Colunistas

Governador não pode abrir mão de suas prerrogativas

Doutor William Douglas, juiz federal da 4ª Vara Federal de Niterói, Rio de Janeiro, afirmou durante visita à Igreja Assembleia de Deus Madureira, liderada pelo bispo Abner Ferreira, que o templo não pode ser fechado por ninguém, pois é serviço essencial.

William comentou, nas redes sociais, que cedo foi a? padaria, atividade essencial, comprar o pa?o para o corpo. “E? uma alegria agora estar no templo, atividade essencial, para receber, de grac?a, o pa?o espiritual”, disse. O magistrado destacou que todas as medidas sanitárias estavam sendo cumpridas.

O juiz pregar na igreja-mãe do Ministério de Madureira, mas antes, comentou a postagem e reiterou que o uso da máscara as autoridades podem cobrar, assim como o uso do álcool gel e o distanciamento, mas não podem fechar os templos. Tal fato, segundo ele, é algo inaceitável.

Diante do exposto, afirmo que nossas autoridades podem exigir uso de a máscara, álcool, distanciamento, mas não deveriam determinado o fechamento doa templos. Isso é um absurdo. Falo templo porque a igrejas sãos os cristãos, os fiéis.

O templo é um lugar protegido pelos direitos humanos, pela nossa Constituição Federal. Por ser atividade essencial, não pode ser fechado por ninguém. Trata-se de um direito civil. Não estou a falar em religião, mas sim de um direito constitucional, de direito civil.

O governador Gladson Cameli (PP) recebeu dirigentes da Associação de Ministros Evangélicos do Estado do Acre (Ameac), há uma semana. Foi elegante, gentil, educado, solidário, reconheceu a importância do trabalho espiritual, mas não resolveu nada.

Talvez pressionado pelo Mistério Público, tanto o Estadual, quanto o Federal e influenciado por esse ou aquele assessor, o governador abre mão de uma prerrogativa dele e transfere responsabilidade para o tal pacto Acre sem Covid que teve coragem de incluir os templos no mesmo nível de bares e restaurantes.

Não há mais dúvidas: os templos, sejam evangélicos, católicos ou de outras religiões, são  atividades essenciais, pois a alimentação espiritual é tão importante quanto a física.  Por isso, governador, assuma responsabilidade, use a caneta e determine a reabertura dos templos, antes que seja tarde demais.  

Reaproximação

Governador Gladson Cameli (PP) se reuniu nesta terça-feira, em Brasília,  com os caciques do partido para ensaiarem uma reaproximação. Quem intermediou o encontro foi o senador Márcio Bittar (MDB).

Natural

“Nós ajudamos a ganhar a eleição, em 218, depois de 20 anos. Então não é natural que a gente trabalhe contra agora. O natural é respeitar, dar sossego, dar tranquilidade, ajudar a governar. É isso que eu estou tentando fazer”, declarou Bittar.

Missão impossível

Nos tempos em que o PT estava no poder e elegia até poste, jamais obteve sucesso em Cruzeiro do Sul. Em mais de 20 anos, o partido elegeu apenas três vereadores. Por isso, a missão do petista Marcelo Siqueira é quase impossível.

Imprensado

Marcelo Siqueira, o candidato do PT à Prefeito ade Cruzeiro do Sul será imprensado pelo candidato do ex-deputado Vagner Sales, seu filho Fagner Sales e pelo o candidato do governador Gladson Cameli (PP), ainda indefinido.

Em segundo turno

Se nada mudar, a disputa pela Prefeitura de Rio Branco será definida em segundo turno. Ao que tudo indica, será a prefeita Socorro Neri (PSB) tem vaga praticamente assegurada.   

Nada de fraco

O pré-candidato do PT à prefeitura de Rio Branco, Daniel Zeen, ao contrário do que alguns falam por aí, não tem nada de fraco.  Zen já exerceu vários cargos, adquiriu experiência, tem conteúdo e sabe verbalizar.   

Para difícil

Claro que Zen vai encarar uma parada muito difícil. Terá que enfrentar a prefeita Socorro Neri (PSB), agora apoiada pelo governador Gladson Cameli (PP), além do candidato do vice-governador e do deputado federal Flaviano Melo.

Faixa amarela

Pelo que prevê o decreto do isolamento social, Rio Branco já deveria ter saído do vermelho para a faixa amarela. No entanto, ainda não chegamos nem na laranja.  Os integrantes do Pacto Acre sem Covid precisam dialogar mais com a sociedade.

Reação

As declarações do advogado e assistente social Luziel Carvalho, rifado pelo Solidariedade, nesta segunda-feira, deixaram o vice-governador Wherles Rocha irritado. Luziel acusou Rocha de perseguição política.

Vai ter provar

Rocha afirma que Luziel vai ter que provar, na Justiça, as acusações que fez durante live que fez na tarde de segunda-feira. Rocha já acionou seus advogados e prepara ação judicial contra Luziel.

Enquadramento

Wherles Roca também afirmou que vai enquadrar o secretário de Meio Ambiente e presidente regional do Solidariedade, Israel Milani. Segundo Roca, Milani vai ter eu explicar e provar o que disse. “Ele me acusou de perseguição e vai ter que provar”, afirma Roca.

Bem claro

Embora não tenha afirmado publicamente, o governador Gladson Cameli deia bem claro, em seus movimentos, que não quer nem ouvir falar na pré-candidatura do tucano Minoru impara e tampouco a do agora progressista Tião Bocalom, apesar deste ser seu colega de partido.

Sem volta

O governador Gladson Cameli já declarou publicamente seu apoio à reeleição da Prefeita Socorro Neri (PSB). Diz ainda que quem quiser achar ruim que ache. Ele não tem satisfação a apresentar a ninguém.

Segurança

Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anunciou  acordo pelo qual a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e os hospitais Sírio-Libanês e Albert Einstein participem da elaboração de protocolo de segurança para a realização das eleições municipais de novembro, tendo em vista a pandemia de covid-19.

Nomeação

Edmar Azevedo Monteiro Filho, procurador de Justiça aposentado foi nomeado nesta terça-feira como chefe de Departamento na Casa Civil do governo. Ele foi procurador-geral por dois mandatos consecutivos, nomeado pelo governador Jorge Viana.

Artigos Publicados

Governador Gladson Cameli entre o sonho e o pesadelo

Desgaste político que poderia ser evitado