Colunistas

Governista trocam “farpas” enquanto a violência aterroriza a população

Faz tempo que o senador Sérgio Petecão (PSD-AC) afirma ter medo de andar em Rio Branco, sobretudo nos bairros da periferia. Na verdade, isso não é novidade para ninguém. O atual governo recebeu como herança um Acre dominado pelas facções. A prova disso é que em Rio Branco, por exemplo, os bairros estão devidamente demarcados pelas facções. A tão sonhada e falada sensação de segurança ainda não se tornou realidade. O que temos, infelizmente, é a sensação de impunidade.

Claro que os índices de violência diminuíram bastante, em 2019, tanto em nível nacional, quanto regional, mas as facções continuam a ditar as normas em alguns estados, entre os quais o Acre. O novo governo começou bem, mas ao que parece, decidiu seguir o mesmo caminho do anterior. Ou seja, está a se preocupar em promover blizt na zona central e nas principais ruas e avenidas para apreender veículos não licenciados, algo inconstitucional, enquanto os bandidos agem  na periferia.

Portanto, a cúpula de Segurança Pública do Estado, não tem motivos para contestar as declarações do senador Sérgio Petecão. Primeiro que ele falou a pura verdade e segundo que o nobre senador é aliado do novo governo e tem usado seu prestígio como primeiro-secretário da mesa diretora do Senado para ajudar o governador Gladson Cameli (PP) a liberar recursos federais em Brasília, destinado a vários setores, sobretudo a Segurança Pública. Enquanto a violência aterroriza a população, os governistas trocam “farpas”.

Polícia Rural

Durante o debate sobre regularização fundiária, semana passada, em Rio Branco, a deputada federal Mara Rocha (PSDB-AC) anunciou  Audiência Pública da Comissão de Agricultura, da Câmara Federal, em Rio Branco, para discutir a implantação de Polícia Rural no Acre.

Redução

Monitor da Violência, de que o Acre está entre os três estados que mais reduziu os números de mortes entre os meses de janeiro a setembro desse ano, mais de 35% a menos que o ano anterior.

Mortes e furtos

A redução não está somente nos homicídios, mas também no número de furtos, mais 11% a menos.  Ou seja, o governo foi eficiente para reduzir os crimes contra a vida e contra o patrimônio.

Herança maldita

Evidente que  ainda estamos com os números que a população sonha e que o governo gostaria de ter atingido, mas muito foi feito para diminuir a herança maldita deixado pelos governos petistas.

Incomoda

Os governos anteriores entregaram ao governador Gladson Cameli a capital mais violenta do Pais e o terceiro Estado mais violento. Reverter este quadro não será nada fácil.  Estamos em plena guerra. Esta é verdade.

União de forças

Não precisa ser especialista na área para saber que Segurança Pública não depende apenas das forças policiais, mas também do Ministério Público, da Justiça e de uma política eficiente de geração de emprego e renda.

Sem sentido

A nota que publicaram sobe as declarações do senador Sérgio Petecão não tem sentido. O texto fala de algo que não foi feito. Em momento algum o senador atacou o governo. Ele também é governista.

Definido

Deputado federal Flaviano Melo  (MDB-AC) definiu o advogado Junior Feitosa como pré-candidato à Prefeitura de Tarauacá, em 2020. Ele vai enfrentar a prefeita Marilete Vitorino (PSD) e um candidato do PT ou de outro partido de esquerda.

Quatro grupos

Existem vários grupos políticos no governo progressista, mas vamos citar apenas os quaro principais: o grupo do senador Sérgio Petecão, o do vice-governador Wherles Rocha, o do deputado José Bestene e da deputada federal Vanda Milani.

Pré-candidatos

Coincidência, ou não, cada um desses grupos se articula para projetar e candidato à Prefeitura de Rio Branco, pensando na eleição de 2020. O governador Gladson Cameli precisa administrar isso com muita sabedoria.

Otimista

Novo secretário de Produção e Agronegócio, médico veterinário Edivan Maciel se diz otimista em relação ao que poderá ser feito para fortalecer o setor produtivo do Acre a partir do ano que vem.      

