Colunistas

Petecão descarta aliança com Rocha

Senador Sérgio Petecão, presidente regional do PSD e primeiro-secretário da mesa diretora do Senado, já deixou bem claro para todos que aliança com o PSDB, que agora tem apoio do PSL, não passa por seus planos. Não há, segundo ele, nenhuma chance.  “A chance é zero”, afirma. 

Motivos não faltam para Petecão fazer tais declarações.  Lembram quando o governo, ainda em transição, convidou o professor Minoru para ser secretário de Educação? Pois bem, a nomeação foi descartada graças a intervenção de Petecão. 

Claro que Minoru também fez o que podemos chamar de “mi-mi-mi” ao afirmar que só aceitaria se fosse de porteira fechada. Ou seja, se  ele tivesse a liberdade de montar sua equipe. Na verdade, Minoru queria levar todos os comunistas da Ufac para a Secretaria de Educação de um governo de direita. Pode? Claro que não!.

Nem mesmo nos governos declaradamente de esquerda Minoru teve essa oportunidade. E olha que ele foi presidente regional do PT. A intervenção de Petecão salvou o governo Gladson Cameli de um tremendo desgaste, embora alguns esquerdistas estejam a ocupar  cargos importantes na Educação. 

Além disso, no final do ano passado e no início deste ano, houve troca de farpas entre o senador e a cúpula da Segurança Pública. Os cargos estratégicos dos é órgãos de segurança pública do Acre foram indicados pelo vice-governador Wherles Rocha. Portanto, apesar de não terem intriga pessoal, faz tempo que os dois não conversam. 

Mas voltamos ao que mais no interessa no momento, afinal, a tal campanha de “despetização” no governo de direita foi apenas para inglês ver.  Se a candidatura de Tião Bocalom for retirada, o caminho natural de Sérgio Petecão seria compor aliança com o MDB, do deputado Roberto Duarte, que ainda não definiu seu vice.

O governador Gladson Cameli afirmou e reafirmou apoio à reeleição da prefeita Socorro Neri (PSB). A direção do PP já deixou claro que não abre mão da pré-candidatura de Tião Bocalom. Se ninguém abre, então o racha é algo inevitável, apesar de o clima da reunião ocorrida na  tarde de quarta-feira, entre o governador e seus colegas de partido tenha sido muito cordial.

Testou positivo

O novo Coronavírus chegou à Casa Amarela. O senador Sérgio Petecão (PSD-AC) testou positivo para a Covid-19. Sua mulher, a ex-deputada federal Marfisa Galvão, também encontra-se contaminada, mas graças a Deus, os dois passam bem.

Pedido

Petecão faz um pedido aos seus amigos e correligionários para que evitem ir à Casa Amarela nas próximas duas semanas. Mesmo em plena pandemia, Petecão mantém sua casa aberta, obedecendo o distanciamento, mas agora não terá como atender seus amigos.

“Estou bem”

Petecão tranquiliza seus amigos ao afirmar: “Graças a Deus, estou bem. Vou seguir as orientações dos  médicos, tomar a medicação e repousar”, afirma o senador.  Dona Marfisa, apesar de ser mais jovem, sente mais sintoma do que o senador, mas encontra-se bem.

Fora da disputa

Prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro (PP) aprontou tanto que não tem mais condições de ser candidato à reeleição. Primeiro que está mais  enrolado que fios de bobina e segundo por ter perdido apoio popular.

Alternativa

Ele seria o nome preferido pelo governador Gladson Cameli (PP). Aliás, Ilderlei foi o primeiro prefeito a receber apoio do governador. A alternativa será o vice-prefeito, Zequina Lima, que saiu ileso do festival de denúncias contra a gestão de Ilderlei. Ele também é do PP.

Quadro definido

Com quem eu me informo em Cruzeiro do Sul, todos afirmam que por lá o quadro está praticamente definido: vitória do jovem Fagner Sales MDB), filho do ex-prefeito Vagner Sales e da deputada Antonia Sales. 

Excesso de otimismo

Claro que há excesso de otimismo, afinal, a campanha na verdade ainda nem começou. Mas Fagner é realmente favorito. Ele também é irmão da deputada federal Jéssica Sales (MDB-AC)

Único sem mandato

A família Sales cresceu politicamente por meio dos seis mandatos consecutivos de Vagner Sales. No entanto, se a vitória de Fagner Sales for i confirmada em Cruzeiro do Sul, Vagner será o único sem mandato na família.

Somente Deus

Conversei com Vagner Sales há dois meses, no Supermercados Araújo do Aviário. Ele me disse o seguinte: “Só Deus pode evitar nossa vitória em Cruzeiro do Sul”.  Vagner ajudou a eleger Ilderlei Cordeiro e depois foi isolado. O prefeito trocou o MDB pelo PP e deixou Vagner na saudade.

Confirmado

Governador Gladson Cameli já deixou claro que vai apoiar a reeleição da prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassém (PT). Ele convidou a prefeita para se filiar ao PP, mas esta preferiu continuar no PT, mesmo assim, não perdeu apoio do governador.

Dois adversários

Fernanda Hassém disputa a reeleição com apenas dois adversários: a ex-petista Leila Galvão, agora de volta ao MDB e Charles Reis (PSL). Mas a cúpula do PP quer lançar candidato e forçar a barra para este ter apoio do governador.

Sangue novo

Ex-jogador de futebol e técnico da Secretaria de Fazenda (Sefaz), Orton Sales, atendeu convite de familiares e amigos e é pré-candidato a vereador pelo DEM.  Ele é carismático, preparado e pode fazer a diferença no Poder Legislativo Municipal.

Vergonhoso

Artigo de um editorialista do jornal “Fola de S. Paulo” – edição de terça-feira, 07, nos causa vergonha enquanto jornalista. O referido jornalista torce pela morte do Presidente Jair Bolsonaro que foi contaminado pelo novo coronavírus.

Já estaria preso

Se a torcida pela morte fosse em relação a um ministro do STF ou algum esquerdalha, o “coleguinha” já estaria preso e as entidades esquerdistas como a OAB, Fenaj e ABI já teriam feito tremendo alarde.

Mais uma comprovação

Jair Bolsonaro matou o coronavírus usando Hidroxicloroquina. Enquanto os cientistas não aprovam o uso da Hidroxicloroquina, o remédio continua salvando vidas na luta contra a Covid-19.

Artigos Publicados

Governador Gladson Cameli entre o sonho e o pesadelo

Desgaste político que poderia ser evitado