Colunistas

Gladson não sai de PP, nem entra no PSDB, mas vai apoiar Socorro Neri

Do ponto de vista administrativo governador Gladson Cameli ainda tem respaldo incontestável junto à população, talvez pelo comportamento humanitário e o contato direto com a população, apesar de parar pouco por aqui, em função das constantes viagens. No entanto, no que se refere ao seu prestígio político-eleitoral não podemos afirmar o mesmo, mas ele ainda pode reverter esse quadro, dando a chamada volta por cima.

Claro que o apoio do governador à reeleição da prefeita Socorro Neri (PSB) pode ser decisivo, sobretudo em se tratando de uma disputa acirradíssima, uma vez que temos quatro candidatos fortes, sem falarmos em outros dois que também podem crescer durante a campanha. No entanto, nessas conduções, rompido com todos que o ajudaram a chegar ao poder, em 2018, pode ser prejudicial.  

Gladson cometeu um grande equívoco, ao permitiu a pulverização de várias pré-candidaturas, dizendo que tudo passaria pela sua mão, mas quando acordou já não tinha mais controlem nem mesmo em seu partido, ou melhor, na sigla pela qual foi eleito. Falo isso por entender que, por seus movimentos e atitudes, o governador não leva muito a sério essa história de partido. Aliás, ele deixou isso bem claro reiteradas vezes. 
Poia bem, sem poderes para empurrar o ex-petista juramentado, Ney Amorim como vice da prefeita Socorro Neri, Gladson ainda ensaiou uma cartada decisiva junto ao presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI), mas ao fazer um sondagem, preferiu recuar e evitar mais desgaste.

Por isso, mirou no PSDB para tirar Minoru Kinpara de tempo e indicar um tucano como vice da prefeita Socorro Neri. Com esse objetivo, ele foi a São Paulo e se articulou com o governador João Dória e a outros dois governadores tucanos e presidente nacional, deputado federal Bruno Araújo (PE) para se filiar ao PSDB.

No mesmo dia, fizeram o maior alarde e dois dias depois, o governador chegou ao Acre, afirmando que vinha com carta branca da direção nacional para fazer as mudanças de acordo com seus pensamentos. Mas na prática, o cenário foi bem diferente. Por isso, ao sentir que seria apenas “um cabo eleitoral”, como bem definiu a presidente regional, deputada federal Mara Rocha, o governador decidiu desistir.

Ele havia escrito uma carta de desfiliação, mas no dia seguinte, quarta-feira, 05, escreveu outra carta, contendo apenas oito linhas, pedindo afastamento por tempo indeterminado. Assim, ele fica livre leve e solto para apoiar a reeleição da prefeita Socorro Neri. O governador em todo direito de apoiar quem ele bem entender, mas não pode atrapalhar uma candidatura legitimada pela direção regional e respaldada pela nacional.

Na verdade, a carta apenas oficializou algo que, de fato, já existia há mais de um ano. Por isso, a carta foi algo bom para o governador e melhor para o PP e Bocalom. O governador fracassou quando tentou se impor no PP e voltou a fracassar quando ensaiou cantar de galo no ninho tucano. Ele afirmou que iria sair do PP e ingressar no PSDB. Mas na prática, nem saiu do PP e tampouco entrou no PSDB. Ah, também não  tirou Bocalom, nem Minoru da disputa.  

Inversão
Normalmente, os políticos conquistam mandato com discurso de esquerda e governam como direita. O governador Gladson Cameli, só pra contrário, fez diferente. Na Campanha, seu discurso era de direita, mas faz um governo com características de esquerda.

Evolução
Após 20 anos de reinado da Frene Popular, os políticos agora falam muito em direita.  Todos não se identificam como de direita, ninguém admite ser de esquerda, nem mesmo o PT. Vejam  Minoru Kinpara, que era do PT, foi para Rede e caiu no ninho tucano.

Piadinha
Minoru Kinpara, depois de mais de 20 anos militando em partidos de esquerda, tendo sido até presidente regional do PT, se acha no direito de afirmar que a prefeita Socorro Neri é de esquerda. Com todo respeito, professor, conte outra piada, por favor!

Frase marcante
Conversei com a prefeita Socorro Neri esta semana. Segundo ele, a turma da esquerda diz que ela é de direitista; enquanto os direitistas, afirmam que a ela de esquerda. A prefeita, na verdade, não direitista, nem de esquerdista, ela é direita, íntegra. A diferença é grande, muito grande.

Rota de colisão
Governador Gladson Cameli deverá entrar em rota e colisão nos próximos dias com o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro (PP). Se o prefeito for cassado pela Justiça Eleitoral, vai querer empurrar seu irmão, Rudiley Estela como candidato. O plano B do governador é vice-prefeito, Zequinha Lima, do PP.

Mudaram de ideia
Muitos dos que eram radicalmente a favor,  do tal isolamento social, agora acham que eu tinha razão quando desde o início alertei dizendo que isso era um perigo, que poderia matar mais do que a doença dos chineses. Antes tarde do que nunca!

Depressão
Pelos comentários das pessoas nas ruas e nas redes antissociais, metade da população acreana está com algum sintoma de depressão. Alguém vai se responsabilizar por isso? Para quem não sabe ou não lembra, a depressão é mais perigosa do que a doença que os chineses mandaram pra cá.

Perdido
O Comitê da Covid está mais perdido que cego em tiroteio. Há duas semanas, o doutor Ildson Viana, lançou desafio aos membros do referido comitê e todos ficaram quietinhos, caladinhos, sem ter o que argumentar. Na verdade, contra fatos, não há argumentos.

Efeito contrário
Desde março, quando a doença chinesa chegou por aqui, eu venho afirmando que não isolar seria complicar. Fecharam o comércio, lacraram indústria e proibiram o pessoas de trabalhar, cinco meses depois, o Are está contaminado e contabilizando óbitos todos os dias. Serviu pra que o tal isolamento?

Morte silenciosa
Proibir alguém de ir à academia,  baterem a tradicional peladinho no bairro,  ir ao salão de beleza,  ir à igreja é algo cruel, chega a ser desumano. Isso nos mata de forma silenciosa. Quem duvidar, basta perguntar para algum especialista.

Artigos Publicados