Criatividade

Advogado e assistente social Luziel Carvalho, ex-superintendente do Ministério da Agricultura no Acre e atual diretor do Idaf, demonstra muita criatividade para projetar sua pré-candidatura à Prefeitura de Rio Branco.

Solidário

Para atrair a atenção da direção do Progressistas, partido do governador Gladson Cameli,  Luziel promoveu, sábado,7, na Assermurb,  aniversário solidário. Não houve comercialização de mesas, nem ingressos individuais. A entrada era franca, mas as pessoas convidadas precisavam levar um quilo de alimento.

# A Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, recebeu, na noite dessa segunda-feira (09/12), representantes do Estado do Acre para tratar sobre a questão da Aftosa no Estado, além da criação da Amacro, reunião dos recortes territoriais dos estados do Amazonas, Acre e Rondônia, visando um melhor aproveitamento dos potenciais de desenvolvimento dessas unidades federativas.

A reunião contou com a presença do Vice-Governador, Major Rocha, da deputada federal Mara Rocha (PSDB-AC), do Senador Marcio Bittar (MDB-AC), do Secretário de Produção e Agronegócios (Sepa), médico veterinário Edivan Maciel, do deputado Estadual Luiz Gonzaga e do Superintendente do Incra no Acre, advogado Sérgio Bayum.

Na ocasião, a deputada federal Mara Rocha encaminhou solicitação à Ministra para aumentar o número de funcionários nos postos de fiscalização fitossanitária do Acre.

“Esta é uma demanda dos produtores acreanos que exportam produtos para a Bolívia e o Peru. Eles estão sendo prejudicados pela falta de profissionais do Mapa para realizar a fiscalização fitossanitária e análise visual da carga, bem como o desembaraço da documentação para a exportação, lembrando que estamos tratando de mercadorias perecíveis, que podem se perder em função da demora na fiscalização”, informou a parlamentar.

A Ministra informou que há uma falta de servidores mas que tentará encontrar uma solução que atenda à demanda dos exportadores do Acre.

Ainda na reunião Edivan Maciel tratou sobre as demandas da Sepa para garantir um tratamento adequado à questão da aftosa. Segundo o s o Governo de Estado do Acre está reformando a infraestrutura básica da Secretaria e solicitou o envio de veterinários do Ministério para auxiliar no trabalho de cumprimento dos protocolos internacionais.

Sobre o assunto a ministra garantiu que os Estados do Acre e Rondônia serão atendidos com profissionais que irão garantir o cumprimento das exigências internacionais de controle da aftosa na região norte.

“Essa ajuda, prometida pela Ministra, nos ajudará a tornar o Acre uma área livre de aftosa sem vacinação. O Governo do Estado está reformando nossas estruturas, estamos conseguindo material e insumos para trabalhar e, com a chegada dos médicos veterinários, nosso Acre estará apto para entrar no mercado de carne”, afirmou o secretário de Produção e Agronegócios.

PANORÂMICAS

#Alguns comerciantes otimistas e acreditando que as vendas vão aumentar a partir de sexta-feira, quando o governo vai pagar o décimo terceiro salário.

# Mas é melhor que sejam realistas e não apenas otimistas para evitar eventuais frustrações.

# Primeiro que os servidores receberão apenas a metade , uma vez que a outra metade foi paga no meio do ano.

# Segundo que os servidores, com raríssimas exceções estão afogados em dívidas e, portanto, perderam o poder de compra.

# Na festa de filiação do PP, realizada na tarde noite do dia 11 de novembro,  vi muitos esquerdistas virando progressistas.

# Mas isso é normal, sobretudo no Acre.Não deveria ser, mas é.  Ideologia é algo raríssimo nos dias atuais.

# Bastou um petista bater com a língua nos dentes para todos munda saber que o ex-prefeito Marcus Alexandre  nunca foi puritano que dizia ser.

# Usaram e abusaram da Emurb para fazer caia de campanha e enriquecer alguns espetinhos.

# Um dos ex-assessores contou, em detalhes, como o esquema funcionava e quem dava as cartas na referida empresa municipal.

# Um bom ao advogado e assistente social Luziel Carvalho, pré-candidato à Prefeitura de Rio Branco pelo PP.

Artigos Publicados

As duas cassações mais esperadas da política acreana

Aleac: uma semana sem sessão e atraso de salário