Colunistas

Governador volta da Europa e decreta o retorno do procurador-geral ao cargo

Governador Gladson Cameli voltou ao Acre nesta segunda-feira, 08. Ele estava em Glasgow, na Escócia, onde representou o Acre na 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima de 2021 (COP-26). Em princípio, o governador deveria permanecer até o fim do evento, previsto para o dia 12, mas em função de algumas decisões tomadas pelo governador em exercício, Wherles Rocha (PSL), decidiu antecipar seu retorno ao Acre. A agenda do governo do Acre na COP-26 será cumprida normalmente pelo secretário de Meio Ambiente, Israel Milani e o demais membros da delegação acreana, em Glasgow.

Em coletiva de imprensa, no auditório da Procuradoria Geral do Estado (PGE), na manhã de sexta-feira, 05, o procurador-geral em exercício, Leonardo Cesário e demais representantes do órgão esclareceram as dúvidas sobre o papel da instituição e também da administração pública quanto ao pagamento de precatórios, reafirmando não haver qualquer indício de irregularidade ou repasse de informações privilegiadas.

Também estavam presentes o presidente da Associação dos Procuradores do Estado, Andrey Hollanda; do assessor especial do procurador-geral, Marcos Mota; da vice-presidente da Associação e chefe da Procuradoria Administrativa, Janete Melo; também do chefe da Procuradoria Judicial, Luciano Leitão e do coordenador de precatórios, Gustavo Valadares.

O governador já decretou o retorno do doutor João Paulo Setti ao comando da Procuradoria-geral do Estado (PGE). Ele foi exonerado, Na semana passada, pelo governador interino, Wherles Rocha (PSL), acusado de irregularidades em processos e pagamento de precatórios. Mas segundo os demais procriadores, as acusações não têm fundamento, nem embasamento legal.

Claro que quem cai decidir o destino do procurador-geral é o governador. Afinal, é dele a caneta azul que decreta nomeações e exonerações, mas ao que tudo indica, Joao Paulo Setti, apesar de ser reconduzido ao cargo, não teria mais clima para continuar no comando da PGE. Ele continuaria o governo, mas seria nomeado para outro cargo. Não necessariamente pela acusações do vice-governador, mas por outros detalhes que acabaram causando desgastes a ele e ao governo.

 

Frase de efeito

“Estamos tentando elevar para 4 cabeças por hectare para a gente poder utilizar as nossas áreas já consolidadas, para que não tenhamos mais que desmatar para chegar ao agronegócio sustentável”, destacou Israel.

Divergência

Declarações do secretário de Estado de Meio Ambiente do Acre, Israel Milani, na Conferência das Nações Unidas Sobre Mudanças Climáticas, a COP26, em Glasgow, na Escócia, dividiu opinião de dos dois dos maiores fazendeiros do Acre, Fernando Zamora e Assuero Veronez, amigos de longa data.

De um para quatro

A fala de Israel ocorreu durante encontro da Assembleia da Coalizão Under 2, representando o governador Gladson Cameli. Na ocasião, o secretário afirmou que era possível aumentar a produção de um para quatro cabeças de gado em uma mesma área, já consolidada, usando novas tecnologias.

Frase de efeito

“Estamos tentando elevar para 4 cabeças por hectare para a gente poder utilizar as nossas áreas já consolidadas, para que não tenhamos mais que desmatar para chegar ao agronegócio sustentável”, destacou Israel.

No instagram

Nos stories do Instagram, Fernando Zamora, afirmou que as declarações de Israel Milani mostram um discurso antigo, e economicamente, inviável. “Esse discurso é antigo, o governo não tem fazenda e quem tem aderir a isso é o produtor rural”.

Perguntas

Se tem como criar quatro por hectare, porque nós criamos só duas? Será se somos burros?”, perguntou. E acrescentou: “Tem gente que faz com cinco por hectare, mas aí tem que ir pro confinamento e isso tem um custo muito alto e tira o produtor do mercado”, afirmou Zamora.

Não quis criticar

“Eu não quis fazer uma crítica ao gestor, eu quis trazer esse assunto a debate porque é muito importante. Precisamos preservar e produzir, e esse discurso de produzir mais na mesma área que temos hoje ou que tal atividade dá muito mais lucro por hectare, como produtor rural fico indignado, porque isso é um discurso antigo que não foi pra frente”, explicou Zamora.

Otimismo

O fazendeiro Assuero Veronez, muito influente tanto na Federação da Agricultura e Agropecuária do Estado do Acre (Faeac), de onde é presidente, como na Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), da qual já foi vice-presidente, a fala de Israel mostra uma ‘estimação muito otimista’, mas que aliada com políticas públicas pode se tornar viável.

Tecnologia

“É uma estimativa muito otimista, mas tem espaço sim com tecnologia e investimento em reforma de pastagem, mas para isso é necessário uma política de crédito que hoje o produtor não tem”. As linhas de credito são para introdução de reforma de pastagens de diminuição de emissão de carbono.

 

Moro no Podemos

Juiz federal aposentado e ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro se filia ao Podemos na quarta-feira, 10, partido pelo qual deverá ser candidato à Presidência da República. Intenderam agora os motivos pelos quais ele traiu o Presidente Jair Bolsonaro?

Pode ser o vice

O procurador federal, Deltan Dallagnol, também pediu demissão do cargo e será candidato a algum cargo eletivo em 2022. Dizem que ele pode ser o candidato a vice-presidente na chapa liderada por Sérgio Moro. Seria a chapa “Lava-jato”.

Acertei

Na coluna de sexta-feira, ao anunciar o amistoso federal, na manhã de sábado, no estádio Arena da Floresta, entre Policia Federal (PF) x Polícia Rodoviária Federal (PRF), afirmei que se tratava de uma disputa entre dois times bem armados e que seria uma jogo bastante equilibrado, mas arrisquei um placar: 3 x 1. A PFL impôs seu ritmo e venceu o amistoso federal justamente por 3 x 1.

Artigos Publicados