

Pode se igualar

O PP pode se igualar ao MDB, caso confirme a vitória de Tião Bocalom na capital. O Partido Progressista conquistou quatro prefeituras: Zequinha Lima, em Cruzeiro do Sul; Kiefer, em Feijó, Bené Damasceno, em Porto Acre e Rosana Gomes, em Senador Guiomard. Se vencer na capital acreana, o Progressistas vai comandar os dois maiores colégios eleitorais do Acre.

Em segundo

O PT, que além de uma votação bem abaixo da esperada no candidato Daniel Zen, não fez nenhum vereador, mas no interior o partido mostrou força e domina quase todo o Alto Acre. Reelegeu Fernanda Hassem, em Brasileia; Bira Vasconcelos em Xapuri e Isaac Lima, em Mâncio Lima. Também venceu, em Assis Brasil, com o Professor Jerry.

PDT com três prefeitos

O PDT, que elegeu três vereadores na capital, conquistou três prefeituras. João Padeiro volta a ser prefeito, em Bujari; Naudo Ribeiro é o novo prefeito de Jordão; e Maria Neia, venceu em Tarauacá.

O restante

O PSC fez duas prefeituras: Isaac Piyãko foi reeleito em Marechal Thaumaturgo e Camilo Silva é o novo prefeito de Plácido de Castro. O DEM elegeu Manoel Maia, em Capixaba; o PSDB elegeu o delegado Sérgio Lopes, em Epitaciolândia; o Pros elegeu Jailson Amorim, em Rodrigues Alves.

Artigos Publicados