Colunistas

Grupo B-38 comanda ato público em favor do voto impresso neste sábado em Rio Branco, Brasileia e Cruzeiro do Sul Membros do Grupo

Grupo B-38 comanda ato público em favor do voto impresso neste sábado em Rio Branco, Brasileia e Cruzeiro do Sul

Membros do Grupo B-38 comandam neste sábado atos públicos em todas as capitais do Brasil e nas maiores cidades Ato Público em favor do voto impresso já nas eleições de 2022 como forma de evitar possíveis fraudes eleitorais. Em Rio Branco, um dos coordenadores do evento é o pastor da Igreja Assembleia de Deus Varderli Amorim. Em entrevista ao jornalista Antonia Muniz, nesta quinta-feira, no programa RB Notícias, ao vivo, na TV Rio Branco-SBT, ele afirmou que os atos públicos serão realizados de forma simultânea em todas capitais do Brasil e nas outras cidades.

No Acre, segundo ele, os atos serão realizado em Rio Branco, Cruzeiro do Sul e Brasileia, contemplando as três maiores regiões (Capital, Juruá e Alto Acre). Em Rio branco, segundo o pastor, a concentração será às 15h, no estacionamento do Estádio Arena da Floresta - Segundo Distrito. No mesmo horário, em Brasileia, o ato Público será realizado na zona central. Em Cruzeiro do Sul, será às 16h, na avenida Mâncio Lima, no centro da cidade.  “Se você também defende o voto impresso, está convidado a participar do ato público”, afirmou o pastor Amorim.

Segundo o pastor Amorim, o Grupo B-38 foi fundado em 2018, em Recife (PE), por militares da reserva onde o mesmo é representado pelo Coronel da Aeronáutica Marcos Koury, após ter realizado a campanha de Bolsonaro naquela cidade. O objetivo do grupo é apoiar projetos como criação de Partidos Conservadores, apoio a contagem pública dos Votos. “O Grupo B-38 é um grupo cristão, familiar, de direita, conservador, que acredita em um Brasil livre da má administração pública e da corrupção que tanto fazem o povo brasileiro sofrer”, explicou o pastor.

Adotado em 1996, instituto do Voto Eletrônico no Brasil, segundo a pastora Dayse Costa, líder da Igreja renovada, uma das maiores do Acre, representou um grande avanço no processo eleitoral e ao regime democrático. Em entrevista ao jornalista Antonio Muniz, no programa RB Notícias, nesta sexta-feira, 30, ao vivo, na TV Rio Branco-SBT,  ela afirmou que,  em meio às graves críticas, de toda natureza e ordem, sofridas, uma delas emerge de forma unânime, senão como a mais preocupante, pelo menos como a de mais difícil defesa, quanto à necessidade e mérito, pelos técnicos responsáveis do Tribunal Superior Eleitoral (TSE): a ausência da impressão do voto para efeito de validação do modelo adotado, ou mesmo posterior recontagem, caso necessário.

A pastora lembrou, ainda que, longe de ser um detalhe, talvez até mesmo uma consideração menor dos projetistas daquele modelo, na verdade a ausência da possibilidade de auditoria do resultado da eleição e da própria mecânica utilizada pela falta da impressão de qualquer documento da vontade individual depositada, não só foi cuidadosamente pensada e executada pelos técnicos do TSE, como, à revelia dos partidos políticos, balizou a própria criação do referido projeto.

 

O parágrafo 1º do Art. 10,  da Resolução 19.877/97 do TSE, textualmente diz: "Em hipótese alguma será permitida a realização de auditoria dos programas e do conteúdo dos disquetes por entidade alheia ao funcionamento da Justiça Eleitoral. Os defensores da impr3ssaã do voto querem saber por que tanto sigilo em um programa, grosso modo, simples como acumular e totalizar votos públicos? Restringir o acesso externo ao sistema é um absurdo do ponto de vista lógico, uma vez que as únicas partes que poderiam ter algum sigilo seriam as que porventura contivessem algum código sigiloso, o que soa impensável em um sistema de serviço público civil.

Mesmo em um sistema fechado, apenas as senhas relacionadas à criptografia (codificação de forma a impedir a leitura desautorizada, na visão dos defensores do voto impresso, os dados teriam que ser preservadas, o que também não faz sentido em um sistema como o eleitoral, onde os dados são impressos e tornados públicos imediatamente após o encerramento do período de votação. A urna eletrônica brasileira à luz de tão pouco divulgada característica, é, naturalmente, um convite à reflexão sobre o quão crível pode ser a divulgação dos resultados de uma máquina baseada no princípio do obscurantismo e da infalibilidade técnica e moral de seus responsáveis.

Parabenizado

Senador Marcio Bittar (MDB-AC), vice-líder do governo no Senado, parabenizou os organizadores do ato público e afirmou que o movimento encabeçado pelo Grupo B-38 se fortalece a cada dia e surge como uma poderosa arma de transformação social e fortalecimento da nossa democracia.

