Colunistas

Inacreditável

Quando em 2016 disputou a presidência da Câmara dos deputados e só tendo obtido quatro votos, restou provado

Em primeiro lugar, que o candidato em questão, o então deputado federal Jair Bolsonaro, até mesmo no ambiente que todos os conhecia, o chamado centrão, a despeito dos seus 28 anos de sua convivência com seus integrantes, revelara-se o menos ouvido, o menos querido, o menos respeitado e o menos influente. A provar, entre os 513 deputados federais ele só conseguiu obter quatro míseros votos.

Como o seu real interesse, desde que se envolveu na atividade política era outro, e isto restou plenamente materializado, o de perdurar a sua família em mandatos eletivos, tantos quantos possíveis, neste particular, em toda a nossa história política ninguém conseguiu chegar tão longe, e após assumir a informal condição de presidente do sindicado dos militares e de defensor dos seus interesses, mais ainda.

A partir de então, o deputado federal Jair Bolsonaro foi se tornando conhecido nos quatro cantos do nosso país, e em razão dos gravíssimos erros que os nossos representantes políticos vinham praticando, a nossa população deixou de tê-los como referências, enquanto isto, embora tenha emergido lá do fundão do centrão, o deputado federal Jair Bolsonoro começou a aparecer e crescer, não apenas junto aos militares, sim e também, perante o nosso grande público, e o mais surpreendente, como pregador de uma coisa que veio denominá-la de nova política.

Foi neste contexto que surgiu a sua candidatura Jair Bolsonaro à presidência da República, e maiores tardança, vindo transformasse numa possibilidade, sem sequer sabermos se movida por bons ou maus propósitos, e sim porque, num país regido por uma legislação político/partidária tal qual a nossa, excessivamente permissiva e avacalhada, tornar-se candidato a presidência da nossa República não causaria maiores estranhezas, mas eleger-se, sim. A propósito, nas eleições de 1989, um pilantra que atendia pela alcunha de Zamir Texeira e bastante conhecido por nós, acreanos, conseguiu candidatar-se a presidência, e se pesado e medido, o então candidato Jair Bolsonaro, em todos os aspectos, o superaria. Daí a causa que tem determinado o nosso atras o pol&ia cute;tico e a pobreza da nossa própria democracia.

Não votei no candidato Jair Bolsonaro e considero o seu governo bastante ruim, ainda assim, não o responsabilizo pelo nosso bagunçado sistema partidário, no qual, apenas pegou carona.
.                                  


 

Artigos Publicados

O tempo dirá

Inevitável

Vamos aos fatos

Votar é preciso

Decepções à vista