Colunistas

Governador tem carta branca para tirar Minoru de tempo e emplacar um tucano como vice da prefeita

Conversei nesta sexta-feira com várias lideranças políticas e dirigentes de partidos envolvidos direto ou indiretamente nesses conflitos provocados pelo governador Gladson Cameli.  Do olho na reeleição, a prioridade do governador é se posicionar bem na disputa municipal para chegar mais forte em 2022. Como em Cruzeiro do Sul, sua terra natal, ele dificilmente conseguirá evitar a derrota, vai apostar todas as fichas na reeleição da prefeita Socorro Neri (PSB). 

Pois bem, a saída de Gladson do PP e sua entrada no PSDB, levadas ao conhecimento público na tarde de quinta-feira, 30, caíram com uma terrível bomba no meio de vários partidos, sobretudo o PP, que ficará sem governador e o PSDB, que não terá mais como manter a candidatura do professor Minoru Kinpara e certamente também perderá apoio do PSL, que nesta sexta lançou o coronel Ulysses Araújo como pré-candidato à Prefeitura de Rio Branco.

Sobre o assunto, conversei primeiro, com a presidente nacional do PP, senadora Mailza Gomes. Esperando bebê e evitando entrar em atrito, seja lá com quem for, ele afirmou que não foi comunicada, oficialmente, sobre o caso. Por isso, não vai se manifestar. Ela não quer falar sobre algo que ainda não se materializou. Praticamente a mesa opinião externou líder do PP, na Aleac, deputado José Bestene. O parlamentar disse ainda que não consegue acreditar, mas ao mesmo tempo, admite que em política, tudo é possível.

Ex-presidente regional do PP e uma das personalidades mais experientes no partido, Bestene prefere não acreditar na ida do governador para o PSDB e explica: “O PSDB é, hoje, o maior partido de oposição ao Presidente Jair Bolsonaro. O Acre continua muito carente de recursos federais. O governador é inteligente e sabe muito bem disse”, diz Bestene. Ele acha muito estranho o fato de não comunicar nada aos dirigentes do PP, nem aos deputados da base aliada, tampouco os três do PP, entre os quais, o presidente da Aleac, Nicolau Junior, seu cunhado.

Também conversei com a presidente regional do PSDB, deputada federal Mara Rocha. Ela deu boas vindas ao governador e afirmou que ele irá potencializar a pré-candidatura do professor Minoru Kinpara, além de reforçar as candidaturas do PSDB e aliados em vários municípios acreanos. Mara prefere acreditar que o governador chega ao partido para somar e ajudar os tucanos a se fortalecerem na capital e interior, não como interventor.  

Já o presidente regional do PSD, senador Sérgio Petecão foi bem claro e objetivo: "O que o governador faz ou deixa de fazer, em termos de articulação política, para nós é indiferente". Petecão voltou a afirmar que seu candidato é Tião Bocalom e este já está nas ruas apresentando suas propostas e colhendo informações para a elaboração do Plano de Governo. A ex-deputada federal Marfisa Galvão, mulher de Sérgio Petecão, pré-candidata a vice, na chapa liderada por Bocalom, também está na luta todos os dias, o dia todo.  

Enquanto isso, o vice-governador Wherles Rocha, que trocou o PSDB pelo PSL, usou as redes sociais para desejar boas vindas ao governador e deixou bem claro que se Gladson estiver pensado que vai fazer com o PSDB ou que tentou, sem sucesso, com o PP, estaria a perder tempo. Disse ainda pré-candidatura de Minoru Kinpara está consolidada e não há motivos para retirar seu nome da disputa. No entanto, por medida de precaução, nesta sexta-feira, Rocha, que agora comanda o PSL,  lançou a pré-candidatura do coronel Ulysses Araújo à prefeitura.

Sem sentido
Alguns cientistas políticos dão como certa dobradinha entre Minoru Kinpara e Socorro Neri, com a bênção do governador Gladson Cameli. Não tem o menor sentido, apesar de a política ser, realmente, muito dinâmica. A chance é zero.

