Colunistas

Reeleito em primeiro turno, Gladson afirma que vai fazer um novo governo no segundo mandato

Governador Gladson Cameli (PP) concedeu entrevista coletiva logo após a vitória no primeiro turno das Eleições de 2022, ocorridas neste domingo, 02). Gladson foi reeleito com 241.978 votos (56,75%), contra 103.162 votos (24,20%) do petista Jorge Viana. Gladson votou pela manhã, em Cruzeiro do Sul, visitou algumas sessões eleitorais e depois veio para Rio Branco.

“Agradeço de todo coração ao povo do Acre. Quero agradecer aqueles que acreditaram, que me reelegeram no primeiro turno para que a gente possa dar continuidade a um trabalho respeitando as opiniões, as famílias, governar para todos sem perseguir. Quero melhorar a vida do povo acreano”, afirmou.

“Quero melhorar muito nesse próximo mandato, corrigindo o que precisa ser corrigido e continuar fazendo o que precisa ser feito”, continuou. O governador foi recepcionado por militantes, amigos e apoiadores, além da sua vice, senadora Mailza Gomes (PP), e do seu candidato ao Senado, Ney Amorim (Podemos). “É um novo governo que começa no dia primeiro”, afirmou.

Mais tarde, na esplanada do Palácio Rio Branco, comemorando a vitória junto com a militância do PP e dois dez partidos que apoiaram sua vitoriosa campanha, Gladson criticou seus exalados que, se tornaram adversários e as liderança de esquerda que, segundo ele, se afogaram jutos. Também mandou um recado curto e grosso ao prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, ainda seu colega de partido.

Jamais esquecidos

Senador Márcio Bittar (União Brasil), afirmou nesta segunda-feira, 03, que acaba a campanha sem mágoas, mas sem esquecer àqueles que atravessaram o seu e o caminho da mãe de seus filhos. Sem citar nomes, Bitttar utilizou uma frase atribuída ao presidente assassinado dos Estados Unidos, Jonh Kennedy, segundo o qual, na política, os inimigos devem ser perdoados, mas jamais esquecidos.

Honra e caráter

Apesar do insucesso seu na disputa pelo o governo e da professora Marcia Bittar, na luta pela punica vaga do Acre no Senado, o senador mostrou-se tranquilo, com a certeza de que fez o que seria necessário fazer. “Algumas pessoas não entendem, mas existem coisas que são mais importantes que ganhar ou perder uma eleição, como honra e caráter”, disse.

Única alternativa

“O que fizeram com a mãe dos meus filhos, não me deixou alternativa senão tomar as decisões que tomei. Eu tinha que dar apoio a ela, para ajudá-la atravessar um momento muito difícil. Assim, honrei quem tinha que tinha que honrar. O homem que não honra sua família não merece o nome”, acrescentou.

Pro Bolsonaro

Márcio Bittar disse ainda ter sido candidato ao Governo para poder fazer campanha para o presidente Jair Bolsonaro no Acre. “Também honrei o Bolsonaro. Procurei mostrar o que ele fez pelo país e por nosso Estado e que foi creditado a outras pessoas. A campanha foi a oportunidade que encontrei de corrigir isso”, afirmou.

Não foi compreendida

O senador disse ainda que o fato de Márcia Bittar ter chegado em quarto lugar entre oito candidatos, com 41.159 votos – 9,99% do total de votos válidos – não a faz uma candidata derrotada. “Ela nunca tinha sido candidata. Numa campanha majoritária o candidato pode às vezes fazer tudo certo e ainda assim não ser compreendido pelo vitorioso. Ela fez uma campanha de propostas, mas não foi suficientemente compreendida”.

Petecão

O candidato ao Governo do Acre, senador Sérgio Petecão (PSD), obteve apenas 27.393 votos, que representam 6,42% dos votos válidos. Em suas redes sociais, Petecão disse aceitar o resultado e parabenizou o governador reeleito Gladson Cameli (PP).

Reconhecimento

“Minhas amigas e meus amigos, o povo do Acre escolheu novamente o governador Gladson para nos representar pelos próximos quatro anos. Aceito esse resultado com muita tranquilidade, pois sou um ferrenho defensor da democracia. A vontade do povo é suprema. Parabenizo o governador e espero, de coração, que ele faça um governo. Que Deus abençoe o novo povo. Até breve! ”, escreveu.

Pau quebrou

Um dia após a vitória do governador Gladson Cameli (PP) em primeiro turno, o pau quebrou na Casa Amarela. A vereadora Lene Petecao (PSD), que tentou sem sucesso, obter um mandato na Câmara Federal, acusou a cunhada, vice-prefeita de Rio Branco, Marfisa Galvão, de votar no doutor Eduardo Velloso, deputado federal eito pelo União Brasil.

Campeã

A vitória da ex-prefeita de Rio Branco, Socorro Neri (PP) na luta por uma vaga na Câmara Federal já era esperada. Também já era previsível que ela seria a mais votada no PP, mas Socorro foi muito além. Ela foi a mais votada no geral nas eleições deste domingo, 02.

Prioridade

Em entrevista a este colunista, nesta segunda-feira, no programa Entrevista da Tarde, ao vivo, na TV Rio Branco-SBT, a nova deputada federal afirmou que dará prioridade ao setor educacional. Socorro também foi entrevista por este colunista, mas cedo, no Jornal Difusora e agradeceu ao que deram voto e confiança nela e garantiu que vai lutar para honrar cada voto.

Novo senador

Deputada federal Alan Rick (União Brasil), novo senador eleito neste domingo, 02, fez questão de afirmar que foi eleito sem apoio do governador Gladson Cameli (PP) e do Presidente Jair Bolsonaro. No entanto, disse que vai apoiar o governador no Senado e lutará ao lado de outras lideranças políticas liberais conservadoras para confirmar a reeleição do Presidente Bolsonaro em segundo turno.

Nova visão

Senador interino, doutor Eduardo Velloso, deputado federal eleito neste domingo, 02, pelo União Brasil, afirmou que vai apoiar o governador Gladson Cameli e litará de forma incansável para consolidar a reelei.ao do Presidente Jair Bolsonaro (PL). Eduardo Velloso e Alan Rick também foram entrevistados por este colunista, nesta segunda-feira, 03, no programa Entrevista da tarde, ao vivo, na TV Rio Branco-Cultura.

g

Artigos Publicados