 

Ele vai voltar

Empresário Roberto Princezinha deve voltar a comandar um partido político ainda esse ano. Mas enquanto isso não ocorre, ele aproveita o feriado de hoje para lançar o rodízio de carnes, a partir das 11h, e promover a volta do rodízio de pizzas, a partir das 17h. A Princezinha agora é restaurante, pizzaria e churrascaria.

Pode haver colapso

A Câmara de Rio Branco recebeu, essa semana, no espaço Tribuna popular dois colaboradores do transporte coletivo da capital para tratar do possível colapso do transporte público e a situação dos trabalhadores no período de pandemia.

Bolsa qualificação

O motorista Mauricélio Freire ressaltou que desde dezembro do ano passado, os colaboradores estão com os seus salários atrasados e que o único meio que eles vêm recebendo é por um auxílio do governo federal através do programa “Bolsa Qualificação”, que é um curso que eles realizam em troca de um auxílio e que a data de expiração é para junho.

Demissão em massa

Segundo informações, a situação é muito preocupante. Sem ajuda do poder municipal mais de 500 trabalhadores poderão ser demitidos após o fim do auxílio e que as empresas irão decretar falência.

Lene quer CPI

No tempo cedido aos vereadores inscritos, Lene Petecão (PSD) defendeu a necessidade de abrir a “caixa preta” do transporte coletivo e instaurar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para discutir os supostos desmandos, desvios financeiros, falta de pagamento a funcionários e outras irregularidades dentro do transporte coletivo.

Não há “caixa preta”

O vereador Fábio Araújo (PDT), criticou o prefeito Tião Bocalom (PP) e disse que não existe “caixa preta” do transporte coletivo conforme foi dito pelo prefeito e afirmou que o que existe é um déficit nas contas das empresas e que pode ser resolvido conforme a sugestão enviada pela Câmara junto com o veto ao Projeto de Lei enviado pela ex-prefeita Socorro Neri (PDT), no fim de seu mandato.

Deveriam ser preso

Vereador Emerson Jarude (MDB) lamentou a situação dos trabalhadores do transporte coletivo e afirmou que os empresários do ramo deveriam ser presos. “Essas empresas são as verdadeiras máfias e não é dando subsídio ou fingindo que vai dar tarifa social que vai acabar com esse problema.

Novas licitações

Ainda segundo Emerson Jarude, o Projeto de Lei, enviado pela gestão anterior, foi uma maquiagem e não há garantia nenhuma que os recursos financeiros iriam para os trabalhadores do sistema de transportes coletivo. “É preciso abrirmos novas licitações para tirar essa máfia”, afirmou.

Ajuda financeira

Presidente da Câmara de Rio Branco, vereador Nogueira Lima (PP) recebeu a visita do Diretor de Artes da Fundação Garibaldi Brasil, Hadamés Chaves, para tratar dos trâmites finais da alocação da emenda parlamentar do ex-vereador Artêmio Costa. A emenda no valor de R$ 13 vai irá beneficiar com aulas de dança cerca de 40 crianças e 10 adolescentes, por meio do projeto “Ballet na Comunidade”.

Agradecimento

A professora Lívia Teodoro que também é diretora da Escola Cia Adorai, falou sobre a satisfação de poder levar a arte em forma de dança para essas crianças “Pra gente é uma satisfação, estamos já nos tramites da documentação para receber esta emenda que já está aprovada. Ela agradeceu ao vereador Artêmio Costa, pela iniciativa.

Não acredita

Presidente da Câmara de Rio Branco, vereador Nogueira (PP) não acredita que a “Cartilha” ensinando os condutores de veículos a trafegarem nas ruas esburacadas de Rio Branco seja obra do prefeito e tampouco do diretor da RBTrans, ex-vereador João Marcos Luz (MDB).

“Tenho certeza que isso não saiu da cabeça do prefeito ou do ex-vereador João Marcos que está lá na RBtrans”, afirmou.

Abandono

Em visita ao conjunto Ilson Ribeiro, o vereador Arnaldo Barros (Podemos) demonstrou bastante indignação com a situação da comunidade. O parlamentar pontuou sobre a recente visita que fez ao local e relatou através da apresentação de vídeo, os anseios da comunidade. “Estive por dois dias no Ilson Ribeiro, o que a gente percebe é um descaso e abandono do poder público”, diz.

Prioridade

Isonomia na vacinação contra à Covid-19 voltou a ser cobrada voltou a cobrar ao secretário Municipal de Saúde, Frank Lima, pelo vereador Ismael Machado (PSDB), segundo o vereador, ainda existe muitos profissionais da área de saúde que não foram contemplados com o imunizante, exemplificando os profissionais autônomos da área de Fisioterapia.

Preocupação

Ismael relatou sobre o encontro com os representantes da área de fisioterapia, e com a presidente da Associação de Fisioterapia do Estado do Acre- Karina Braga, e falou da preocupação com esses profissionais.

Indicação

Indicação defendendo obras de recuperação dos trechos mais críticos da Rodovia AC-40, que liga Rio Branco a Senador Guiomard, foi apresentada pelo vereador Ismael Machado (PSDB). O parlamentar ressaltou a situação dos ambulantes daquela região e cobrou respostas do poder público.

Artigos Publicados