Dois objetivos
A ida do governador para o PSDB tem dois objetivos nesse momento: retirar Minoru da disputa e indicar um tucano como candidata a vice na chapa liderada pela prefeita Socorro Neri. Isso é claro, evidente.

Não se gostam
Pra quem ainda não sabe ou esqueceu, Minoru Kinpara teria perseguido Socorro Neri quando este era reitor da Ufac. Educada e humilde, como sempre, Socorro não guarda mágoa de ninguém, mas não quer nenhuma aproximação com o new tucano.

Preparado I
“Se querem debater sobre ciência, vamos de ciência; se querem debater sobre bíblia escolham o tema; se querem debater sobre política organizem a pauta; se querem debater sobre leis e direito, digam qual o ramo”.

Preparado I I
Se querem debater sobre a área da saúde, escolham o cenário; Se querem debater sobre esportes, definam a modalidade”, doutor José Ildson. Mas não me chamem para debater opiniões e pessoas, isso só rouba tempo, qualquer um dos temas apresente dados e fatos isso enriquece o debate. (Doutor Ildson Viana).

Apelo
Ex-secretário de Infraestrutura, engenheiro civil Thiago Caetano, usou seu perfil no facebook para escrever o seguinte: “Senhor governador, faço um apelo a Vossa Excelência, não acate a decisão desse Comitê Covarde, perseguidor das Igrejas...”.

Sem base cientifica
Thiago lembra que o poder emana do povo e o povo entregou a caneta ao Senhor... A Decisão está em suas mãos, não delegue essa decisão, nem entregue a um grupo ideológico, sem base científica...

Distanciamento 
Desafio a qualquer um desse Conselho a provar que dentro das Igrejas (com a limitação de 20% e com as regras rígidas de distanciamento das cadeiras) terá maior aglomeração de pessoas do que em outros locais que estão abertos.

Perseguição
“Não manche sua Biografia com uma Decisão dessa que irá configurar o Maior Crime de Perseguição Religiosa já visto em nosso estado...”, escreveu e afirmou o ex-secretário de Gladson Cameli.

Incomodados
“Não conseguiram me vencer nos argumentos técnicos, jurídicos e científicos, partiram para mentiras, calúnias, injúria e difamação”, do pastor, advogado, professor e cientista politico Ilson Viana.

Importância
“Como se não bastasse ofenderem as igrejas e os pastores nas minhas postagens, mesmo eu não sendo pastor de igrejas, ainda assim defendo todos porque sei da importância do ministério e trabalho que desenvolvem”.

Fake news
“Aproveitaram uma matéria de um jornal para publicar notícias de perfis falsos contra a minha honra. Já acionei a Polícia Federal, para identificar os responsáveis pelos fakes e por propagar tais fakes. E tomarei todas as medidas necessárias na esfera cível e criminal”, afirmou.. 

Dentro da lei
Primeiro: esse cidadão cometeu um crime gravíssimo, foi investigado, preso e algemado, exposto publicamente pro mundo inteiro, depois foi julgado e condenado, cumpriu a pena que a lei exige, então pra mim em relação a lei não há o que se discutir.

Sobrevivência
Segundo: quando um ex-presidiário sai do presídio a primeira coisa que precisa é procurar um emprego para ser reintegrado à sociedade, então o natural é que qualquer um procure fazer o que sabe, seja lá o que for, e é o certo desde que a lei não o proíba de voltar exercer essa profissão. 

Modelo
Quarto: vi as duras críticas de pessoas dizendo que ele não pode vir jogar nesse time de Rio Branco porque não é modelo para os nossos filhos, pra mim um pai que precisa de um jogador pra servir de modelo pro seu filho nem deveria ser pai. (Maria de Jesus Araújo - auxiliar administrativo e estudante de Administração).

Artigos Publicados

Governador Gladson Cameli entre o sonho e o pesadelo

Desgaste político que poderia ser evitado

Governador e progressistas: chegou a hora da verdade!